Apostas Monkeybuzz 2013

Entre novatos e outros mais novatos ainda, arriscamos nossos palpites para os nomes que brilharão no mundo da música ao longo do ano

 6,472 total views

Mais um ano começa e, com ele, vem uma nova onda de bandas, estilos e movimentos que marcarão 2013. Ainda é cedo, mas já arriscamos alguns palpites dos nomes que brilharão no mundo da música durante os próximos doze meses. Alguns deles já são velhos conhecidos nossos, outros já são familiares para alguns – como a banda Daughter (foto) – que tem tudo para ganhar mais espaço e público muito em breve, enquanto outros são completos novatos prestes a serem descobertos. Por mais arriscado que seja apostar desde já quais os sons que mais ouviremos ao longo do ano, temos certeza que ficar de olho nestas bandas e cenas não nos trará arrependimentos.

Queens of The Stone Age e o Rock barulhento

O bom e velho Rock não fica de fora de nossa lista, na qual escolhemos nomes que são especializados em uma coisa: fazer muito barulho. Sendo assim, um dinossauro moderno encabeça nossa lista quando o assunto é o Rock and Roll: Queens of The Stone Age.

Para muita gente, um dos discos mais aguardados para este ano é o de Josh Homme e sua turma, que voltam aos estúdios depois de mais de cinco anos sem material inédito. Muito já se falou a respeito dessa obra e de como ela soará com a volta de Dave Grohl às baquetas e com a participação de Nick Olivieri e Trent Reznor em algumas faixas, mas a expectativa só aumenta quando se vê no calendário da banda que um de seus primeiros compromissos do ano é aqui no Brasil, no Lollapalooza que acontece no fim de março. Portanto, é bem possível que veremos muitas das novidades nesse show.

Outra de nossas apostas, FIDLAR, está às portas de lançar seu primeiro disco, que irá às prateleiras no dia 22 de janeiro. Em um som misto entre Punk, Surf Rock e Lo-Fi você vai encontrar neste quarteto de Los Angeles energia de sobra, guitarras furiosas e, é claro, muito barulho.

Das mesmas redondezas, vem a dupla de garotas Deep Vally que com seu som rasgado e empoeirado vem deixando muito marmanjo de boca aberta. Lindsey Troy e Julie Edwards tem como principais influências bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath, White Stripes e Black Keys, que são reconhecidas através dos riffs poderosos e da potencia sonora que saem de seus instrumentos.

Pop

Pode parecer estranho que uma de nossas apostas seja o Pop, mas lhes asseguro que não é. Mesmo dentro da Música Alternativa, há grande espaço para o estilo, que, já em 2012, vem se firmando através de ótimos singles e EPs de novos artistas que conseguem trazer aos maneirismos da música radiofônica e estritamente comercial novos ares e tirá-la da estagnação.

Sob olhar mais atento, você perceberá que grande parte da “inovação” da música Pop contemporânea vem na verdade da “periferia musical” que não tem medo em experimentar e testar novas sonoridades e técnicas em suas composições. Então, creio que o sucesso que esses nomes farão em 2013 vai ser importante para os novos rumos da música comercial daqui a alguns anos, mesmo que estejam fazendo um som muito diferente ou que não participem dessa parcela que vai tocar nas grandes rádios.

Nossa primeira aposta dentro deste nicho é o jovem inglês Dan Croll, que faz um mistura classuda entre o novo e velho, sabendo dosar muito bem os níveis de saudosismo e inovação. Suas músicas já parecem vir destinadas a atingir as pistas de todo o mundo, mas também podem embalar sua corrida matinal ou até mesmo um momento de ócio – e é essa versatilidade tão grande que faz de Dan um artista tão promissor. Segundo o cantor, veremos seu primeiro disco solo em 2013, ainda sem data ou mais detalhes, mas já nos deixa com grande expectativa.

O projeto experimental de Marcela Vale, que recebe o nome de Mahmundi, fez um bom barulho durante 2012 e, já em seus primeiros passos, conseguiu se lançar como um dos bons nomes para se prestar atenção neste ano. Marcela faz uma mistura impecável entre o som oitentista feito no Brasil e tendências atuais, como a Chillwave e o Pop Eletrônico.

Entre os nomes que já vinham se destacando desde o ano passado e que já prospectam para este ano novos lançamentos estão a dinamarquesa e sua sonoridade híbrida entre os extremos do retrô e da novidade, os irmãos Natalie e Elliot Bergman e seu som vintage no Wild Belle e ainda há espaço para a recém-reinventada Sky Ferreira, que agora trilha caminhos mais palpáveis e certeiros que em suas primeiras faixas.

Daughter e o Minimalismo

Fazer muito com pouco é uma tarefa dificílima e os poucos bem sucedidos que se aventuram por este caminho conseguem de fato de destacar. Em 2012, tivemos a presença marcante de James Blake e o novato XXYYXX e outros nomes se projetarão dentro do estilo em 2013.

Já faz algum tempo que Elena Tonra e sua banda vem se destacando no circuito alternativo por seu minimalismo tocante, chegando a participar de festivais como SXSW e CMJ (que servem como termômetro para novos artistas que vão ou não despontar fora do “mundo indie”). Essas elogiadas apresentações só reforçam todo o potencial que Daughter tem para se tornar um dos grandes nomes de 2013 – e a boa notícia é que vem álbum novo por aí.

Ainda no campo do minimalismo, dois outros nomes se destacaram. O primeiro deles também vem das terras inglesas e se destaca por trazer uma mistura muito interessante de entre Música Erudita e Pop usando o mínimo de elementos. É claro que falamos de Laura Mvula que já em 2012 lançou um incrível EP, intitulado She. A tendência é a moça dar continuidade ao seu trabalho e produzir mais alguns lançamentos para este ano.

Nossa terceira aposta dentro do estilo é um duo que também começou a soltar seus primeiros singles em 2012 e vem causando frisson não só entre os fãs do gênero. Metade sueca, metade canadense, Rhye tem sonoridade etérea, desacelerada e um quê de sensualidade que são altamente irresistíveis.

R&B

Desde os anos 90 que o R&B não via uma explosão tão grande em novos nomes e representantes que estão levando o sexagenário estilo de volta às paradas. Um fator interessante desses novos artistas é conseguir trazer ao estilo uma nova roupagem, mas sem perder suas raízes. Então espere ver pitadas de Música Eletrônica e Hip Hop/Rap nos novos representantes do gênero.

Não tem como falar do novo R&B sem citar o duo inglês AlunaGeorge, que desde 2012 vem conquistando seu espaço e fãs ao redor do globo. Aluna Francis e George Reid constroem uma mistura cativante que será posta à prova em seu primeiro disco, Body Music, previsto para este ano, mas ainda sem data de lançamento.

A jovem sueca Ellinor Olovsdotter já vem há algum tempo assumindo o nome de Elliphant para disponibilizar suas criações musicais na Internet. Com certa frequência a moça acerta em cheio em suas criações, que já são comparadas como o encontro entre M.I.A e Diplo e, nesse meio termo nada usual, ainda há espaço para embarcar o Pop em suas composições.

Música Eletrônica

Como uma espécie de irmão mais novo do LCD Soundsystem, o quarteto australiano Mitzi tem uma sonoridade vintage que remete a ritmos dançantes, como Disco e Funk, e um quê de psicodelia em suas batidas e sintetizadores. O grupo lançou um pequeno EP no ano passado e já promete para este um disco novinho, ainda sem data, mas que promete fazer muita gente sair dançando por aí.

Nossa outra aposta no campo eletrônico também vem das terras australianas. O jovem produtor Harley Streten, de apenas 21 anos, que assina suas criações e remixes como Flume já há algum tempo, promete mais material novo para 2013. O músico foi posto à prova no fim do ano passado no festival norte-americano CMJ e em uma série de apresentações pelo país, que foram muito bem recebidas por crítica e público. Portanto, vale a pena ficar ligado para o disco de estreia do cara, que irá às prateleiras no dia 18 de fevereiro.

 6,473 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts