Aquecimento Dekmantel São Paulo

Showcase do festival holandês acontece neste sábado (30) na capital Paulista

Aquecimento Dekmantel São Paulo

Quem se lembra da primeira edição do festival Dekmantel em São Paulo, que aconteceu em fevereiro deste ano, pode se preparar para matar saudades da pista neste sábado (30). Uma locação com arejados galpões na Avenida Jaguaré, onde rolou a última Gop Tun com Black Madonna, é o cenário escolhido pelo selo holandês para abrigar o showcase com atrações que devem fazer o público dançar até desligarem as caixas de som.

Em clima de aquecimento para o festival, que deve rolar no começo de 2018, artistas como DJ Bone, Shanti Celeste, Interstellar Funk, Palmbomen II, Dekmantel Soundsystem e Legowelt dividem palco com nomes de peso da atual cena eletrônica paulistana no line-up brasileiro.  Gop Tun DJs (Gop Tun) devem surpreender em breve o público com o anúncio da festa de aniversário do selo. Cashu (Mamba Negra) está cheia de tracks garimpadas após temporada em Berlim onde tocou no Berghain. O live poderoso de Pedro Zopelar (In Their Feelings-ODD) deve trazer músicas do seu próximo disco, a ser lançado em breve. Paulo Tessuto (Carlos Capslock MEMNTGN) é garantia de festa animada.

No dia  14 de outubro, é a vez do Rio de Janeiro receber o showcase do Dekmantel, que está percorrendo a América do Sul embalado pelas comemorações de 10 anos da label criadora do festival. Comandam a festa em terras cariocas: Cashu, Carrot Green e Marcel Dettmann, do aclamado selo alemão Ostgut Ton e residente do Panorama Bar Berghain. As cidades de Bogotá, Lima, Medellin e Santiago completam a lista de destinos sul americanos do showcase. .

O Monkeybuzz comenta agora algumas atrações estrangeiras escolhidas pelo Dekmantel.

DJ Bone

Vale a pena se acotovelar na multidão e grudar na grade quando esse cara subir ao palco. Eric Dulan há duas décadas surpreende por discotecar numa precisão que está no mesmo patamar do amor dedicado ao espírito underground. Nascido em Detroit, DJ Bone cresceu ouvindo o lendário programa de rádio local comandado por Electrifying Mojo. Assim, ele viu de pertinho o Techno nascer ao ouvir caras como Jeff Mills e Juan Atkins nos primeiros passos. Começou como DJ no The Love Club (The Shelter) e rapidamente virou residente dos quatro melhores clubes locais nos anos 90. Mentor do selo Subject Detroit, ele prefere negar convites de labels famosas para se manter fiel às suas raízes do techno underground. Avesso aos holofotes, ele ainda mantém um projeto paralelo de sonoridades mais experimentais chamado Differ-ent, criado inicialmente para catalisar através da música a dor que sentia após a perda da sua mãe.

Legowelt

O que você fazia com 12 anos de idade? Danny Wolfers já caçava sintetizadores para colecionar. A partir daí se pode imaginar a potência do live do artista holandês, que tocou recentemente  em formato DJ set na festa ODD em São Paulo. Vale a pena conferir a apresentação, marcada  por tracks do futuro disco Legendary Freaks In The Trash Of Time. O álbum é o primeiro que ele lança desde 2012, previsto para sair em 30 de outubro pela Clone Records. Do Technofunk a Chicago House: seus ouvidos vão agradecer.

Palmbomen II

Kai Hugo mostra ao público brasileiro sua apresentação em formato live, marcada por sonoridades Lo-fi que dão a sensação de estar em décadas passadas. Mas viradas Acid futuristas sinalizam que estamos em 2017. Palmbomen acabou de lançar o  EP Memories of Cindy neste mês pelo Beats in Space Records, e deve garantir o momento mais 420 da noite com uma performance viajante. Palmbomen ainda se destaca ao produzir impecável videoarte para suas tracks com estética VHS.

Shanti Celeste

De origem Chilena, Shanti Celeste começou a tocar aos 17 anos em clubes de Bristol, na Inglaterra, quando entrou na faculdade de artes. Multiartista, ela já foi cantora, estudou música, e hoje pinta à mão as artes do seu próprio selo chamado Peach Discs. Trabalhou por três anos na loja de discos Idle Hands, que mantém um selo homônimo, pelo qual Shanti lançou seu mais recente trabalho Make Time em maio. Dona de uma pesquisa musical profunda em diversas vertentes, os sets de Shanti hipnotizam ao trazer raridades de House, Techno e Electro a ponto de ser difícil classificá-la como especialista em um estilo somente.   
 

Interstellar Funk

Olf Van Elden se tornou o artista queridinho do selo holandês Rush Hour. Afinal, foi atrás do balcão da loja da label em Amsterdam que ele aprimorou suas pesquisas musicais. House viajante faz jus ao nome intergalático do artista, que ainda mantém um programa na Red Light Radio e o selo autoral Tape Records.

Dekmantel Soundsystem

Thomas Martojo e Casper Tielrooij começaram a discotecar em 2007 até criar uma label, que originou o festival Dekmantel em 2013.  A dupla dá uma verdadeira aula nas performances musicais, mostrando sonoridades que podem ir do boogie aos beats africanos entre clássicos do Techno e da House.

Dekmantel
30 de setembro, a partir das 22h
Avenida Jaguaré 1485, São Paulo
Ingressos: goptun.com.br
Informações: Evento no Facebook

Artistas: Interstellar Funk, Shanti Celeste, Dekmantel Soundystem, Palmbomen II, Legowelt, DJ Bone

Marcadores: Dekmantel Festival São Paulo