Beat Scene: O eletrônico criativo californiano

Formada em Los Angeles, cena aparece com forte criatividade dos produtores, como Co.fee(foto), que trabalham com a experimentação inovativa

2,013 total views, no views today

Beat: Uma sucessão de unidades constantes; batidas rítmicas; pulsações

Uma cena musical muitas vezes acaba surgindo em virtude de um momento político, cultural, social, geográfico, ou simplesmente surgem. É o que parece acontecer, com a ainda recente, desconhecida e em fase de desabrochar Beat Scene de Los Angeles.

No início dos anos 2000, em Los Angeles, costa oeste dos Estados Unidos, começavam a surgir artistas que compunham a partir de experiemntações baseada fortemente em samples. Com base eletrônica, a cena é fundamentada pela forte criatividade dos produtores que compõe a partir de samples gravados a partir dos mais cotidianos sons, como palmas, ondas, skates e de trechos de canções retiradas de vinis aleatórios que são garimpados pelos músicos. Um de seus principais nomes da cena, Alfred Darlington, que assume o nome artistico Daedelus, foi um dos pioneiros a se aventurar pelos beats. Por volta de 2001, o “estilo” começava a ganhar seus primeiros representantes e que logo a seguir ganharia uma casa

Inaugurado em 2006, o club Low End Theory – que, como curiosidade, possui Flying Lotus como residente – se tornou um dos principais pontos de encontro da sonoridade da cena tanto para os entusiastas quanto para os artistas, que ganhavam palco – ou melhor dizendo, pickups – para seus trabalhos, divulgando-os e dando maior representatividade para o underground estilo. Com um dia reservado para nomes como o já citado Daedelus, Co.fee, Juj, Shlomo, MNDSGn entre outros, que misturam bases de IDM, Acid Jazz, Hip Hop e seus toques experimentais, e que fazem o estilo ganhar atenção pela sua conexão de estilos sólidos e já conhecidos, começaram a ganhar destaque.

Ainda em processo de firmamento, e principalmente de descobrimento do mainstream, a cena – que para alguns artistas não é, e assim então não pode ser chamada de cena- surgiu de uma maneira espontânea e sem motivo aparente (inclusive para as próprias figuras que a compõem tornando-se uma incógnita o real motivo dessa convergência de artistas para uma mesma forma de se trabalhar a música eletrônica com o experimentalismo criativo.) Ainda batendo na tecla da criatividade, pode se afirmar que essa seja a principal característica artística desse movimento underground, e assim nos fazendo ficar de olho nos próximos passos – passos esses que podem ser gravados e usados como sample em uma próximas faixas da cena.

Discografia

DaedelusInvention

Co.feeEasy Listening

JujSlack

ShlohmoCamping

MNDSGnNoMaps

2,014 total views, 1 views today

MARCADORES: Beat, Estilos, IDM

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).