Já conhece Naytronix?

Dando voz a suas exerpimentações, Nate Brenner, baixista do tUnE-yArDs, se utiliza da música eletrônica com referências de estilos como Disco, Funk, Soul e Chillwave

 1,762 total views

Em projetos paralelos, os artistas costumam expor aquele seu lado que não convém ou não combina com sua banda. Eles veem nesse novo espaço a oportunidade de se atirar em composições e ideias interiorizadas, mesmo que ainda muitos desses artistas se apoderem de alguma referência do seu projeto principal. O que vemos em Naytronix é exatamente isso.

Trata-se do projeto solo do baixista do tUnE-yArDs, Nate Brenner. A roupagem que Nate assume é dada pelo eletrônico experimental – toque este muito em função do som que faz com Merril Garbus e seu Freak Folk. A mistura de elementos de outros estilos musicais dá um aspecto curioso e interessante ao projeto e traz um diferencial positivo.

As misturas em seu som passam pelo Chillwave, Electropop, Soul, Funk Music e Disco. Sempre na medida certa com essas adições, Nate dá os primeiro passos de seu projeto de uma maneira heterogeneamente boa, já que apresenta uma base sólida do eletrônico com variações estilosas, fazendo o ouvinte receber uma surpresa a cada faixa que se passa do álbum.

O projeto começou apenas como uma plataforma que Nate viu para treinar suas técnicas de produção e originariamente não seria lançado disco algum. Além disso, Ele diz ver em Naytronix uma maneira de fazer um som original e autêntico, que não se encaixe em nenhum outro gênero.

É sempre interessante ouvir um projeto paralelo e observar quais elementos da banda do artista restaram. Naytronix apresentou em sua estreia uma mistura sonora curiosa, mostrando ainda uma dose experimental, mesmo que de uma outra forma a que faz com Merril. A proposta da criação de uma musicalidade diferente e única agrega ainda mais um valor artístico à nova empreitada.

Fica a expectativa para ver a evolução do projeto. Mas, por enquanto, ficamos com o interessante Dirty Glow, que já nos mostra que vem coisa boa pela frente.

 1,763 total views

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).