Kaiser Chiefs dá show de empolgação e simpatia no último dia do Lollapalooza

Ricky Wilson e companhia mostraram que sabem fazer uma apresentação de tirar o fôlego – seja o da plateia, ou o da própria banda

1,723 total views, no views today

Fotos: Fernando Galassi / Monkeybuzz

Eu conhecia já a fama da banda pelas suas apresentações incrivelmente entusiásticas e inflamadas, mas realmente não esperava ver nem metade do que aconteceu no ótimo show do Kaiser Chiefs. Ricky Wilson não é só um vocalista, ele é um frontman completo que parecia querer garantir que todo mundo que estivesse assistindo a apresentação da sua banda curtisse ao máximo a experiência.

Não por menos, ele corria de um lado para o outro, brincava com a câmera (para quem estivesse assistindo de longe pelos telões ou até mesmo pensando em quem via o show no conforto de sua casa o visse melhor), jogava a microfone e meia-lua para o alto, escalava a armação do palco ou a torre de iluminação (que ficava bem longe do palco) e acima de tudo tinha um carisma como ninguém mais apresentou nos três dias do festival. A sua missão de fazer todo mundo curtir, até mesmo que não conhecia nada da banda, foi cumprida exemplarmente em dos shows mais divertidos do domingo.

Como se isso não fosse o bastante, Ricky tentou por diversas vezes falar em português e se comunicar o quanto era importante para banda estar aqui novamente. Sempre muito simpáticos, este era mais um meio da banda conquistar a empatia do público.

E mesmo sem todas as firulas e a simpatia de Wilson, você provavelmente iria curtir bastante o show, já que ele foi basicamente conduzido pelos grandes hits acumulados durante os mais de dez anos de banda. Daquelas faixas que conhece, nem que seja por osmose?

Never Miss a Beat e Everything Is Average Nowadays abriram a chuva de hits que ainda contaria com Na Na Na Na Naa, Everyday I Love You Less & Less, Modern Way, The Angry Mob e avassaladora trinca final com Ruby, I Predict a Riot e Oh My God. Se por um lado o grupo não tocou muito de seu mais recente disco (somente Little Shocks) aproveitou sua uma hora de set para despejar um grande número de hits.

As estripulias de Ricky Wilson e a simpatia ímpar da banda conseguiram superar os problemas de som (principalmente para quem estava mais para trás e de frente para o palco ouvia o baixo e bateria estourando) e fizeram deste um dos pontos altos do domingo. E, é claro, comprovaram que tudo o que se fala sobre os shows do grupo não é à toa.

1,724 total views, 1 views today

Autor:

Desde criançaa apaixonado por música, consumidor compulsivo de hamburguer e chato