A vida após a morte de Amy Winehouse

Um ano após o seu falecimento, a cantora ainda vive em lançamentos – tanto os que já chegaram às lojas, quanto outros que ainda estão por vir

5,605 total views, no views today

Há exato um ano, perdemos um dos maiores nomes da música contemporânea: Amy Winehouse faleceu de forma prematura aos 27 anos de idade. Ela nos deixou um legado incontestável, dentre o qual seus dois discos estão entre os melhores produzidos na última década. Antes de partir, a cantora nos deixou muito material que vem até nós das mais diversas fontes.

Mesmo passado todo esse tempo após sua morte, ainda ouvimos falar bastante de moça e vemos o quanto ela foi importante para o ressurgimento do Soul no mainstream e como fomentou o crescimento do Neo Soul e de novos artistas desse gênero. Sem ela, é muito provável que hoje não conheceríamos nomes como Janelle Monáe e Mayer Hawtorne.

Tirado do baú como “tesouros escondidos”, o disco póstumo Lioness: Hidden Treasures, lançado no fim de 2011, é na verdade um misto de raridades, lados B, covers e faixas não terminadas. Esse é um registro bem mais alegre e positivo que o sombrio Back to Black (2006) e traz algumas versões diferentes de músicas já famosas, como uma versão do single Valerie, outra de Garota de Ipanema e um lindo dueto com seu maior ídolo, Tony Bennet, na faixa Body and Soul.

Há algumas semanas, Nas divulgou um dueto gravado pouco tempo antes dela morrer. Cherry Wine está presente no novo disco do rapper, Life Is Good, lançado em Julho. Os dois já haviam trabalhado juntos antes e há uma música em Lioness: Hidden Treasures em que o músico solta sua voz ao lado de Amy. Fora isso, em maio, o Ex-Libertine Pete Doherty deu pistas do seu novo álbum e disse que vai usar trechos encontrados no material deixado pela artista na música Bird Cage.

O icônico disco Back to Black vai ganhar como homenagem uma regravação feita por diversos artistas convidados, influenciados ou não pelo seu trabalho. A iniciativa da Q Magazine vai trazer nomes como The Cribs, The Temper Trap e Manic Street Preachers para prestar o tributo à moça.

Outra boa notícia para seus fãs é que o pai da moça divulgou que existe material suficiente para mais dois discos com raridades e covers serem lançados. Mesmo sem nenhuma data prevista para essa ideia ver a luz do dia, ela já deixa quem gosta de seu trabalho curioso e ansioso pelo lançamento. Uma das faixas que pode entrar para esses trabalhos é a versão de No More Jazz N’ Blues, um b-side do álbum Frank (2003) lançado hoje, no aniversário de sua morte.

A carreira de Amy Winehouse sempre foi cheia de altos e baixos e os escândalos nos quais se envolvia acabavam por desviar a atenção do que ela realmente sabia fazer: música. Sem essas distrações, o trabalho da cantora continua ecoando ainda hoje e sua vida pós-morte continua muito badalada – o que nós adoramos.

5,606 total views, 1 views today

ARTISTA: Amy Winehouse

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts