Dekmantel 2018: O Sambódromo Caiu no Eletrônico

Espaço deu outra cara ao festival, que ainda teve after com lista surpreendente de B2B

Por Danila Moura, 08/03/2018, às 19:09

Fotos: Divulgação

Quem ainda teve forças para encarar a versão noturna do Dekmantel Festival São Paulo, que rolou na noite do dia 04, no Sambódromo do Anhembi, com certeza não se arrependeu. O Night Program rolou num clima bem diferente do Playcenter, céu aberto, uma pista coberta, sem chuvas e com espaço de sobra para dançar.

Na pista principal, roubou a cena a performance da banda TETO PRETO, que encarou inicialmente alguns problemas técnicos no som, que dificultram ouvir a voz da Laura Diaz. Porém, não foi nada que abalasse a empolgação do público,que se rendeu ao grupo numa performance impecável dos músicos integrantes. Rolaram novas composições que mostram uma provável nova fase da banda, com letras contestadoras beirando o Punk em uma pegada mais Noise.

RHR abriu para a banda num set rápido,cheio de beats sincopados e viradas etéreas. Antes disso, Anthony Naples inaugurou o palco em uma apresentação absurdamente dançante, misturando House e Techno. Para fechar, o B2B mais esperado: PalmsTrax com Midland deixou todo mundo com vontade de esticar o rolê.

Na Área 1, uma pista capaz de deixar boquiaberto pelo pé direito alto e os visuais em sintonia com a arquitetura do local. Na pista, fritação e sonoridades pesadas mais voltadas ao Techno, como The Hacker apresentando seu projeto Amato, com doses de EBM. Juju & Jordash entregaram mais um live que é uma aula de como se utilizar drum machines. Lena Willikens pesou mais no som, numa apresentação bem diferentedo B2B que fez com Ivkovic no Playcenter. O DJ Magal, um dos precursores da cena Eletrônica paulistana, dignamente fechou a pista.

Mas as houseiras piraram menos no palquinho da Área 3, quase escondidinho no sambódromo. No comando do som, Cinnaman e Fett Burger deixaram quadris cansados de tanto dançar.

Festa de encerramento

Após a edição de domingo, rolou o after oficial do evento novamente no Sambódromo. O line up foi feito na hora e foi um presente para os guerreiros que conseguiram colar na festa. A escalação entre os dois palcos foi surreal: a chilena Valesuchi, Dekmantel Soundsystem com Gui Scott, Marcel Dettman com Nina Kraviz e Kobosil, Randomer, Courtesy, Marcel Dettman com Antony Parasole. O grand finale foi Danny Daze com Parasole, que só terminou de manhã ainda com pista cheia. Momento histórico.

mais sobre