“Black Panther, The Album”: A Música Inspirada pelo Filme

Produzida por Kendrick Lamar, trilha sonora chega como um momento de celebração

 3,142 total views

Pantera Negra (Black Panther, 2018), filme dirigido por Ryan Coogler baseado nas histórias do super-herói da Marvel, acontece como a celebração de um momento histórico. A onda de protestos recentes da identidade afroamericana – dos quais o movimento Black Lives Matter e o boicote ao Oscar de 2016 são exemplos – mostra como, nos últimos anos, a celebração da cultura negra transcendeu o seu papel político e agora reflete na camada cultural da sociedade.

Na música, é possível citar Lemonade, de Beyoncé ou Starboy de The Weeknd, como álbuns de Pop que, longe de serem militantes, nascem sob essa mentalidade. No cinema, Pantera Negra, super-herói cujo nome coincide com o de um dos mais importantes movimentos da história dos EUA, é a epítome deste novo momento.

Inspirado pelo movimento Afro Punk, o filme vem no recente tsunami de histórias de super-heróis no cinema. Pantera Negra conta a história de T’Challa, o rei da nação de Wakanda, hiper desenvolvida tecnologicamente por conta do metal Vibranium. Se no cinema cabe a Chadwick Boseman incorporar a figura mítica do líder herói, na música a tarefa fica por conta de Kendrick Lamar.

E quem melhor para representar esse papel hoje do que Lamar? Black Panther The Album Music From And Inspired By é um trabalho que emana a aura do rapper. Este, após ser convidado pelo diretor para compor algumas faixas para a trilha sonora do filme, assumiu as rédeas em conjunção com o coletivo Top Dawg e preparou um trabalho completo, recheado de catorze faixas. É importante notar na aderência do termo “inspirado por” no título deste álbum: é o que autoriza Lamar a ocupar o lugar de T’Challa, se não em sua história propriamente dita, em sua vibe de reverência, celebração e empoderamento.

Seus trabalhos mais recentes, To Pimp A Butterfly (2015) e DAMN. (2017) foram ambos laureados como melhores do ano, estabelecendo o artista como um paradigma do Rap contemporâneo. Se o primeiro, evocando o clima clássico do Hip Hop com samples vindos de toda a história da música negra nos EUA – Jazz, Soul, R&B, etc. -, chamava a atenção para a realidade da comunidade de Compton, exibindo o cotidiano da vida real do músico, o segundo, por sua vez, aposta forte no Pop mainstream, e coloca o artista em uma posição controversa, a de rei, messias ou autoridade, mas que pode ser traído a qualquer momento. Qualquer semelhança com a mitologia de Pantera Negra, bom, até pode ser coincidência, mas é difícil de ignorar.

O álbum une alguns temas e trejeitos conhecidos do rapper – o que é natural, se pensarmos no curto período que separa Black Panther The Album de DAMN. -, a algumas produções feitas pela cartilha. Para além disso, temos a presença de sonoridades africanas – o Gquom, por exemplo – que trazem a força necessária para um trabalho que tenha traço de identidade marcante.

Hits agradáveis aos ouvidos, que seguem o padrão de qualidade trilha sonora de Hollywood, como o single All The Stars em parceira com SZA e a balada Pray For Me, com The Weeknd, fluem facilmente pelos ouvidos como se fossem apadrinhadas por Michael Jackson. A agressividade do Rap e o clima eletrônico torto, como vimos em Vince Staples, está presente em X, Paramedic! e Bloddy Waters. O brilho fica por conta de artistas sul-africanos como Yugen Blakrok, Sjava e Babes Wodumo e o mix de ritmos intercontinentais.

Black Panther The Album Music From And Inspired By é uma trilha sonora de um filme que, assim como são os trabalhos recentes de Kendrick Lamar, é consagrado antes mesmo do lançamento. Reunindo alguns dos artistas mais alinhados com as expressões musicais contemporâneas de dois continentes, o álbum é símbolo de um momento de celebração.

 3,143 total views

Autor:

é músico e escreve sobre arte