#NovoÁlbum: Boogarins Comenta "Lá Vem a Morte"

Quarteto goiano resumiu cada faixa seu terceiro disco em "tweets"

#NovoÁlbum: Boogarins Comenta "Lá Vem a Morte"

E se você tivesse que resumir as faixas de um disco em apenas um tweet? Já pensou na dificuldade de comentar tanta coisa que pode surgir em uma só música em apenas 140 caracteres? Boogarins topou o desafio e cada membro da banda teve a tarefa de contar mais sobre cada uma das canções de seu terceiro e recém-lançado álbum, Lá Vem a Morte, em uma timeline de Twitter fictícia para o Monkeybuzz.

Benke Ferraz, Raphael Vaz, Ynaiã Benthroldo e Dinho Almeida apresentarão as oito faixas do registro em seu show extra em São Paulo no dia 24 de julho pela série Monkeybuzz no Breve, que já teve Raça, O Nó, Ale Sater, M O O N S, Jonathan Tadeu com Vitor Brauer, Mahmed e Glue Trip.

Lá Vem a Morte, Pt. 1

última música a ser finalizada. ricardo spencer na mensagem de amor a arte definitiva. cordas. dinho cantando por áudio de whatsapp no trânsito.

- Benke (@Boogarins)

ricardo spencer emocionado disse tudo que precisávamos escutar, só passamos o recado pra frente

- Raphael (@Boogarins)

O canto introdutório do que vem a ser o mais complexo e simples momentos da vida : A introdução ao fim. Acho lindo sua divisão.

- Ynaiã (@Boogarins)

(sobre partes 1,2 e 3) uma lombra curta/fim de êxtase, que os boy estenderam para espaços inimagináveis, Dj BNK deu a cola.

- Dinho (@Boogarins)

Foimal

melodia daquelas com pacto com satan. lalas arrebenta. interlúdio top também, tanto que resolvemos não gravar voz pra ele. negão e fefel arrebentam.

- Benke (@Boogarins)

melodia belíssima, pra cima com todo o peso; disseram que era tame impala eu não lembrava mais que que isso, talvez foi a última vez #foimal #melhorquetameimpala

- Raphael (@Boogarins)

Massa o movimento que essa música faz. Leva à crer que houve sim uma mudança brusca com o passado e que o futuro é cheio de novos andares.

- Ynaiã (@Boogarins)

não levava essa música muito a sério antes, graças aos amigos ela virou um trem bom de ouvir.

- Dinho (@Boogarins)

Onda Negra

Volta lo-fi, na primeira gravação em placa de 2 canais a ir pro disco desde o “Plantas”. Top 3 refrão do Lalas. Vocal gravado no iPhone.

- Benke (@Boogarins)

guitarra já clássica do amigo Lars quando a música já vem pronta a banda só tenta não atrapalhar - eu juro que eu não vou mais entraaa aar

- Raphael (@Boogarins)

transformação aqui é o produto final dessa experiência. Beat criativo com melodia e letra cativante, dificilmente sai da cabeça do ouvinte.

- Ynaiã (@Boogarins)

Me lembra os tempos de ir na igreja, uns conflito dualista de bom ruim na cabeça gerando ações confusas. Mas tudo isso na baladinha doce.

- Dinho (@Boogarins)

Polução Noturna

Violão (e letras) no melhor estilo Fefel composições. Sons ambiente gravados no quintal da casa em Austin. Beat final é top 5 booga beats.

- Benke (@Boogarins)

deixaram eu cantar uma música inteira só podia falar desse estatuto de gozo desacordado que pode não ser o mais satisfatório mas tbm não dá pra reclamar

- Raphael (@Boogarins)

Acho lindo esse trabalho, onde outra forma de se expressar é posta e de forma tão calma e pura quanto o simples ato de gozar! Adoro ambos.

- Ynaiã (@Boogarins)

raphinha herói, nunca vi ele conseguir convencer quem ouve o trem tão bem quanto nesses verso. Subs delis.

- Dinho (@Boogarins)

Lá Vem a Morte, Pt. 2

A mais tomorrowland. Primeira parte da música feita de sons gravados no iPhone de uma guitarra do dinho e uma batida de caixa na passagem de som em Porto, em 2015.

- Benke (@Boogarins)

benke brincando no celular brincando no computador brincando com lofi disse que ia dar certo e deu

- Raphael (@Boogarins)

Só pra lembrar, lá vem ela again. E a construção das 3 parte da mesma experiência sonora, colocas em partes, distintas porém únicas.

Corredor Polonês

Tocamos ela a primeira vez no show com O Terno no Ibirapuera. Linha de baixo e batera #1 anos 10’s. Arranjo no melhor estilo Boogarins mantras.

- Benke (@Boogarins)

as brincadeiras infantis se estendem por toda a vida, mas ninguém nunca aprende a brincar sem se machucar; ou como nem todo jogo é de alegria, tipo o carretel do netinho do freud

- Raphael (@Boogarins)

Saiu de um groove torto construído no mais íntimo dos lugares em seus primeiros meses e trocas musicais. E a liberdade de escolha. Vai ou ñ?

- Ynaiã (@Boogarins)

às vezes a gente se força a uns trem bem doido. Desejo e vaidade são oásis no deserto do viversecolouco da porra toda.

- Dinho (@Boogarins)

Elogio à Instituição do Cinismo

Primeira música a ser gravada em Austin, testando os prés e compressores, depois de pegar as tracks de uma gravação feita pelo Dinho, o Diogo Valentino e o Bonifrate.

- Benke (@Boogarins)

o modus operandi da nossa eterna decadência pede uma dança desconcertada

- Raphael (@Boogarins)

Essa é a era. A era em que estamos. Corre para um lado, corre para o outro. Busca razão e cura mas a saída é única. A luta e a aceitação.

- Ynaiã (@Boogarins)

“nagréciaantiga,cinismoeraumadoutrinafilosóficaquesecaracterizavacomodesprezototalpelasconvenções sociaiseopniõesgeralmenteaceitss,defendendoavontadedeumavidareta,simplesevirtuosaquerasinonimode felicidade" dicionário que falou

- Dinho (@Boogarins)

Lá Vem a Morte, Pt. 3

Maior legal. Shitty Jazz na sua melhor forma. Estréia mundial de Ynaiã Benthroldo (Macaco Bong/ Boogarins) como vocalista.

- Benke (@Boogarins)

se um verso é bom ele pode ser repetido num eterno shitty jazz; e de bônus a estréia do negão a voz musculosa que grita mas também encanta

- Raphael (@Boogarins)

Palavras de conforto para um recente amargo passado e a conclamação do mais esperado momento do ciclo inicial: o fim.

- Ynaiã (@Boogarins)

Artista: Boogarins

Marcadores: Faixa a Faixa