5 em 1: Holograms por suas influências

O som deste quarteto sueco pode ser dissecado em cinco bandas inglesas da década de 80 de vertentes como Post-Punk, Punk e Rock Gótico

 3,082 total views

Quase uma década após o movimento revivalista do Post-Punk explodir por Nova York, um grupo se destacou não por seguir os ensinamentos daquelas bandas que deram novo fôlego ao estilo, mas por realmente trazer de volta ao presente a sonoridade dos principais nomes Post-Punk vindos lá dos anos 80. Não que grupos como Interpol, Radio 4 e Yeah Yeah Yeahs também não tenham se inspirado nos grandes ícones do gênero, mas certamente não o fizeram da mesma forma com que Holograms fez em seus dois álbuns lançados até agora.

Este quarteto sueco traz um som bem clássico (dentro do Post-Punk), simples, pesado, cheio de tensão e sem muitas frescuras, todas as marcas registradas do estilo (ou melhor, dos estilos) com que a banda brinca em toda sua curta obra. Se você ouviu Holograms e Forever sabe muito bem do que estou falando. Se você ainda não teve contato com a banda, agora é a hora, mas não de um jeito convencional. Vamos buscar nas principais influências sonoras destes jovens de Estocolmo tentar entender como elas ganham forma nesta proposta do grupo.

Gang Of Four

O seminal grupo inglês foi um dos principais pilares sobre o qual o gênero foi construído e, não à toa, aparece em peso na formação sonora do Holograms. A simplicidade nas construções melódicas, a bateria quase sempre frenética e ótima presença do baixo são os elementos que mais aparecem na re-reformulação que os suecos fazem do típico som inglês.

Buzzcocks

Mais uma referência inglesa do quarteto é o som Punk de outro quarteto, Buzzcoks. Apesar de soar muito como uma banda de Post-Punk, o estilo pai deste também desempenha um grande papel da sonoridade do quarteto. É claro que aqui estamos falando dos primeiros lançamentos dos ingleses, aqueles mais acelerados e cheios de energia.

Joy Division

Pois é, não tem como sair de uma conversa sobre Post-Punk sem que Ian Curtis e Joy Division apareçam, não é? Ainda assim, o grupo de Curtis aparece também como uma grande influência no som do Holograms, principalmente nas temáticas em que isolamento, desolamento e depressão aparecem em peso. Em extensão, os teclados e sintetizadores do New Order também aparecem em das faixas dos suecos.

Wire

Mais uma vez trazendo o Punk como ingrediente primordial de sua sonoridade, a simplicidade e abrasividade de Wire desenvolve um papel importante na sonoridade do quarteto escandinavo. A crueza de muitas faixas, principalmente vistas no em Holograms, se aproxima muito do que é ouvido na obra do grupo inglês (principalmente em seu debut, Pink Flag) – sem contar os refrãos cantados em vocais bem excêntricos.

Bauhaus

Rock Gótico? Sim, Peter Murphy e companhia entram como o último item em nossa lista de referências sonoras do Holograms. O tom obscuro das faixas, guiado também pela lírica muitas vezes depressiva, tornam Bauhaus um dos principais pilares na sonoridade do grupo sueco – além é claro do teor Post-Punk proposto pelos ingleses já estar impregnado em todas as faixas dos recentes lançamentos do quarteto.

O resultado de toda essa fusão de sonoridades inglesas pode ser vista em seu máximo potencial em Holograms, debut do quarteto, lançado no passado. Doze faixas de um revival que mesmo assim consegue se manter atual e que foi continuado, talvez de forma um pouco mais datada, mas ainda assim muito boa, em Forever, lançado no começo de setembro.

 3,083 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts