Suede: Dos anos 90 para os palcos do Brasil

Prepare-se para um dos shows mais históricos do Planeta Terra com um dos “pais” do Britpop

 2,699 total views,  1 views today

Suede certamente é a banda mais importante de todas as que integram o line-up deste Planeta Terra Festival 2012. Talvez um pouco desconhecida pela geração 00’s devido ao seu período de hiato entre 2003 e 2010, muito devido ao fracasso comercial de seu último disco, A New Morning de 2001, Suede é, no entanto, um dos grupos britânicos mais importantes de todos os tempos, sendo um dos precursores e consolidadores do Britpop nos anos 90. Portanto, deve ser um dos shows mais comentados e disputados do festival desse ano.

Formado por Brett Anderson, Bernard Buttler, Mat Osman e Simon Gilbert,o grupo já ganhara notoriedade nos meios especializados após o lançamento de três singles, The Drowners, Metal Mickey e Animal Nitrate antes mesmo do seu debut em 1993. Após o sucesso de crítica e de público, e um belo contrato assinado, Suede já era considerado pela imprensa britânica como “ a melhor banda nova do Reino Unido” O hype estava sendo criado e, quando o álbum homônimo saiu, ele se tornaria o disco mais vendido no primeiro dia em quase dez anos na região e venceria o famoso prêmio britânico Mercury Prize no mesmo ano.

Com os singles lançados anteriormente, além do novo So Young, a banda alcançava o topo das paradas com um disco que teve sua capa polêmica, em que duas pessoas andrógenas se beijam, deixada de lado. Com um som misturado entre Glam Rock e Britpop, ajudava a empurrar o segundo genêro, que já tinha Blur e posteriormente Pulp e Oasis, para o mainstream. Em 1994, o grupo se afastaria um pouco do genêro para lançar o seu disco mais cultuado, Dog Star Man.

No entanto o processo criativo intenso e as diversas discussões entre o vocalista Anderson e o guitarrista Buttler acabariam levando o segundo a sair da banda. É nesse disco que contém talvez o melhor trabalho do grupo, apesar de seu menor sucesso comercial. Canções como We Are The Pigs, New Generation e The Wild Ones se tornariam clássicos instantâneos.

Foi no entanto com seu terceiro álbum em 1996, Coming Up, que o grupo alcançaria o seu maior sucesso. Com cinco singles entre os top 10 no Reino Unido, dentre eles Trash e Stay Together. Considerado pelo grupo como menos obscuro e mais Pop, devido a entrada do tecladista Neil Codling, se tornaria o disco mais vendido de sua carreira, obtendo boa recepção na Europa e na Ásia, e que levaria o Suede a ser headliner do Reading Festival em 1997.

Head Music em 1998 se tornaria um divisor de águas do grupo. Nele, letras menos inspiradas e um foco maior em sintetizadores e teclados do que em guitarras acabariam levando uma divisão de opinões a respeito da obra. No entanto, esse seria o último trabalho do grupo a se tornar um número um na Inglaterra. O fraco sucesso posteriormente de A New Morning levaria ao hiato que durou até 2010.

A volta aconteceria em um show na famosa casa londrina Royal Albert Hall, para um concerto de caridade histórico. Algumas pequenas turnês pela Europa retomariam à volta do do grupo, que em 2011 fez um elogiadissimo concerto no Coachella Festival. Agora, no Planeta Terra, os fãs de música terão a oportunidade de ver, e talvez conhecer, um dos novos dinossauros do Rock. Assim como em outras edições do festival as quais procuraram trazer nomes históricos para tocar por aqui como Jesus and Mary Chain, Devo, Sonic Youth e Pavement, o Suede é uma atração imperdível que deve constar no seu roteiro de shows.

 2,700 total views,  2 views today

ARTISTA: Suede
MARCADORES: Planeta Terra 2012

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.