A Viagem Retrô pelos clipes de She & Him

Contamos um pouco da trajetória da dupla através de seus vídeos que sempre carregam a mesma estética “envelhecida” de sua música

 4,818 total views

Certas bandas são simplesmente impossíveis de não se conhecer, seja pela sua própria música ou por fatores externos ao principal fator do grupo existir. O duo norte-americano She & Him é um ótimo exemplo de uma banda que se construiu e se popularizou em pouquíssimo tempo exatamente por ter como um de seus membros uma atriz que tem um apelo muito grande com o público Indie. Sim, estamos falando de Zooey Deschanel, que mesmo antes de começar a cantar ao lado de M. Ward, já atuava em filmes como Quase Famosose O Guia do Mochileiro das Galáxias, além de outras tantas participações em séries e animações.

Completando e criando o outro polo da dupla, está M. Ward. Um cantor, guitarrista e produtor com um extenso background musical, que já seus lança discos solo desde 1999. Uma de suas obras mais recentes é o conciso e complexo A Wasteland Companion, que traz bastante da vibe de sua banda, mas que explora outros tantos caminhos dentro do Indie Pop.

O som produzido pelo duo é basicamente dividido entre a lírica fofa/esquisita da moça e os arranjos vintage de Ward. Esse encontro gera uma sensação de ouvir uma estação AM ao dirigir um velho carro em meio a uma estada californiana. O que aumenta ainda mais essa sensação nostálgica são os clipes produzidos pelo duo e é a partir deles que vamos contar um pouco a trajetória da banda de 2008 até hoje, quando estamos prestes a ouvir seu novo disco:

Why Do You Let Me Stay Here?

Esse foi o começo de tudo. A partir deste singelo clipe em que Zooey morre (mais de uma vez) se originou todo o burbirinho, que antecederia o lançamento do disco Volume One e que persiste até os dias de hoje. Um segundo vídeo foi lançado no ano seguinte, esse com ajuda de Joseph Gordon-Levitt, que foi feito para promover 500 Dias Com Ela, filme em que os dois contracenam. Uma curiosidade é que esta canção é na verdade um cover de Smokey Robison, um cantor e compositor de R&B que fez grande sucesso nos anos 60.

In The Sun

Esse foi o segundo vídeo oficial da dupla. Ele veio para acompanhar o segundo disco de Zooey e Ward, Volume Two, lançado em março de 2010. O clipe se passa em uma típica escola norte-americana e mostra os dons de atriz e dançarina da moça, que encarna uma espécie de stalker inocente. Enquanto isso, Matthew, que interpreta o bad boy da trama, fica calado e vê a moça dançando por toda parte enquanto o persegue pela biblioteca, salas de aula e o ginásio da escola.

Thieves

Esse clipe retirado do segundo single de Volume Two consegue personificar muito da proposta da banda. A estética vintage, as temáticas amorosas e aura fofa/estranha da dupla, são todas transpostas para um clipe que podia facilmente roteirizar uma das comédias românticas vividas pela moça.

Don’t Look Back

Mais uma vez o retrô está presente nos vídeos da dupla. Esse é o terceiro e último clipe para o segundo disco da dupla e vem para deixar realmente clara a proposta vintage da sonoridade de Zoey e M. Ward. Porém desta vez, o vídeo se passa em um universo retrô-futurista, no que parece ser como imaginavam o futuro nos anos 60.

Baby, It’s Cold Outside

Esse é mais um cover feito pela dupla, mas desta vez para um disco natalino, lançado em dezembro de 2011. O clipe, feito em animação, foi lançado um ano mais tarde e mostra a versão cartunesca do duo que protagoniza situações divertidas em um ambiente gélido. Mais uma vez o invólucro retrô está presente – nas canções do álbum e no vídeo, é claro.

Para este ano, temos ainda o novo disco do duo, chamado Volume 3 e que é esperado para o dia 7 de maio. Pelas prévias que foram lançadas até agora, é bem provável que a sonoridade, bem como os clipes, continuem como sempre foram: Retrô e um misto entre a fofura e as estranhezas de Zooey Deschanel.

 4,819 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts