Festival Bananada 2017: Artistas Que Merecem Sua Atenção

Atrações do evento em Goiânia mostram-se promissoras no cenário da música atual

Festival Bananada 2017: Artistas Que Merecem Sua Atenção
Fotos: Rodrigo Gianesi

Entre tantos shows e nomes que se apresentaram no Festival Bananada em 2017, alguns chamaram mais atenção pela novidade, desconstrução musical e performance ao vivo, e merecem estar no seu radar no restante do ano.

Teto Preto

Presente e nascida na efervescente festa de música Eletrônica Mamba Negra, a banda parece sair dos galpões paulistanos para palcos maiores com programações distintas, como Rec Beat e o próprio Bananada. Sua performance traz a performática Angela Carneosso nos vocais, L_cio nas drummachines, Zopelar nos sintetizadores e Bica na percussão e sopro - formando uma superbanda que introduz o ouvinte num novo e chocante universo. Gasolina é seu único e ótimo single.

Miêta

Quarteto mineiro tem uma formação quase inteira feminina (salvo o baterista) e traz uma mistura roqueira que passa pelo Punk, Shoegaze e Surf Music. Integrante do selo feminino PWR Records - uma das sensações do Bananada ao figurar na cabeça de grande público em um boné rosa e preto -, a banda foi um das grandes surpresas do showcase do selo e mostra o desenvolvimento da cena mineira em novas frentes. A faixa Pet, possui um clipe dirigido por Jonathan Tadeu.

Luiza Lian

Oyá Tempo é uma obra audiovisual dividida em vídeos, um site interativo e o seu show - síntese de tudo o que foi criado e transformado ao vivo. Com projeções sendo feitas em uma cenografia bem pensada e um figurino próprio, a cantora transformou-se em uma nova personalidade artística verossímil, e, ao lado do produtor e beatmaker Charles Tixier (Charlie e os Marretas/Holger), fez um dos shows mais elogiados do festival, com sua apresentação uma parte imprescindível para realmente entender a obra.

Rakta

O power trio feminino está longe das convenções normais do formato - bateria sem chimbal, baixo hipnotizante e uma camada de ruído, texturas e sintetizadores que se transformam em uma grande camada sonora no show que merece horários menos sóbrios e permissivos à viagem sonora encontrada no seu ótimo último disco, III. Presente no exterior com uma extensa turnê, o grupo tem uma sessão imperdível na rádio norte-americana KEXP.

NeguimBeats

Fenômeno da Internet, o goiano Neguim é um dos produtores musicais brasileiros mais talentosos - não é a toa que suas faixas no SoundCloud possuem mais comentários estrangeiros que daqui. Hip Hop, Trap e Future House são algumas das linhas que ele segue, e todas possuem alguma conexão com música feita no país, seja na escolha de batidas ou samples. Certamente, é um nome que vai explodir fora da sua bolha musical em pouquíssimo tempo.

El Toro Fuerte

Mais uma banda na excelente safra de grupos mineiros, sua estreia Um Dia Lindo Pra Estar Vivo trouxe uma série de composições que passam pelo Emo e Lo-fi, mas sempre com as cabeças e os pés em linhas melódicos de Math Rock. Com um dos grandes letristas jovens do Brasil, Fábio de Carvalho, sua estreia em grande festivais foi muito elogiada pelos presentes e sua presença em outros futuros parece cada vez mais certeira.

Artistas: Miêta, Teto Preto, Rakta, El Toro Fuerte, NeguimBeats, Luiza Lian

Marcadores: Festival Bananada 2017