French House: Construindo Gerações

Conheça a forte e influente cena do Electro House muito bem fundamentada e que atende bem tanto o público de Eletrônica, quanto o público em geral

4,143 total views, 2 views today

A música eletrônica é um gênero bem amplo e que atende a diferentes e bem específicos nichos de ouvintes que buscam algum som em específico em suas batidas, seja uma levada mais Disco ou Pop, até algo mais Funky e Rock.

O French House não especificamente é um estilo da música eletrônica. Ele pode ser considerado uma vertente do Electro House. Ele é nosso tema de hoje muito devido à força que ele possui no cenário musical eletrônico, tendo artistas consagrados e que atendem tanto o público de Eletrônica quanto dos outros estilos. Além disso, outro ponto importante é mostrar as “gerações” do estilo, partindo dos anos 90 e chegando até hoje.

Muito da base eletrônica na música foi trazida através do Eletropop no final dos anos 70. O mundo eletrônico e tecnológico dava seus primeiros passos e isso encantava o homem a ponto de fazer a tecnologia entrar na música e deixando-a com um cara mais robotizada. Outro estilo que marcava as pistas da época era a Disco Music, com seu swing marcante e ritmo bem dançante.

Pode-se dizer que uma mistura do Eletropop com a Disco e com uma visão mais minimalista deu origem ao que chamaríamos de House. Surgido no início dos anos 90, o estilo tomou conta em peso a cena nos Estados Unidos e foi um dos marcos da década na música. E é a partir daí que vertentes começaram a surgir, devido a diferentes interpretações do House, nas quais os produtores apostam mais numa sonoridade Pop, Funky e Rock, entre outras. Uma delas é o Electro House que nada mais é do que um House mais “sujo” e intenso e com compressões e distorções sonoras.

O French House, então, vem como uma vertente desse estilo e surge na mesma época, sendo uma das referências de início do estilo. Os primeiros nomes do estilo começaram a aparecer na metade da década de 90, como por exemplo Stardust, Cassius, e a famosa dupla Daft Punk.

Ela é, com certeza, o maior nome não só da cena francesa mas também da cena mundial de House, sendo responsável por popularizar o som que fazia através de estímulos visuais como as roupas e capacetes futuristas e seus clipes em animações ou com danças performáticas (Pois é, isso lembra bastante Kraftwerk).

Os nomes por trás dos capacetes são Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo. Ambos possuem projetos paralelos (Thomas usando o próprio nome, e Guy com o Le Knight Club), também gravadoras, a Roulé e a Crydamoure, respectivamente. Por esse motivo, além de serem expoentes na cena, também foram responsáveis por abrir espaço para novos artistas com seus selos, como Play Paul, Crydajam e Alan Braxe em coletâneas como Waves, da Crydamoure.

Uma segunda “geração” viria mais adiante, trazendo uma roupagem mais Rock, ou Electro Rock, como costuma-se dizer, ou com elementos alternativos e do Industrial. No início dos anos 2000, artistas como SebastiAn e Justice. O House ganhava uma roupagem mais moderna, mas sem perder as influências e características. Uma das obras mais valorizadas dessa época é o disco Cross, do Justice, lançado em 2006, uma “Opera Electro Rock” na qual as faixas conversam entre si e unem-se uma com a outra resultando num belo trabalho bem elogiado pela crítica.

A quarta faixa de Cross, D.A.N.C.E, é um pouco mais Pop, mais leve, dançante e com letra animada. Essa é uma música que, com certeza, foi tomada como referência para os músicos dessa nova geração do French House, como Yelle e Madeon.

Hugo, que utiliza o nome artístico de Madeon, deu seus primeiros passos na música aos 16 anos ao colocar um vídeo no YouTube no qual fazia um mashup com samples de grandes nomes, da música Eletrônica e Pop, como Daft Punk. Além de mashups e remixes, Madeon começou a desenvolver suas próprias músicas que compõem o EP de estreia lançado aos seus 18 anos de idade.

O French Pop ainda perdura como uma cena forte dentro do Electro House. Uma cena que nunca perde força, sempre gerando novos nomes que sempre mantém a qualidade e a divulgação do som, presente nos lineups dos maiores festivais e expandindo suas características para outros artistas ao redor do mundo, fazendo com que o estilo francês se mantenha vivo na cena Eletrônica, mesmo que em outro idioma..

Discografia Básica:

Daft PunkDiscovery CassiusAu Reve Alan BraxeThe Uper Cuts Vários ArtistasWaves

Discografia Atual Justice*Cross SebastiAnTotal MadeonMadeon YelleSafari Disco Club

4,144 total views, 3 views today

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).