Alguns (poucos) motivos para você comemorar os 10 anos de “Youth & Young Manhood”

Além da data em si, veja mais algumas razões para ouvir e comemorar o primeiro disco do Kings of Leon

 4,186 total views

No dia 7 de julho, a primeira obra dos irmãos Followill (e um primo) completa seus 10 anos. Pois é, já faz uma década desde que Youth & Young Manhood chegava às prateleiras britânicas. Sim, somente às britânicas; o disco seria lançado na terra-natal do quarteto somente no dia 19 do mês seguinte.

Mas se a data por si só não é ainda um bom convite para comemorar ao som do primeiro álbum do Kings of Leon, nós vamos te dar mais alguns deles:

KOL

Gravado no Sound City Studios

Sabe o tão falado estúdio onde foram concebidos álbuns como Nevermind, do Nirvana, e Rumours, do Fleetwood Mac, e que recentemente ganhou um documentário gravado por Dave Grohl? Então, os quatro garotos Followill gravaram grande parte de seu primeiro disco neste histórico estúdio e ao que parece muito da crueza e excelência que emana daquelas paredes impregnam no quarteto, gerado seu melhor registro até hoje.

Disco em que as influências sulistas estão à flor da pele

Se você está acostumado com os hits como Sex on Fire ou Use Somebody, saiba que um dia o quarteto já foi altamente influenciado pelo Southern Rock e artistas como Lynyrd Skynyrd, The Allman Brothers Band e ZZ Top. Esse misto rendeu ao grupo um som frenético e pungente que também flertava com momentos mais dóceis, mas ainda assim carregados das influências de um Rock bem caipira. Happy Alone, Joe’s Head, Trani, Dusty e até mesmo Molly’s Chamber não negam essas raízes e seu “pé sujo”.

Rock Retrô

Bom, certamente eles não foram pioneiros nessa de trazer algo mais vintage ao mainstream. Mas ao lado de bandas como The Strokes e Interpol, ajudaram, lá no começo dos anos 2000, a alavancar algo que seria visto em peso durante o resto de década (e que ainda hoje é uma tendência). Mesmo que fossem perdendo essas características mais rústicas do Rock sulista, esse foi um importante ingrediente na formação deste álbum e também ascensão do estilo durante os primeiros anos da década em que foi lançado.

Seu produtor, Ethan Johns

Por mais que o disco tenha sido co-produzido por Angelo Petraglia, foi Ethan que lapidou a bruta pedra que era a sonoridade do quarteto antes desse lançamento – e se você ouvir o EP Holy Roller Novocaine, lançado alguns meses antes, vai perceber isso. O cara que já tinha na bagagem produções de Ryan Adams e Rufus Wainwright, após o lançamento de Youth And Young Manhood, trabalharia com nomes como Ray LaMontagne, Ben Kweller, Razorlight, Laura Marling (inclusive no ótimo Once I Was an Eagle) e The Vaccines (em Come of Age), além de produzir Aha Shake Heartbreak, segundo disco dos Followill.

Seus singles

 4,187 total views

ARTISTA: Kings of Leon
MARCADORES: Aniversário

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts