A Carreira de Beck em 5 Canções

A música alternativa foi marcada nas últimas duas décadas com os sons desse músico norte-americano, considerado por alguns um dos grandes talentos do nosso tempo. Comprove seu talento em cinco de suas mais conhecidas faixas

6,837 total views, no views today

A versatilidade de Beck tem lhe dado diversos superlativos ao longo de sua carreira, dos títulos de “melhor álbum do ano” aos de “músico mais criativo do nosso tempo”, e garantido sua presença na composição e/ou produção de discos de vários outros músicos ao longo de quase 20 anos desde seu primeiro lançamento (a fita – sim, fita – Loser em 1993).

Como sua produção parece ininterrupta, tamanha é a frequência com que saem músicas feitas por ou com ele, seja a trilha de algum filme ou uma cover, por exemplo, decidimos que é uma boa parar alguns minutinhos e lembrar cinco músicas que marcaram sua carreira até agora – ou conhecê-las, caso você ainda não esteja inteirado em sua obra, mas fica o aviso que é capaz de você reconhecer uma ou mais delas, que já ouviu alguma vez em algum lugar sem saber que era dele.

Loser

Depois de anos tocando sua música nas ruas e em pequenos bares, a rádio KCRW em Los Angeles tocou a canção em um de seus programas em 1993 e fez nascer a popularidade de Beck. As gravadoras e selos o procuravam com contratos e ele teve a chance de analisar cada proposta e escolher a que mais lhe interessava, que foi a da Geffen Records, que oferecia bem menos dinheiro que as outras, mas total liberdade na hora de criar. A música foi relançada no ano seguinte em seu primeiro álbum pelo selo, Mellow Gold.

Where It’s At

1996 viu nascer Odelay, um dos lançamentos mais celebrados daquela década e presente até mesmo em algumas listas de melhores discos de todos os tempos. Ele foi produzido pela celebrada dupla The Dust Brothers, que já tinha trabalhado, por exemplo, com Beastie Boys. Seu Rock Alternativo que mistura Hip Hop com sons eletrônicos, Lo-fi e um quê de Trip Hop conquistou as multidões e foi platinado em mercados como o norte-americano, canadense e britânico. Este foi o primeiro single do disco e seu clipe foi amplamente divulgado pela MTV.

Tropicalia

Fã de música brasileira, o músico tratou de fazer um álbum que explicitasse suas referências tupiniquins. O resultado foi Mutations (1998), batizado em homenagem à banda Os Mutantes, no qual o tropicalismo e a Bossa Nova são incorporados aos som já múltiplo que Beck sempre fez. Ouça Tropicalia, que resume bem sua intenção com esse lançamento, que foi produzido pelo mesmo Nigel Gogrich.

Go It Alone

O novo milênio começou muito bem para Beck. O disco Sea Change (2002), novamente com Godrich no comando, fez suas pazes com suas influências Folk e é tido como um dos favoritos dos fãs. Pouco depois, em 2005, o músico voltou a trabalhar com os Dust Brothers no álbum Guero, que traz, além de um sampler de Vinicius de Moraes (em Missing), esta parceria composta com Jack White – que também toca baixo na faixa.

Chemtrails

Modern Guilt, o mais recente disco de Beck, foi lançado em 2008 com a produção do grande Danger Mouse e colaborações de Cat Power. Apontando para ainda mais direções em seu som e seu vocal, o músico comprovou mais uma vez sua versatilidade e sua capacidade em fazer boas composições que trabalham diversas influências e o colocam entre os grandes nomes da música contemporânea. Ouça abaixo o primeiro single tirado desse álbum.

6,838 total views, no views today

ARTISTA: Beck
MARCADORES: Redescobertas

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.