Elbow: Rock Alternativo ainda vive

Ingleses seguem relevantes mesmo passando do Rock moderno para sonoridades grandiosas

 3,848 total views

Muita gente ainda se pergunta se o Rock Alternativo ainda é relevante hoje em dia, e a resposta vem em uma palavra: Elbow, banda de Manchester que começou a lançar trabalhos relacionados ao gênero no início dos anos 2000, sendo um dos queridinhos da época do selo Real World Studios, regido pelo veterano Peter Gabriel, por ganhar uma batalha de bandas da época e chamar atenção pelo seu conciso trabalho musical. Depois de dois anos sem apresentar novas canções, mostramos pra você quais trabalhos valem ser revisitados antes da chegada de The Take Off and Landing of Everything neste ano.

Asleep In The Back (2001)

O álbum de estreia dos ingleses provavelmente é a mais interessante lembrança que o quinteto mostra em seus mais de dez anos de carreira. O disco de 12 canções transporta em pouco mais de uma hora de audição o ouvinte que conhece apenas as canções mais atuais do grupo a um lado mais cru e denso, até mesmo mais experimental.

O material veio como pontapé e chamou tanta atenção que acabou até sendo indicado para o Mercury Prize do ano corrente, recheado de baladas que até ressoam como momentos mais quietos e iniciais de bandas como Radiohead e Foo Fighters.

Cast of Thousands (2004)

Com o crescimento quase que imediato do disco de estreia, o grupo começa a galgar em seu som por uma característica frequentemente vista dali em diante: A grandiosidade.

Marcado pelas faixas Fallen Angel e Fugitive Motel, esse foi o período em que a banda mais se entregou para seus fãs e, inclusive, dedicou parte da verbas de seus lotados shows na época as vítimas de Kosovo.

The Seldom Seen Kid (2008)

Se a indicação ao Mercury Prize surpreendeu o grupo logo no começo, ganhar o troféu de melhor disco em 2008 posicionou de vez como um projeto de relevância perante o público e a crítica.

A compilação traz as típicas características encontradas no som da banda através dos tempos – A busca pela grandiosidade sonora e a mesclagem de seu lado mais Lo-Fi com essências eletrônicas, orquestras e até mesmo ritmos ciganos em momentos pontuais.

Build A Rocket Boys! (2011)

O álbum detentor de canções como Lippy Kids, The Night Will Always Win e The Birds talvez seja o mais emotivo de todos as seis obras e que marca os dez anos de banda.

Conhecido pela sua capa com estampa aquarelada um tanto infantilizada, o vocalista Guy Garvey contou que a inspiração principal para as letras e atmosfera do compilado foi a nostalgia de sua juventude e a lembrança os bons tempos que viveu.

 3,849 total views

ARTISTA: Elbow

Autor:

Jornalista por formação, fotógrafo sazonal e aventureiro no design gráfico.