50 Melhores Faixas de 2014

Saiba quais foram as músicas favoritas da redação do Monkeybuzz neste ano

5,225 total views, 1 views today

Sempre unindo faixas internacionais e nacionais na mesma lista por acreditar que na hora de ouvir música, não fazemos distinção, chegamos a mais uma lista de melhores faixas do ano. Desta vez, por ficarmos felizes com o resultado, decidimos publicar as 50 melhores e não apenas as 25 primeiras.

Ao final da lista você encontra uma playlist com as faixas e também as listas individuais, com os dez primeiros colocados na preferência de cada redator do Monkeybuzz.

Neste ano, nosso especial é um oferecimento da Leaf | Óculos em Madeira

Leaf

50 Melhores Faixas de 2014

50. Jungle – The Heat

49. BadbadNotGood – Can’t Leave The Night

48. Kendrick Lamar – i

47. ODESZA – Say My Name (feat. Zyra)

46. Johnny Marr – The Trap

45. José Gonzales – Every Age

44. Woods – With Light And With Love

43. MOVEMENT – Ivory

42. Transmissor – Mais Quente Do Que Se Quis

41. FKA Twigs – Two Weeks

40. The Autumn Defense – Why Don’t We

39. Owen Pallet – The Riverbed

38. Thiago Pethit – Romeo

37. Grimes – Go (feat. Blood Diamonds)

36. RL Grime & What So Not – Tell Me

35. Simple Minds – Honest Town

34. Caribou – Can’t Do Without You

33. Câmera – Lost Cause, I Surrender!

32. The Soundscapes – Boys ‘n’ Girls

31. Sia – Chandelier

30. Criolo – Convoque Seu Buda

29. Gorgon City – Here for You

28. Lana Del Rey – West Coast

27. Beck – Blue Moon

26. Foster the People – Pseudologia Fantastica

25. Alt-J – Left Hand Free

Após o primeiro disco, todos se perguntaram o que Alt-J poderia criar para não soar repetitivo dentro de um estilo tão particular que eles criaram. A resposta veio com Left Hand Free.

24. Sharon Van Etten – Afraid Of Nothing

Apenas uma das onze faixas que poderiam estar aqui representando a sinceridade e a profundidade com que Sharon Van Etten expôs seus sentimentos em Are We There.

23. Craft Spells – Nausea

Em uma faixa que sintetiza o conceito do disco, Craft Spells une alucinação, beleza e existencialismo por meio de sintetizadores e reverbs.

22. The Kooks – Forgive & Forget

O que começa como uma baladinha em vozes e guitarra vira um musicão funkeado de banda inteira, todo o corpo e muita alma. Ouça bem alto.

21. Mark Ronson (com Bruno Mars) – Uptown Funk

Quando a música acaba de tocar, você percebe que era exatamente isso que você sempre quis ouvir em uma música Pop, mas nunca tinha percebido.

20. Ariel Pink – Put Your Number On My Phone

Talvez a faixa mais acessível de seu novo disco, é a prova desnecessária da qualidade de Ariel Pink como compositor Pop por trás de todas as suas experimentações e bizarrices que tanto amamos.

19. Real Estate – Crime

Simplicidade e beleza fazem a combinação musical da banda ser deliciosa. Ensolarada do começo ao fim, a faixa é a grande balada de Atlas.

18. Adult Jazz – Am Gone

Como um encontro entre Alt-J e Dirty Projectors, a banda tem um som único e é dessa unicidade que nasce a faixa experimental mais acessível do ano.

17. Keaton Henson – Elevator Song (feat. Ren Ford)

A paisagem sonora urbana se mescla à poesia abstrata da música instrumental num clima, ao mesmo tempo, delicado e intenso. Aqui, piano e violoncelo concentram a beleza romântica de Keaton Henson.

16. RUA – Ortopedia

A saudade bate e a gente apanha não por masoquismo, mas porque é disso que todos somos feitos, da lembrança do que já passou um dia por nós.

15. Todd Terje – Johnny and Mary

A união do produtor norueguês com o vocalista do Roxy Music é sexy, certeira e acessível. Encaixa-se dentro de um enérgico e rápido disco ao diminuir seu ímpeto fazendo o ouvinte sonhar paralisado

14. Angelo de Augustine – How Past Begins

Não demora para você sentir-se à vontade com a melodia. No momento em que relaxa, contudo, ela toma forma livre e coloca qualquer um pra sonhar com sorriso no rosto e lágrimas nos olhos.

13. O Terno – O Cinza

A gangorra de volumes da faixa imita a resposta bipolar que tanto temos em São Paulo: É a animação melódica por se estar em uma grande metrópole e o peso carregado e pulsante pelo mesmo motivo.

12. Damon Albarn – Everyday Robots

Provavelmente a faixa que define muitos de nós atualmente: robôs que andam por aí com seus celulares, desconexos do mundo mas conectados ao mesmo tempo. Simples, melancólica e necessária.

11. Mac DeMarco – Chamber Of Reflection

Resume bem toda a sensibilidade Pop de Mac Demarco, sabendo incluir cada rima e cada nota no lugar perfeito para criar uma boa música. Além disso, é prova de sua versatilidade estilística, saindo levemente do Rock e partindo para uma balada de Synth Pop simples e sentimental como poucas que ouvimos neste ano.

10. Interpol – All The Rage Back Home

Interpol

Faixa é abre alas de El Pintor e o momento em que o ouvinte pode falar: “Interpol está de volta!”. A canção traz os elementos consagrados da sonoridade da tríade e os soma a elementos presentes somente nesse registro. Um belo exemplar do Rock em 2014.

09. Warpaint – Love Is To Die

Warpaint

Melodias envolventes, vozes sedutoras e uma aura libidinosa marcam a progressão lenta e sensual da faixa, uma das melhores já produzidas pelo quarteto. Carro chefe de seu novo álbum, a música fascina e conquista o ouvinte em seus quase quatro minutos.

08. Holger – Café Preto

Holger

Se nos pedissem anualmente para explicar para um gringo o que é a música brasileira contemporânea, o primeiro single de Holger teria ótimas chances de representar o ano de 2014 sob nosso ponto de vista. Viciante, mas não enjoativa, Café Preto tem uma brasilidade muito particular, fácil de perceber e difícil de explicar.

07. Temples – Mesmerise

Temples

O encontro da nova psicodelia com o Rock tipicamente inglês rendeu uma das faixas mais potentes do ano. Dona de uma lisergia Pop, a canção, guiada por guitarras alucinantes e vozes reverberantes, mescla seus momentos mais irriquietos com outros parcimoniosos.

06. Oliver Wilde – Play and Be Saved

Oliver Wilde

O britânico nunca soou tão megalomaníaco e animado, trazendo as maiores características que já conhecíamos (e admirávamos) em seu som para uma formação de banda com violino e as pirações na guitarra de sempre. O resultado é tão cativante quanto grandioso.

05. Flying Lotus – Never Catch Me (feat. Kendrick Lamar)

Flying Lotus

O melhor momento do ano de Kendrick Lamar é a chave fundamental dentro da excelente obra de Flying Lotus. Colérica, experimental, jazzística, raivosa, rápida, a faixa transforma batidas e rimas em aliteração, em movimento e traz a sensação de eterna liberdade. Desapegada e livre em instrumentação e espírito, é o single que qualquer rapper ou produtor desejaria.

04. Sun Kil Moon – Carissa

Sun Kil Moon

A abertura do devastador Benji apresenta o ambiente que estaremos adentrando nas próximas canções, com relatos sobre coisas mundanas, tristezas e tragédias. Ao fim, nos tornamos tão próximos de seus personagens que é impossível não se emocionar.

03. Onagra Claudique – Teses Taxistas

Onagra Claudique

Retrato dos dias de hoje, esta faixa do primeiro registro do duo paulistano consegue expor de forma inteligente e inquietante as desventuras de nossa vida cotidiana. Emoldurada pelas vagas e expressas conversas com taxistas, ela se constrói entre as barbaridades ideológicas e discursos pré-fabricados dos tais “bárbaros mansos”.

02. Chet Faker – Talk Is Cheap

Chet Faker

Não foi com uma música dançante que o australiano decidiu apresentar seu primeiro álbum, Built on Glass, mas com uma balada emocionada que começa com um timbre bem orgânico. Quando as batidas aparecem, já temos claro que “sintética” é a menos relevante das características da faixa, que sabe ser sexy e melancólica na mesma medida, explorando também o belo e carismtático vocal do músico.

01. The War On Drugs – Under The Pressure

The War On Drugs

Percebo que há dois tipos de faixas que costumam conquistar o topo das listas de melhores do ano. O bom single que todo mundo cantou (como é o caso do segundo lugar da lista), ou a faixa épica, de tirar o fôlego, normalmente com mais de seis ou sete minutos. Qualquer uma das escolhas faz muito sentido, mas fico feliz que aqui no Monkeybuzz, nos últimos anos, tenha prevalecido a segunda opção.

Neste ano, Under The Pressure cumpre de maneira indiscutível o papel de representar tal grupo de canções ambiciosas. Empolgante do começo ao fim, ela parece estar acima de qualquer discussão de estilo ou de influências, é apenas uma música muito boa. Ela é bela e perfeitinha o suficiente para agradar fãs de música mais conservadores, mas autêntica e exótica a ponto de ser muito contemporânea.

É para encontrar faixas assim que continuamos ouvindo discos completos. É também por causa disso que a produção independente tem importância fundamental na música atual, onde dificilmente uma canção neste perfil se encaixaria em moldes de mercado. Enfim, Under The Pressure é o exemplo que torna inevitável o uso de clichês como “dispensa apresentações” ou “só ouvindo para entender” e é a nossa música favorita de 2014.

Listas Individuais

André Felipe de Medeiros



  1. Mark Ronson (com Kevin Parker) – Daffodils
  2. Oliver Wilde – Play and Be Saved
  3. O Terno – Desaparecido
  4. Temples – Mesmerise
  5. Chet Faker – Talk Is Cheap
  6. Holger – Café Preto
  7. Lana Del Rey – West Coast
  8. Rua – Ortopedia
  9. Alt-J – Left Hand Free
  10. Interpol – All the Rage Back Home

Carlos Eduardo Lima

  1. Beck – Blue Moon
  2. Bryan Ferry (ft.Todd Terje) – Johnny And Mary
  3. Simple Minds – Honest Town
  4. The Autumn Defense – Why Don’t We
  5. Transmissor – Mais Quente Do Que Se Quis
  6. Johnny Marr – The Trap
  7. Morrissey – Istambul
  8. Manic Street Preachers – Between The Clock And The Bed
  9. Ryan Adams – Let Go
  10. Pink Floyd – Louder Than Words

Gabriel Rolim

  1. Onagra Claudique – Teses Taxistas
  2. Flying Lotus feat Kendrick Lamar – Never Catch Me
  3. Holger – Jurema
  4. Chet Faker – Talk is Cheap
  5. Real Estate – Crimes
  6. José Gonzales – Every Age
  7. Damon Albarn – Lonely, Press Play
  8. Todd Terje – Delorean Dynamite
  9. Warpaint – Loves is to Die
  10. Ruido/mm – Inconstantina

Lucas Cassoli

  1. Flying Lotus – Never Catch Me
  2. Warpaint – Love Is To Die
  3. Temples – Mesmerize
  4. FKA Twigs – Two Weeks
  5. Sun Kill Moon – Carissa
  6. Craft Spells – Nausea
  7. The War on Drugs – Under the Pressure
  8. Mac Demarco – Chamber of Reflection
  9. Tobias Jesso Jr. – Hollywood
  10. Grouper – Made Of Air

Lucas Repullo

  1. Holger – Café Preto
  2. The War On Drugs – Red Eyes
  3. Ariel Pink – Put Your Number On My Phone
  4. Grimes – Go
  5. RUA – Ortopedia
  6. Woods – With Light And With Love
  7. Sun Kil Moon – Micheline
  8. Chet Faker – Talk Is Cheap
  9. Sharon Van Etten – Afraid Of Nothing
  10. Future Islands – Seasons

Nik Silva

  1. Oliver Wilde – Play and Be Saved
  2. Interpol – All The Rage Back Home
  3. Soundscapes – Boys ‘n’ Girls
  4. Flying Lotus – Never Catch Me
  5. Onagra Claudique – Teses Taxistas
  6. Angelo de Augistine – How Past Begins
  7. Kendrick Lamar – i
  8. Adult Jazz – Am Gone
  9. Warpaint – Love Is To Die
  10. Sun Kil Moon - Carissa

Pedro Ascar

  1. Chet Faker – Talk is Cheap
  2. Gordon City – Unmissible
  3. RL Grime & What So Not – Tell Me
  4. Sia – Chandelier
  5. MOVEMENT – Ivory
  6. ODESZA – Say My Name
  7. Dillon Francis – We Make it Bounce
  8. Karol Conká – Minha Lei
  9. The Kooks – Forgive & Forget
  10. Zeds Dead feat. Twin Shadow – Lost You

Roger Valença

  1. Keaton Henson – Elevator Song
  2. Oliver Wilde – Play & Be Saved
  3. The War on Drugs – Under the Pressure
  4. Owen Pallet – The Riverbed
  5. Mac Demarco – Chamber of Reflection
  6. Damon Albarn – Everyday Robots
  7. Jungle – The Heat
  8. Angelo de Augustine – How Past Begins
  9. Afghan Whigs – Algiers
  10. Temples – Mesmerise

    5,226 total views, 2 views today

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.