E Tudo Por Culpa do The Smiths

“500 Dias com Ela” fez o personagem principal se apaixonar por Summer, e o mundo por Zooey Deschanel, ao som da banda de Morrissey

 9,933 total views

“I love The Smiths”. Quatro palavras que bastaram para Tom ter certeza que Summer é o amor de sua vida. Não que ele já não desconfiasse disso desde a primeira vez que a viu, mas uma garota a quem ele já era atraído cantando “To die by your side, such a heavenly way to die” no elevador era o que faltava para que o jovem interpretado por Joseph Gordon-Levitt em 500 Dias Com Ela (500 Days of Summer, 2009) decidisse ir atrás da personagem de Zooey Deschanel – e foi difícil alguém da plateia não se apaixonar também.

Isso acontece logo no início do filme, que foi dirigido por Marc Webb (O Espetacular Homem Aranha) e faz questão de deixar claro que não se trata uma história de amor. Longe disso, Summer acaba se tornando, sem querer, uma das maiores vilãs de boas comédias recentes por simplesmente não conseguir corresponder às expectativas de Tom. É triste, mas “quem nunca?”, né?

Não é um daqueles casos em que a música se torna “coadjuvante” na trama. Aqui, as referências a Beatles, Belle & Sebastian e, principalmente, The Smiths acabam se tornando quase parte do cenário que os dois personagens centrais habitam. Por falar nisso, a cidade de Los Angeles, onde o filme se passa, é retratada de uma maneira muito interessante. Não é a LA de palmeiras na praia e tapetes vermelhos, mas uma metrópole de cores frias que revela sua beleza em detalhes que não se percebem à primeira vista.

Isso tem tudo a ver também com a maneira que as bandas ditas Indie são enxergadas e consumidas pelo público. O relacionamento de Tom e Summer não é dos mais comuns. Talvez, mesmo a trama não agrade qualquer pessoa (bem, é uma comédia romântica que começa dizendo que não é uma história de amor), mas ela possui grande sinceridade na maneira ao mostrar a situação e muitos podem acabar se identificando com o drama – exatamente o que acontece com essas bandas e músicas.

Regina Spektor, Feist, Black Lips e, é claro, She & Him (a banda de Zooey)(cantando The Smiths) também estão na trilha para embalar o sofrimento do protagonista enquanto ele conta a história sobre o tempo em que esteve completamente apaixonado por culpa da banda de Morrissey. Com um repertório desses, uma direção esperta, roteiro bacana e um ótimo par de atores, é de se imaginar que 500 Dias com Ela entre na lista de favoritos de muita gente, ainda mais dos fãs de música.

The Smiths – There is a light that never goes out

She & Him – Please please please let me get what I want

Regina Spektor – Us

 9,934 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.