Especial Lollapalooza Brasil: Arctic Monkeys

Em pouco mais de meia década, os ingleses de Sheffield deixaram de ser adolescentes para virar homens e de tocar em bares para lotar estádios; confira três momentos definidores do grupo

3,529 total views, no views today

ATUALIZAÇÃO: Leia nossa resenha do show.

Os Arctic Monkeys que vêm para o Lollapalooza Brasil não são os mesmo de quatro anos atrás, que tocaram no desastroso Tim Festival 2007. Naquele ano, eles eram mais jovens, mais inseguros e menos grandiosos. Obrigados a tocar na madrugada de segunda-feira para um público que sofria com os atrasos dos shows, os ingleses fizeram um set rápido e com quase nenhuma interação com o público (o ponto alto foi o baixista Nick O’Malley chutando uma bola arremessada ao palco).

Fast forward pra 2012 e os Arctic Monkeys agora estão na crista da onda. Deixaram a timidez de lado, adotaram visuais de rock stars e lançaram um álbum, Suck It And See, que é para boa parte da imprensa internacional o seu melhor. Mais experientes e carismáticos, eles subirão ao palco do Jockey Club para arrebatar, algo que não conseguiram na outra apresentação.

Para antecipar o show e abrir nossa cobertura especial do Lollapalooza Brasil 2012, relembramos três grandes momentos da carreira dos macacos, em ordem crescente:

3) Shows no Don Valley Bowl em 2011

A banda havia lançado Suck It And See, mas praticamente só havia feito shows na América do Norte antes de retornar ao Reino Unido com essas duas apresentações no Don Valley Bowl, em Sheffield, sua cidade natal. E o que se viu foram dois shows fumegantes, com a banda a cem por hora se reencontrando com o público que os alçou ao sucesso. Os vídeos no YouTube dão vontade de estar lá. Um DVD com um dos shows está prometido para breve.

2) Clipe de I Bet You Look Good On The Dancefloor

O vídeo do primeiro single da banda foi gravado ao vivo, antes mesmo que a música tivesse uma versão final para o álbum. Colocados em um estúdio, os quatro rapazes pareciam inexperientes e tímidos – o guitarrista Jamie Cook sequer conseguia fazer contato visual com as câmeras. Alex Turner ainda tocava sua clássica guitarra Fender Stratocaster Arctic White (depois leiloada para a caridade) e Andy Nicholson ainda estava no baixo. Ninguém sabia, mas era um momento definidor, tanto para a banda quanto para o rock dos anos 00 – a principal banda inglesa da década estava se formando. Foi neste clipe que Turner soltou a famosa frase: “Don’t believe the hype”.

1) Glastonbury 2007

Pegue qualquer vídeo desta apresentação e você verá o que é uma banda deixando de ser pequena e tornando-se um fenômeno. Estava acontecendo bem ali, na frente das milhares de pessoas, e era mais do que merecido. O álbum Favourite Worst Nightmare, lançado no mesmo ano, havia mostrado que os Monkeys eram capazes de sofisticar sua música sem abandonar suas raízes, e a base de fãs respondeu crescendo estrondosamente. “E eu tinha medo de que não tivéssemos hits suficientes para ser headliners do Glastonbury”, desabafou Alex Turner depois de comandar uma catarse coletiva com I Bet You Look Good On The Dancefloor, um ponto alto de uma noite que não teve baixos.

3,530 total views, 1 views today

Autor:

Jornalista. Acredita nos duendes enroladores de fones, mas não no hype.