Pixies: Velhos Professores, Eternos Mestres

Banda mostra que seus hits ainda são icônicos entre os fãs mais velhos e em novas gerações

1,562 total views, no views today

Fotos: Mila Maluhy

Em um clima muito parecido com o de sua última apresentação no país, Pixies fez um daqueles show que se direcionam muito bem a dois públicos, sem privilegiar nenhum. Tanto fãs de carteirinha da banda, que sabem todas as faixas de todos os discos, como fãs que conhecem apenas os hits tiveram uma experiência para ficar na memória nesta edição do festival. Ainda que o grupo não estivesse na sua formação original, a performance das músicas e a escolha do setlist foi feita de tal forma que a ausência de Kim Deal não pareceu algo tão gritante.

De maneira muito tímida, os integrantes subiram ao palco e já chutaram o balde com a clássica música Bone Machine, de seu imortal primeiro disco, Surfer Rosa. Da onde estávamos, era possível ver a multidão pulando incessantemente e com versos meticulosamente decorados, mostrando que a nação “pixiana” no Brasil não estava lá para brincadeira. Pelo telão, foi possível perceber a presença de vários famosos, como Supla, que havia feito um show no festival um tempo antes, e Kibe, um dos criadores do canal de humor no YouTube Porta Dos Fundos.

Como dito antes, o quarteto é bem tímido. As únicas interações com o público se fizeram no começo do show (com aquele famoso “Hey, Brasil”) e no final com uma singela despedida. Entre estas duas frases, o show da banda contou com músicas de todos os discos, porém com um enfoque maior em seus dois maiores sucessos: o já citado Surfer Rosa e Doolittle. Músicas de seus últimos EPs não foram esquecidas e, por mais que não tenham sido seus melhores trabalhos, vimos que a banda tratava estas composições com o mesmo amor e apreço que a de seus discos clássicos, assim como o público que cantou Indie Cindy e Blue Eyed Hexe com força.

Mas, não teve jeito, os hits da banda foram os que encantaram a todos. Monkey Gone To Heaven, Here Comes Your Man e Where Is My Mind foram os maiores destaques, com momentos em que era possível ouvir os falsetes da baixista sendo ecoados pela multidão. O que também foi surpreendente foi ver que a idade não venceu ainda os berros de Black Francis. Em vários momentos, ouvíamos o público pirando quando ele puxava toda a sua força para berrar e enlouquecer os fãs.

O que fica é um show que mata a saudades. Ouvir estas músicas de um grupo tão influente (ainda que com formação incompleta) é simplesmente icônico. Tem gente que acha que é deprimente vê-los velhinhos. Nós pensamos diferente: Foi como ver professores mais velhos ensinando como fazer um show imortal para os fãs mais velhos e um ótimo evento de apresentação para novas gerações.

1,563 total views, 1 views today

ARTISTA: Pixies

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.