Ouça: Laure Briard

Cantora francesa chega ao Brasil para série de sete shows em quatro estados

Ouça: Laure Briard

A francesa Laure Briard começa a viver nesta quarta, 30 de agosto, uma experiência que poucos músicos estrangeiros conseguem ter, uma série de sete shows no Brasil, passando por quatro estados diferentes. Isso se deu através de uma amizade com a banda Boogarins, que ajudou a abrir as portas para que a turnê acontecesse. Em uma conversa com o Monkeybuzz, ela contou mais sobre o papel que as amizades com outros músicos tem em sua carreira, assim como comentou mais de seus discos e de seu trabalho como um todo.

"No início, eu cantava as músicas que meu ex-namorado escrevia, era apenas a intérprete. Era legal, mas eu queria mais", contou ela, "queria escrever, queria compor, mas eu não sabia como". Quando o namoro acabou, veio com ele a necessidade de fazer música: "Eu precisei me expressar. Escrevi [o disco] Révélation (2015) em uma época muito difícil, eu estava muito envolvida emocionalmente com ele e isso me deu inspiração. Meus amigos músicos me encorajaram e ofereceram ajuda. Como os admiro muito, falei ‘posso tentar’, e foi assim que tudo começou".

Laure vem da cena de Toulouse, cidade no sul da França que, segundo ela, tem visto um cenário musical crescente nos últimos cinco anos. Com seu trabalho, ela fez amizade com outros artistas franceses de outros locais, como Melody's Echo Chamber e Moodoïd, e as turnês por outros países renderam ainda mais contatos. No caso de Boogarins, tudo aconteceu em shows entre o México e os Estados Unidos no início deste ano, quando ela já havia lançado seu segundo álbum (Sur la Piste de Danse, 2016).

Fã da música brasileira, principalmente a dos anos 1960 (o que dá para notar em faixas como Je Vole), seu contato com a banda de Goiânia serviu também para trocas de referências - "Benke [Ferraz, guitarrista] me manda músicas sempre, eu ouço mais coisas antigas, mas quero descobrir novas" - até o ponto em que ela decidiu sentar e escrever uma música em português, Janela, que será apresentada em primeira mão nos shows no Brasil.

"Gosto de trabalhar com meus amigos, por isso muitas das músicas do disco eu não escrevi sozinha", conta Laure, "gosto de compor algo e mostrar a eles, ver como eles trabalham o som. Gosto de compartilhar a música" - e melhor ainda é a oportunidade de realizar essa troca também com o público, em um show que, segundo ela, é "às vezes Pop, às vezes Psicodélico", com um fim "mais Punk Rock" com as músicas do primeiro disco. No geral, podemos esperar a atmosfera intimista e retrô com que ela trabalha nos álbuns e clipes.

No Brasil, Laure Briard passa por São Carlos (SP)(30 de agosto, no GIG), Uberaba (MG)(01º de setembro, Laboratorio 96), Uberlândia (MG)(dia 02, Nosso Trampo), Goiânia (GO)(no dia 03 como abertura para Carne Doce no Immerse, e dia 07 no Complexo), Brasília (DF)(08, Groselha) e São Paulo (SP)(09, SESC 24 de maio).

Artista: Laure Briard

Marcadores: Ouça, Entrevista