Foxygen Impressiona Mesmo Exagerando nas Brincadeiras

Banda foi uma das primeiras a tocar no domingo e mostrou toda a qualidade do projeto, entre as piadas intermináveis de Sam

1,573 total views, 3 views today

We Are The 21st Century Ambassadors of Peace & Magic, do duo Foxygen é um dos grandees lançamentos do ano até agora e um dos top três em minha lista pessoal. Após ter perdido por duas vezes o show no SXSW em março, não podia deixar o mesmo acontecer desta vez.

Cheguei cedo ao festival no domingo, a banda seria uma das primeiras a se apresentarem, no auge do calor infernal de Chicago. Felizmente, a banda chegou na hora marcada e iniciou um dos mais aguardados shows do final de semana, pelo menos para mim.

A primeira decepção foi ver uma formação bem menor da banda, do que havia visto brevemente em Austin, desta vez, a banda veio desfalcada por quatro ou cinco pessoas, além da ausência de qualquer mulher, o que já me fez imaginar que San Francisco não estaria no repertório. O show começou muito bem, e a épica On Blue Mountain, um dos grandes destaques do ano foi a escolhida como primeira faixa.

Tecnicamente perfeita e com um Sam mais performático do que nunca, botando toda sua alma na execução, tornando a música, um dos grandes momentos do final de semana. A banda toda realmente gira em torno das maluquices de Sam, que vestia uma calça de pijama e uma camiseta suja e manchada, propositalmente ou não. As duas faixas seguintes foram Make It Known, destaque do primeiro EP da banda e poderosíssima ao vivo, momento que todos cantaram junto, e a ótima In The Darkness, que abre o disco mais recente.

Entre uma faixa e outra, Sam escalava o palco, se jogava no chão, batia sua guitarra em todos os lugares e corria sem rumo por aí. Tudo isso realmente era dispensável e ao invés de deixar o show interessante, ficou parecendo um grande teatro, que constrangia companheiros de banda, público e organização. Os pontos altos da banda sempre ficavam mesmo na execução de todas as músicas, ótimas, acrescentando a emoção necessária em uma apresentação ao vivo e potencializando o ótimo disco. O setlist não ficou completo sem No Destruction e San Francisco, entre outras, mas o tempo era curto e Sam pareceu ter preferido preenchê-lo com brincadeiras.

Em suma, Foxygen provou sua qualidade como banda, como projeto e como músicos. Em seu disco, a influência de um certa época é claríssima e propositalmente presente, como Sam e Jonathan fazem sempre questão de ressaltar, já que não se interessam por nomes recentes da música. Porém, copiar a atitude de palco de nomes como Jim Morrison daquela época, parece não fazer mais o mesmo sentido, espero que os garotos consigam amadurecer e continuar com o que fazem de melhor. Achei importante ressaltar estes pontos negativos, mas agora acho bom reforçar mais uma vez, que a parte musical do show, foi realmente excelente e mesmo com as interrupções, Foxygen conseguiu tirar aquele arrepio da espinha da maioria dos presentes.

1,574 total views, 4 views today

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.