2013 em Pauta: Rock

Fatos, estreias e discos que mais marcaram o ano e que provavelmente ficarão marcados nos próximos anos como o que de melhor aconteceu em 2013

2,545 total views, 2 views today

O fim do ano já chegou, assim como a hora de olhar pra trás e reviver um pouco do que de melhor aconteceu em 2013. Isso vale para todos os aspectos de nossa vida e, é claro, vale para a música também. Nesta semana, traremos resumos do que melhor aconteceu dentro dos estilos musicais que mais se destacaram neste ano, apontando os melhores lançamentos, estreantes mais promissores e os fatos que marcaram esse ótimo ano.

Para começar, o Rock será nosso primeiro gênero abordado. 2013 foi um ano para nenhum fã do estilo botar defeito: Ótimos novatos surgindo, bandas antigas ressurgindo ou continuando seus trabalhos e muitos lançamentos incríveis dentro do nosso bom e velho Rock & Roll.

Fatos mais marcantes

Rock Retrô

Mais um ano se passou e o Rock tem se apegado ao que já foi feito dentro do próprio gênero para criar suas obras. Esse fenômeno, que vinha ganhando cada vez mais força desde o começo dos anos 2000, culminou em 2013 gerando obras que, em sua grande maioria, resgatam sonoridades típicas de alguma das últimas seis décadas passadas e as readapta aos dias de hoje – então, não precisa ir muito longe para perceber isso, basta ver nossa lista de estreias (nesta retrospectiva) e perceberá que ela está cheia de bandas assim.

Isso pode ser visto também com o resgate ao Indie Rock noventista pelo Yuck, Loomer, Waxahatchee e outros tantos; ao Rock sessentista com O Terno, Foxygen e Unknow Mortal Orchestra; e ao Rock (bem Pop) filho de Fleetwood Mac com Haim e The Preatures, entre tantos outros exemplos desses revivals.

Talvez a época em que a música pare de olhar para trás ao caminhar para frente esteja acabando, mas certamente 2013 não demonstrou pistas que isso acontecerá em um futuro tão breve assim. Pelo que tudo indica, por mais algum tempo, ainda veremos música referencial sendo feita por novos e velhos artistas.

Bons Festivais e Shows

Para os amantes do estilo, 2013 foi um prato cheio de bons shows, seja nos palcos dos mais diversos festivais ou nas casas shows. Representantes dos grandes nomes internacionais e dos novatos e já consolidados brasileiros mostraram do que são capazes em ótimas apresentações.

Dos grandes nomes gringos, destacaram-se Paul Banks trazendo seu repertório solo ao país, Stephen Malkmus and The Jicks mostrando seu Indie Rock noventista, Tame Impala voltando ao país um ano depois de sua primeira apresentação por aqui, agora com disco novo, e os animados shows de The Wombats e The Vaccines, além do Rock contemplativo de bandas como Explosions In The Sky e Tortoise. Sem contar, é lógico, mais uma passagem de Paul McCartney pelo país.

Dos nomes brasileiros, muitas estreias de discos. O quarteto radicado na Itália Selton veio apresentar o seu mais novo em uma pequena turnê pelo Brasil, Jair Naves, Apanhador Só, Móveis Coloniais de Acaju, Garotas Suecas e Boogarins também mostraram seus respectivos novos discos em ótimas apresentações pela capital paulista.

E, por último, os festivais trouxeram ótimos nomes, como Pearl Jam, Queens of The Stone Age, The Killers, Franz Ferdinand, Alabama Shakes, Flaming Lips, Kaiser Chiefs e tantos outros no Lollapalooza; Kate Nash e Magic Numbers no Cultura Inglesa; O Terno, Blur, Beck, Palma Violets no Planeta Terra Festival; Autoramas, John Mayer e Bruce Sprinsteen no Rock In Rio; além de Dave Matthews Band e Incubus no Summer Break Festival.

Brasileiros em Destaque

Fazia um bom tempo que eu não via tantos bons lançamentos nacionais em um só ano. Bandas como Apanhador Só, Nevilton, Lupe de Lupe, Vespas Mandarinas, Guri, Audac, Cérebro Eletrônico, Boogarins lançaram ótimos discos e movimentaram o mercado interno e a cena brasileira como um todo.

Vale lembrar que não somos só nós, os brasileiros, que estamos consumindo nossa própria música, afinal Vespas Mandarinas e Nevilton foram indicados ao Grammy Latino. Além disso, algumas das bandas citadas acima já estão com malas prontas e datas marcadas para se apresentar fora do país.

Melhores estreias

Não sei como vamos nos lembrar de 2013 daqui a alguns anos, mas musicalmente alguns nomes ficarão marcados em nossas memórias. Para os fãs do Rock, principalmente para os do braço mais psicodélico do gênero, este foi um bom ano. Continuando no rastro aberto por Tame Impala no ano passado, muitos novos nomes, como os goianos do Boogarins, os norte-americanos do Foxygen e não exatamente representantes da Psicodelia, mas com um dos pés fincados no estilo, Peace também mostrou a que veio. Mas não foi somente o estilo que foi bem representado pelos novatos, o Post-Punk (com Savages) e o Rock Brasileiro típico dos anos 80 (com Vespas Mandarinas) ganharam destaque neste ano e é bem possível que em 2014 veremos mais alguns novos artistas seguindo por estes caminhos.

Boogarins

Foxygen

Peace

Savages

Vespas Mandarinas

Discos mais relevantes

Fazer esta lista não foi nada fácil, talvez ainda mais difícil que a de estreias. De certa forma, ela reflete um pouco do que estará em nossa lista de melhores discos do ano, porém se restringe a um número menor de lançamentos e um microcosmo bem específico. Ainda que em tese guarde o mesmo propósito, ela tenta mostrar o que daqui a 10 ou 20 anos vamos nos lembrar como grandes lançamentos de 2013. Portanto, nos restringir a estes tais grandes lançamentos era imprescindível.

Apesar destes cinco nomes não traduzirem tudo o que aconteceu durante 2013, eles foram alguns dos lançamentos mais esperados e lembrados durante todo o ano.

Arcade Fire – Reflektor

David Bowie – The Next Day

Vampire Weekend – Modern Vampires of the City

Queens of The Stone Age – …Like Clockwork

The National – Trouble Will Find Me

2,546 total views, 3 views today

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts