Metronomy Ao Vivo: O que Esperar da Banda no Lolla 2018?

Show no meio da tarde de domingo pode ser um dos melhores do festival

Por André Felipe de Medeiros, 28/02/2018, às 18:02

O lance hoje é a experiência própria: Sempre curti Metronomy, daí a banda ganhou status de "mozão" depois do show que vi no Popload Festival em 2014 - e creio que não vai ser diferente com parte do público que estiver na tarde do domingo, 25 de março, neste próximo Lollapalooza Brasil.

Com show marcado para 15h10, o grupo britânico periga promover uma festa suave, mas sempre muito divertida, para os que forem curtir a graminha em frente ao Palco Onix, aquele da já famigerada colina do festival. E se você ainda não sabe se vale a pena presenciar esta apresentação, eis algumas das expectativas para o show de Joseph Mount e companhia.

Músicas que conhecemos bem

Já são cinco álbuns lançados pelo grupo, em uma discografia que completa dez anos em 2018 (o que, por si só, é motivo de festa), e os três últimos - The English Riviera (2011), Love Letters e Old Skool são trabalhos bastante celebrados e carregados de pequenos "hits desconhecidos" que ficam muito bem ao vivo, ainda mais com uma pequena multidão cantando junto.

Seja uma versão sem Robyn de Hang Me Out to Dry, o êxtase do refrão de The Bay ou a vibe descompromissada de sons como Night Owl, o que Metronomy trouxer para o palco deve satisfazer os ouvidos de quem estiver chegando ao Autódromo de Interlagos ali naquela hora, com aquela familiaridade de quem passou os últimos anos ouvindo essas músicas em festas e playlists por aí.

Clima animado sem excessos

É o que vemos nos clipes e sentimos nos discos. O quarteto faz música que sabe empolgar, só que sem aquela vibe carregada, quase apelativa, para que todo mundo tire "o pé do chão". Não, cara, a proposta aqui é outra.

Vê se fica mais claro assim: É uma performance que te convida para uma festa em um lounge, beira da piscina ou em um famigerado rooftop, não necessariamente em uma pista escura de balada com um som alto e pulsante que não te dá outra chance a não ser sair dançando. É isso: Um convite simpático, nunca uma intimação.

Dancinhas no palco

Digo isso, mas é uma festa ainda assim, e das boas. Parte disso é causado por vermos como os músicos se divertem enquanto tocam, cheios de sorrisos e dancinhas com os instrumentos a postos - o que vira um pequeno espetáculo a parte.

E isso faz toda a diferença, visto que já vimos shows ali no próprio Lollapalooza que tinham tudo para serem memoráveis, mas a atitude "saco cheio" da banda trouxe uma negatividade difícil de engolir para a tarde do festival (estou olhando para você, alt-j em 2015).

Show de headliner no meio da tarde

No Popload Festival de 2014, que comentei lá no início do texto, Metronomy tinha o lugar de "atração principal" da noite, posto que ocupou com honras, entregando um dos melhores shows daquele ano. Desta vez, veremos a banda ali, no meio da tarde.

Isso quer dizer o quê? Simplesmente que, em um dia que ainda terá Tyler, The Creator, Lana Del Rey e The Killers, os tais "grandes shows" começarão super cedo, e você já terá aquela super experiência de uma grande banda ao vivo desde o começo do domingo - isso se você não sair de lá achando que ele foi o melhor do festival inteiro.

MARCADORES: Lollapalooza Brasil 2018
ARTISTAS: Metronomy

mais sobre