Leituras da Semana: George Harrison, Foxygen, Thurston Moore e mais

Separamos alguns dos melhores textos sobre música que lemos pela Web nos últimos dias

2,250 total views, no views today

Semanalmente, filtramos os melhores textos nacionais e internacionais que encontramos na rede, a fim de enriquecer ainda mais seu conhecimento sobre música

Notes You Never Hear: The Metaphysical Loneliness of George Harrison, por Jayson Greene no Pitchfork

Uma de minhas colunas favoritas no site americano Pitchfork é Overtones, na qual Jayson Greene disseca certos sons que marcam nossa formação musical. Nesta edição, o tema foi a guitarra e o violão de George Harrison, descrita no artigo com ajuda de Dhani Harrison, filho do ex-Beatle e um dos maiores conhecedores da obra do pai.

“’He looked very hard for the notes that were most suggestive of the whole,’ Dhani says, offering something close to a defining philosophy behind that rounded, softly glowing tone. There is something almost metaphysical about its loneliness. His lead guitar was never a ‘lead’ in a traditional sense; it is just one voice in an imaginary choir.”

recomendado por Lucas Repullo

Sonic Youth’s Thurston Moore: ‘There are very few bands where people work together and live together’, por Dorian Lynskey no The Guardian

Thurston Moore não é só um grande músico, como também uma figura interessante, que dificilmente se blinda de questões polêmicas e no papo com o The Guardian não foi diferente. O ex-líder do Sonic Youth falou sobre seu casamento com Kim Gordon, seu novo disco e, obviamente, sobre sua ex-banda.

“Playing live became less fun too. ‘I felt that the audience had reached a place of complacency where we were decoded. That edge of wonder and surprise had all but disappeared. A lot of what we developed over the years has seeped its way into music culture. We weren’t the radical band any more; we were more of a radical reference point. I was getting a little bored with people getting bored with us.’”

recomendado por Lucas Repullo

The Birth Of Hip Hop in Japan

Texto apresenta o surgimento do estilo norte-americano na Terra do Sol Nascente, mostrando de forma interessante como a curiosidade e a abertura para coisas novas da população fez com que, aos poucos, o gênero tomasse sua própria forma no país. O artigo no geral é uma boa referência para a música oriental.

“’Hip hop in Japan had some of the same overriding questions as it did in America. “Is this hip hop?’ ‘Who is more hip hop?’ Such questions were especially pointed during 1994-1995. First there was the collaboration between East End and Yuri Ishii, the aforementioned pop smash “DA.YO.NE.,’ which put slang vocabulary into easily understandable rhymes. Then, these questions grew even stronger after it emerged that SDP came from an educated, well-to-do background, and the group collaborated with the young pop icon Kenji Ozawa on the hit ‘Konya Wa Boogie Back.’”

sugerido por Gabriel Rolim

Um Ano De Calote No Wros Fest: O Que Vamos Comemorar?, por Amanda Mont’Alvão Veloso para Noisey/Vice

A autora conta o drama de quem comprou ingressos para um festival que nunca aconteceu de fato – foi adiado por dois meses para apresentar um line up diferente do anuciado originalmente – e que não teve seu dinheiro reebolsado. Mais do que saber mais sobre este fato isolado, o texto nos relembra o desrespeito com que muitas produtoras de eventos (ou autointituladas “culturais”) tratam os consumidores no Brasil.

“A TicketBrasil chegou a emitir um comunicado em que informa que, no contrato do Wros Fest, os ‘reembolsos são 100% de responsabilidade da Web Rockers e, por esse motivo, a Web Rockers deve assumir toda e qualquer responsabilidade pelos estornos aos clientes, em caso de possíveis cancelamentos’. O Procon, porém, assegura que os reembolsos são devidos por ambas as empresas. Questionada pela reportagem, a TicketBrasil afirma que ‘a nota supracitada contém todas as informações e esclarecimentos que cabem ao atendimento da TicketBrasil prestar a este respeito’.”

sugerido por André Felipe de Medeiros

*Foxygen’s Jonathan Rado: Everyone Needs Love por Lior Phillips no site Consequence Of Sound

Após o lançamento do ótimo …And Star Power, o site Consequence of Sound chamou Sam France, metade do duo Foxygen, para para bater um papo sobre o álbum, suas composições, inspirações, shows e muito mais.

“Our goal is always to surprise people and never let Foxygen become a stale thing. We’ve been doing this so long it’s not sacred, and we don’t want to let it ever get boring.”

recomendado por Nik Silva

2,251 total views, no views today

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.