Cada um tem seu LCD Soundsystem

Por que a banda continua influenciando tantos fãs pelo mundo? O documentário “Shut Up And Play The Hits” mostra um pouco sobre como James Murphy sentia tudo isso

3,808 total views, no views today

Algo que todo adolescente já pensou um dia é em como seria sua banda dos sonhos. Provavelmente, ela teria muitos fãs apaixonados que saberiam cantar todas as músicas, lotaria todos os shows que fizesse, ganharia muitos prêmios como o Grammy e o VMA, conseguiria ser Pop sem deixar de ser cool, seria de grande influência para a cena que estivesse inserido e além de tudo, a crítica consideraria seus álbuns obras-primas de seu tempo. James Murphy com seu LCD Soundsystem conseguiu tudo isso sem planejar muito.

Mas dentre todos os sucessos e motivos pelos quais a banda se tornou tão grande, o que continua fazendo com que ela encante tanta gente, continue sendo tocada nas melhores festas no mundo inteiro e venha causando tanta ansiedade para assistirem ao documentário?

James Murphy sempre foi muito pessoal em tudo o que fez no LCD Soundsystem. Por sua formação como escritor, as letras de suas faixas sempre tiveram um teor muito pessoal, refletindo a própria vida do compositor. O efeito disso é a grande identificação que cada um foi tendo com cada trabalho da banda.

À primeira vista, muitos curtem as batidas sempre contagiantes das faixas que cravaram a banda na cena do Dance Punk Nova Iorquino, mas o foco inicial de James Murphy sempre foram as letras. Segundo o próprio, são elas que começam a pipocar em sua cabeça antes de começar uma nova música e a partir daí passa a pensar na melodia.

Seu primeiro single, Losing My Edge foi um sucesso nas pistas do mundo todo, mas é na verdade, uma música trágica e triste composta em um momento de um conflito psicológico muito comum hoje em dia que é ter sentimento de posse sobre uma coisa que nunca foi sua, como uma música, banda ou lugar que você goste muito. Este foi inclusive o primeiro momento em que Murphy incorporou um sentimento completamente pessoal em algo que fez e se surpreendeu com a identificação instantânea de seu público.

A identificação com as faixas do LCD Soundsystem podem ser comparadas de maneira bem engraçada com o sucesso de alguns memes de internet. Nós rimos deles e os compartilhamos por vermos retratadas situações ou sentimentos que vivemos mas não exteriorizamos, então ao perceber que outras pessoas também passaram por aquilo, a identificação é imediata. Imagine então se a pessoa que passou por isso for um gênio da música?

Essa sinceridade, aliada ao primor técnico de Murphy como produtor pode ser muito bem ilustrada pelo grande hit All My Friends (não deixe de ouvir a maravilhosa versão ao vivo no vídeo abaixo) de Sound of Silver, segundo álbum da banda. De acordo com Murphy, essa foi a primeira faixa em que ele percebeu que a melodia tinha um impacto emocional tão grande nas pessoas, se não muitas vezes maior, do que as letras. E ao aliar uma batida contínua e contagiante com uma letra que mostra um sentimento nostálgico e reflexivo de alguém que já não é mais um garoto, criou uma das músicas mais emblemáticas deste início de século.

É esta autorreflexão que permeia o documentário Shut Up And Play The Hits, que será exibido pela primeira vez no Brasil em São Paulo, neste sábado, 4, no festival de arte e tecnologia The Creators Project. O documentário retrata um dos términos de banda mais bonitos e memorávies dos últimos tempos, com um último e excelente álbum, This Is Happening, uma última turnê que passou pelo Brasil e um último show na talvez mais famosa locação do mundo, o Madison Square Garden em sua cidade natal Nova York.

O documentário foca muito na figura de James Murphy como líder desse projeto incrível e em como isso influenciou em sua vida pessoal, culminando em seu desejo de não ter mais a banda como “emprego fixo”, pois segundo ele, tudo tomou uma proporção que nunca imaginou ser possível, sobrando pouco tempo para levar uma vida normal. Portanto vale a pena fazer uma maratona LCD Soundsystem antes de assistir ao filme e se emocionar com “o melhor funeral de todos os tempos” como descreveu o vocalista.

Confira abaixo, o trailer do documentário:

3,809 total views, no views today

MARCADORES: Redescobertas

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.