Leituras da Semana: Kimbra, Paul Mccartney, Festivais de Rock e mais

Separamos alguns dos melhores textos sobre música que lemos pela Web nos últimos dias

 2,118 total views

Semanalmente, filtramos os melhores textos nacionais e internacionais que encontramos na rede, a fim de enriquecer ainda mais seu conhecimento sobre música

Livro: Paul McCartney nos anos 70 por Adriano Costa no Scream & Yell

Uma análise sobre o livro Man On The Run – Paul McCartney nos Anos 1970 que conta a rica história da vida de Paul Mccartney quando percebeu que o sonho que viveu com os Beatles tinha acabado. Mais uma prova de que passam-se os anos e ainda temos muito o que falar sobre os garotos de Liverpool.

“Você fez parte da maior banda que o mundo já viu até então. Alcançou um sucesso nunca visto antes no mundo da música. Virou do avesso todas as concepções de entretenimento e marketing cultural. Cativou um público imenso e fez discos aclamados por esse público, como também pela crítica. Ganhou muito dinheiro. No entanto, tudo isso acabou, tudo isso chegou ao fim. Por vários motivos como convivência, falta de tesão, egos enormes, influência de terceiros, disputas internas. Na verdade, não importa muito os motivos, o que importa é que as coisas terminaram. E agora? O que fazer?”

recomendado por Lucas Repullo

Kimbra on The Golden Echo: ‘we’re making a piece of history here’ por Marcus Teague no The Guardian

Uma conversa com Kimbra sobre o estado atual de sua carreira e como consegue equilibrar a sinceridade de sua arte com o sucesso que se espera de uma artista Pop.

“Does she worry that dense experimentation and connecting with the masses rarely combine? ‘More than ever I feel humbled by that, because I didn’t know that Gotye song was gonna do what it did. No way. I want to be able to play these songs for people live and I want to be able to connect with a broad audience, but I don’t have control over it. All I can do is make the art and perform it with conviction.’”

recomendado por Lucas Repullo

A Rational Conversation: Do We Really Need A Rock Festival?, por Eric Ducker no site da rádio NPR

Sim, nós amamos festivais, e sim, nossa realidade aqui no Brasil é bem diferente da em que o texto foi escrito, mas é interessante a reflexão. O autor conversa com um jornalista do jornal Los Angeles Times sobre a necessidade de mais um festival voltando para o Rock e Indie Rock – no caso, o First City Festival, na Califórnia, em um tempo em que eventos como o Coachella se volta para a EDM.

“What if, by some amazing instance of clusterf—- booking, Coachella was happening the same weekend as First City and FYF. Which of the three would you go to? My gut reaction is Coachella — it’s well run, reliably entertaining, plenty of creature comforts and of course it’s a story in a way most festivals aren’t. So the journalist in me wants to cover that one, because people care about it (or anyway are thought to care about it). But every Coachella, I’m so burnt by Sunday morning, there’s always a “never again!” moment. So that leaves another festival that’s fairly familiar and a new one. I’d probably go with the new one, though FYF has a more persuasive lineup.”

recomendado por André Felipe de Medeiros

Entrevista: Mike e Tim Kinsella (Cap’n Jazz, American Football, Owen, Owls, Joan of Arc) por Amanda Mont’Alvão no blog Suppaduppa

Mike e Tim Kinsella praticamente criaram sozinhos muito do que a cena Emo e dito “Emo Rivival” se inspira hoje em dia com bandas como Cap’n Jazz, American Football, Owen, Owls e Joan of Arc. Nesta entrevista, os dois discutiram sua relação com a música, com estas bandas e qual o impacto que ela teve em suas vidas, além de comentar sobre essa ressurreição atual do estilo. 

“Acho que o Cap’n Jazz me influenciou mais do que qualquer outra coisa ou pessoa que não seja minha mãe. Aqueles eram anos da minha formação; portanto, viajar, tocar e encontrar estranhos em cidades estranhas reafirmaram totalmente a ética punk/do it yourself que guiava meu irmão (e consequentemente, eu). E esses valores ficaram comigo por boa parte da vida (pelo tanto que posso cultivá-los agora, já que sou um adulto com filhos para cuidar…).”

recomendado por Nik Silva

 2,119 total views

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.