Ouça: Vitor Araújo

Músico lançou o ótimo disco "Levaguiã Terê" em setembro

Ouça: Vitor Araújo

Com apenas 27 anos, Vitor Araújo é dos músicos da nova safra brasileira que honra a tradição de nomes como Villa-Lobos e Tom Jobim. As composições do pianista e multi-instrumentista pernambucano mesclam batidas eletrônicas e percussão do candomblé às teclas do piano. Uma mistura cheia de contemporaneidades e que deixa o ouvinte à vontade para se aventurar num campo misto entre o popular e o erudito.

O mais recente álbum do músico, Levaguiã Terê, lançado em setembro, impressiona pelo modo único como junta todos esses elementos em algo bastante novo, ao mesmo tempo em que traz ecos desses grandes nomes de nossa história. Mas se tratando de música instrumental e ainda por cima com toques experimentais, talvez seja mais fácil ouvir do que ler.

No entanto, a carreira de Vitor não começa neste disco. Muito antes de Levaguiã Terê, o músico foi revelado para a grande mídia como um jovem e promissor talento que tocou um cover bastante inspirado de Paranoid Android (clássico de Radiohead) vestido de calça jeans, camiseta e um tênis. Uma atitude ousada quando se pensa que ele vinha de um ambiente erudito, seja quanto à vestimenta ou quanto ao repertório.

Os anos se passaram e o talento do músico só aumentou, assim como seu desejo de inovar em sua música. Com o tempo, ele lançou dois discos (sendo o segundo deles o ótimo A/B, de 2012), além de aparecer no DVD da banda também pernambucana Seu Chico, que faz versões das músicas de Chico Buarque. Todos esses momentos e conquistas trouxeram Vitor até seu momento mais criativo e hábil.

“Desde sempre foi uma coisa com que me encantei bastante e sobre a qual queria fazer um trabalho”, diz o músico sobre suas referências do Candomblé e continua: “Vários aspectos foram mudando à medida que eu criava o álbum; o processo em si foi se tornando muito mais amplo do que isso, e o candomblé virou apenas um dos elementos do disco, mas a base fundadora foi essa”.

Sobre outras referências, ele diz: “Além da orquestra sinfônica e da sessão percussiva, usamos muito das nossas influências da música experimental, principalmente a europeia, a inglesa”. Vitor ainda cita bandas e músicos como Sigur Rós, Mogwai, Animal Collective, James Blake e The Knife como algumas de suas influências. Dá pra ver bem de onde veio tanta inspiração para criar um disco como Levaguiã Terê.

O músico fará a sua primeira apresentação deste álbum em 25 de novembro no Auditório do Ibirapuera. Mais informações no evento oficial do show no Facebook.

Artista: Vitor Araújo

Marcadores: Ouça