Desafio: Que Tal Ouvir um Pouco de Black Metal?

Começando com as bandas certas, pode ser que você encontre no estilo seu próximo grupo favorito

 4,702 total views

Fotos: Na foto, Deafheaven, um dos maiores expoentes do estilo na atualidade

É muito comum estilos de um nicho muito específico se tornaram populares ou pelo menos alcançarem um público maior do que o seu próprio nos ciclos da música Pop. Foi assim com o Grunge no começo dos anos 90, com Indie Rock no inicio dos 2000 e será que a agora é hora do Black Metal seguir o mesmo caminho?

Não diria que alcançará o mesmo sucesso midíatico dos exemplos já citados, mas certamente o gênero e seus novos representantes vem ganhando atenção cada vez maior de público e crítica. E quando digo isso, não estou só me referindo aos fãs de Metal (ou de seus inúmeros subgêneros), mas dos fãs de Música Alternativa ou mesmo dos fãs de música em geral. Não à toa, bandas do estilo vem conseguindo destaque em grandes festivais ao redor do mundo (e não só os especializados), como, por exemplo, Deafheaven tocando no Pitchfork Festival, em Chicago, ou Alcest no Festival Overload, aqui no Brasil.

Antes de te propor o desafio, vamos tentar entender um pouco do que se trata o estilo e eliminar quaisquer mal-entendidos. Como você deve imaginar, Black Metal é sim um subgênero do Metal e tem como seus principais pontos os tempos acelerados, vocais berrados, instrumentos com distorção no máximo, produção Lo-Fi e estruturas musicais não convencionais, além das técnicas específicas de bateria e guitarra. Acabando agora o momento Wikipedia, o estilo tem como sua principal caracteristica a rapidez, abrasividade e em seus primórdios (ainda nos anos 80) esteve ligado a movimentos anti-cristãos, o que lhe rendeu a má fama de estar envolvido com movimentos satânicos ou algum outro tipo de obscurantismo.

Se parte das bandas e do público ficaram presas nesse inicio (e creio que a opinião pública está começando a mudar sua ideia sobre o que significa o estilo só agora), outros tantos grupos e novos fãs viram o estilo evoluir. Como é comum com qualquer gênero, o Black Metal se fundiu com outros subgêneros do Rock (principalmente o Post-Rock, Post-Hardcore, Emo e Scremo) e se tornou algo, digamos, mais palatável. Nosso desafio, ou se preferir, sugestão, é: que tal embarcarmos por uma viagem nesse “novo” Black Metal (ou seja lá qual outro título ele ganhar)? Deixando de lado seu preconceito pode ser que encontre muita coisa boa.

Deafheaven

No ano passado, demos algumas dicas de como “perder o medo de música intensa” e se eu pudesse acrescentar mais uma a esse pequeno guia, ela seria: Se vai explorar um novo gênero, comece pelo mais brando ou pelo que mais próximo ele pode chegar a outras coisas que você já ouve. Esse quinteto norte-americano pode ser um ótimo começo para você no mundo do Black Metal, ainda mais por ele conter tantos elementos do Shoegaze, Post-Rock, Ambient Music e Screamo. Se você gosta de algum desses estilos, certamente ao procurá-los em meio ao som do grupo vai encontrar mais do que você imagina.

Deafheaven – Sunbather (2013)

Alcest

Por mais que grande parte da nossa lista seja formada principalmente de bandas norte-americanas, um duo francês está presente nela também. A presença desse grupo certamente contariará os fãs mais puristas do gênero, que dizem que o que a banda faz hoje em dia já não tem mais nada de Black Metal. Sim, hoje em dia o som do grupo está mais para o Shoegaze, mas o que não quer dizer que o Metal tenha sumido completamente. Uma dica: ouça em ordem inversa a discografia da banda. Você vai notar as diferenças e o quanto a banda realmente mudou seu som ao longo dos anos.

Alcest – Shelter (2014)

Krallice

Mais intenso que os exemplos anteriores, o quarteto nova-iorquino mostra bastante do que o estilo representa, mas, ao mesmo tempo dá pitadas de outros gêneros a ele. Nomeado também como Progressive Black Metal, no som da banda há muito, é claro, Rock Progressivo, o que rende uma boa dinâmica e uma intensidade densa e quase fora de controle. Se você gostou do que ouviu até então, Krallice é mais uma boa dica rumo ao que de mais abrasivo o estilo pode mostrar.

Krallice – Years Past Metter (2012)

Amesoeurs

Este é o projeto paralelo emcabeçado por ninguém menos que Neige, metade do duo Alcest, e comprovação de seu lado mais Post-Black Metal. Atmosférico e sombrio, seu álbum homônimo consegue encentar pela sua ambiencia e ainda pelos parentescos com o Darkwave e por trazer os vocais de uma mulher (Audrey Sylvain, que deixa de lado o vocal gutural e berrado). Vale dizer que há muito do Shoegaze e Post-Punk por aqui também.

Amesoeurs – Amesoeurs (2009)

Agalloch

Formada no meio dos anos 90, a banda já acumula muita experiência em trazer ao Black Metal alguns outros gêneros. Coloque um pouco de Doom Metal, Folk Metal e Progressive Metal na mistura e entendará parte da sonoridade do grupo. Com cinco álbuns lançados até hoje, seu mais recente chegou às prateleiras no primeiro semstre de 2014 e mostra mais um pouco do que o estilo consgue absover de tantos outros na tentativa de soar como algo novo.

Agalloch – The Serpent & the Sphere (2014)

 4,703 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts