Leituras da Semana: Foxygen, Nick Cave, Independência da Escócia e mais

Separamos alguns dos melhores textos sobre música que lemos pela Web nos últimos dias

1,810 total views, no views today

Semanalmente, filtramos os melhores textos nacionais e internacionais que encontramos na rede, a fim de enriquecer ainda mais seu conhecimento sobre música

Eu não sabia que era impossível, por Thiago Capanema

Em uma leitura rápida, bem humorada e de certa forma angustiante, Thiago conta em uma crônica como foi sua jornada de seis anos para descobrir uma música que ninguém conhecia (nem o Shazam, como você deve estar pensando). Todos nós já passamos por isso e ele consegue descrever precisamente o sentimento.

“Encontrei o perfil do DJ Mitsu the Beats no twitter e, todos os dias, passei a assediá-lo com replies perguntando qual era a faixa 8 de seu disco. Todas as minhas mensagens foram ignoradas, até que, em 5 de março de 2013, comovido por meus incessantes apelos, ele me respondeu”

recomendado por Lucas Repullo

What’s Up With That: Why Do All My Friends Like the Same Music? por Nick Stockton na Wired

Não é dúvida pra ninguém que música é uma maneira de expressar personalidade, mas este texto vai a fundo e conta o quanto a música é de fato usada para escolhermos com quem nos relacionamos.

Music has chemistry, both in maintaining friendships and helping us forge new ones. But science is still pretty far behind in understanding music’s power to create social bonds. ‘To this day, it hasn’t struck people that there must have been tremendous evolutionary pressure for music’”

recomendado por Lucas Repullo

Update: Foxygen por Evan Minsker no Pitchfork

O Pitchfork nos atualiza com o que tem rolado com Foxygen nos últimos meses, pouco antes do lançamento de seu novo disco.

“Yeah, that’s the side of the album that I think casual Foxygen listeners will really like. ‘What’s the hook?’ is like the album’s motto—while we were recording, we wrote that on the wall of the studio, and it was overlooking us the whole time. It doesn’t necessarily mean “catchy chorus,” but more like, ‘Why are people going to want to listen to this song?’”

recomendado por Lucas Repullo

Nick Cave: ‘The Creative Process Is An Altered State In Itself’ por Audie Cornish na NPR

Nick Cave conversou com a NPR sobre seu documentário, sobre processo criativo e sobre a vida em geral, provando ser uma das cabeças mais interessantes da música atual. A entrevista está disponível também para audição.

“Well, as anyone who actually writes knows, if you sit down and are prepared, then the ideas come. There’s a lot of different ways people explain that, but, you know, I find that if I sit down and I prepare myself, generally things get done.”

recomendado por Lucas Repullo

Why Everyone Should Be Waiting for Grimes’s Next Album, por Carrie Battan no New York Times

Como você já deve saber, a cantora Grimes anunciou que recomeçará as gravações de seu novo álbum. O artigo do New York Times conta como a decisão foi tomada e a preocupação da canadense em agradar seus fãs.

“In many ways, the experiment was a failure — Rihanna did not put the song on her album, and when Boucher recorded her own version, it was met with frustration. “It upsets a lot of my fans, and I get why it upsets them,” says Boucher of the big, booming track. “Everybody was like, ‘Oh, Grimes is pandering to the radio.’”

recomendado por Lucas Repullo

”Stop Using Rap Culture Against Us”: The Definitive Busdriver interview pro Laurent Fintoni no site Factmag.com

Em uma entrevista, o rapper Busdriver discute uma série de temas e aborda a cultura Rap e da música alternativa.

“Despite repeated claims that there is nothing purposefully ‘alternative’ about what he does, the word has plagued him through the years. Just as people want to impart a sort of mysticism to Madlib’s reluctance to play the public eye game, they’ve forced upon Busdriver the necessity to be different”

recomendado por Nik Silva

Why Scotland’s indie bands, from Belle & Sebastian to Mogwai, are shouting “YES” to independence

Longo texto retrata um pouco a situação escocesa que vota no dia 18/09 a sua independência do Reino Unido, mas sob o ponto de vista dos artistas da região, um debate que chegou também à música. Mostra de forma interessante a efervescente cena local do pequeno país que tem uma população muito menor que a Inglaterra mas que se tornou um pólo cultural conhecido no mundo todo.

““Glasgow’s just a very, very vibrant, exciting place to be if you’re in the business of music,” said Stewart Henderson, founder of long-running Glasgow rock label, Chemikal Underground, who also works with the Scottish Music Industry Association (SMIA). “Scotland’s national identity, if you like, is inextricably linked with its relationship to the arts. Scotland is, for the size of the country that we are, we are a cultural powerhouse.”

recomendado por Gabriel Rolim

1,811 total views, no views today

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.