As Dez melhores faixas bônus de 2012

The Shins é uma das bandas que lançaram discos nesse ano e, além do repertório oficial, nos presentearam com uma música a mais

3,643 total views, no views today

As faixas bônus sempre existiram no mercado fonográfico como uma forma de presentear os fãs ou somente de expor mais uma música que não entrou no disco. Com a Internet, o acesso a elas ficou muito mais fácil e hoje em dia você pode comprar um álbum pelo iTunes Store ou por outro serviço on line e levar uma dessas músicas como brinde, ou ainda adquirir somente a tal música a mais.

Essas bonus tracks podem ser covers, lados-b ou músicas que não entraram para o disco na edição final da obra, mas que ganham uma segunda chance em sua reedição. Mas, às vezes, elas são tão boas que deveriam de fato fazer parte do álbum. Vários dos discos lançados este ano já tiveram suas versões “estendidas” divulgadas. Conheça algumas delas

1 – Best Coast – Mean Girls

Esta música vem como um presente para os fãs xiitas da banda que repudiaram a mudança na produção e na sonoridade da banda em The Only Place. Mean Girls é mais uma daquelas baladinhas sentimentais que só Bobb Bruno e Bethany Cosentino sabem fazer e quem gostava daquele ar Lo-Fi do primeiro disco pode se deliciar com ele aqui.

2 – Grimes – Angel

O terceiro disco de Claire Boucher causou tanto impacto por basicamente dois motivos: trazer um aspecto mais humano à música eletrônica e também pela figura excêntrica de Grimes. Angel poderia facilmente ter feito parte de Visions, uma faixa bem curta que poderia entrar no lugar da estranha Infinite Love Without Fulfillment que abre o álbum.

3 – Dry The River- Hammer

Assim como em Shallow Bed, em que todas as músicas trazem uma grande carga de sentimentalismo e melancolia, Hammer trabalha muito bem esse lado do Folk. A faixa se apresenta menos grandiosa em arranjos, mas tão potente e tocante quanto as que estão na primeira edição do disco. Com um violão marcante e belas harmonias vocais, ela mostra uma simplicidade e crueza dignas de um bom registro do gênero.

4 – The Shins – The Waltz Is Over

A viagem da banda rumo à nova década mostrou-se tão boa e produtiva que no porto sobraram algumas músicas que a banda resolveu mostrar em uma reedição de Port of Morrow. Longe de ser um hit como Simple Song ou de ser tão tranquila quanto Fall of ’82, The Waltz Is Over é uma baladinha ao som dos pianos e palmas que embalam a bela composição cantada por James Mercer.

5 – Hot Chip – Doctor

Sabe aquelas músicas que destoam completamente do álbum, mas que somariam muito se estivessem presentes nele? É a impressão que se tem com Doctor. A música com tons caribenhos traz o mesmo misto de Indie Rock com Música Eletrônica presente em In Our Heads, mas com uma vibe muito mais festiva (e com uma ótima percussão).

6 – Howler – Horrowshow

Essa parece uma tentativa de trazer a sonoridade de Jordan Gatesmith e sua turma para um campo mais Pop. Horrorshow é bem diferente de tudo que se viu em America Give Up, a simplicidade e crueza que se via nas composições do disco continuam, mas ela ganha um ritmo dançante que foge de tudo que o Howler produziu até agora.

7 – Alabama Shakes – Heavy Chevy

Se você é um fã ou fuçou pra encontrar mais coisas da banda depois do lançamento do impecável Boys & Girls, já deve saber que essa não é uma música nova. Heavy Chevy é, na verdade, uma canção que fazia parte de um dos primeiros EPs do grupo, mas que não entrou no disco. Por sorte, ele veio como bônus e podemos (re)lembrar essa ótima música que traz um vigoroso Rock & Roll vintage.

8- First Aid Kit – Wolf

A Suécia não sabe só revelar bons nomes no Pop: o Folk do país não fica atrás e vem de lá um dos nomes mais celebrados do estilo nos últimos anos. As irmãs Johanna e Klara Söderberg, que formam a First Aid Kit, lançaram nesse ano seu segundo registro, The Lion’s Roar. O disco, que conta com ótimas composições, revelou mais uma como bônus.

9- Garbage – What Girls Are Made Of

Not Your Kind of People ganhou um versão cheia de bônus que poderiam facilmente compor um pequeno EP só com “sobras”. Umas das que mais se destacam no meio delas é What Girls Are Made Of, que tem todos os elementos que consagraram a banda (a voz sombria de Shirley Manson, a mistura de sonoridades do cenário alternativo dos anos 90 e incríveis guitarras do duo Steve Marker e Duke Erikson) em um tom um pouco mais atual. Com certeza, um ótimo presente para os fãs da banda.

10 – Fiona Apple – Largo

Assim como as faixas de The Idler Wheel Is Wiser Than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do, que remetem muito ao começo da carreira da moça, Largo é uma daquelas que se encaixariam perfeitamente em Tidal (1996), seu primeiro disco. Em uma baladinha simples levada pelo piano e pela voz de Fiona, a música não apresenta muitas surpresas a quem ouviu o novo álbum, mas ainda assim é uma grande faixa.

Faixa Escondida – Alt-J – Hand-Made

Esse não é exatamente um bônus, mas uma música escondida (ou hidden track). Tirada do ótimo disco de estreia do Alt-J, An Awesome Wave, ela é um prêmio para quem não pausou o álbum ou mudou de faixa após o término de Taro (a última faixa). Assim como os interlúdios que dão um respiro à obra, o poslúdio a fecha num tom ameno e simplório.

3,644 total views, 1 views today

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts