Baths, Sensibilidade e Juventude

Uma experiência pessoal com “Cerulean”, estreia do produtor de Los Angeles

 1,814 total views

Sabe aquele disco lançado há algum tempo que você carrega sempre com você em iPod, playlist e coração, mas ninguém mais parece falar sobre ele? A equipe Monkeybuzz coleciona álbuns assim e decidiu tirar cada um deles de seu baú pessoal e trazê-los à luz do dia. Toda semana, damos uma dica de obra que pode não ser nova, mas nunca ficará velha.

Baths – Cerulean (2010)

O que mais gosto da coluna Fora de Época é a possibilidade de falar de um álbum sem ter que analisá-lo a fundo, com o compromisso de sempre em informar e apresentar uma opinião ao leitor. Aqui, a responsabilidade é maior, pois mais do que falar do álbum, estamos falando do impacto que o mesmo teve em nós, ou seja, nós somos o objeto do texto e por mais assustador que isto seja, dá uma tranquilidade maior ao escrever, sabendo que não existe um certo ou errado e nem ninguém precisa concordar ou discordar.

Vejo muito dessa mesma “falta de responsabilidade” em Cerulean, primeiro álbum do produtor Will Wiesenfeld em seu projeto Baths. Sempre gostei de música, obviamente, e assim como Cosmogramma, de Flying Lotus, foi um dos meus primeiros contatos com uma música que pode ser considerada mais Experimental, o trabalho do artista de Los Angeles foi minha primeira audição de um disco também, de certa forma, bastante ousado, mas feito por um jovem de 21 anos, sem grandes certezas musicalmente.

Faixas como Aminals, Lovely Bloodflow e Maximalist – minhas preferidas – parecem ser uma extensão da percepção e dos sentimentos de Will e consequentemente, ao ouvi-las, nos puxam a sentirem junto com a música. As batidas são uma mistura de elementos sintéticos, som da natureza e um vocal delicado, que se mistura com o restante dos sons.

Ceruleans é um disco ótimo para esta coluna, justamente por não existir para ser descrito, nem analisado e sim para ser sentido. Isso também não significa que é melhor que os outros, ou mais especial, é um convite a experimentarmos mais a música, além da hype ou de qualquer pré conceito com um artista ou uma banda. Pessoalmente, este foi o papel que a estreia de Baths teve em minha “trajetória musical”, abriu minha cabeça ainda mais não apenas para artistas novos como para estilos, sons e jeitos novos de ouvir música.

 1,815 total views

ARTISTA: Baths
MARCADORES: Fora de Época

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.