Leituras Da Semana: Lucas Santtana, Speedy Ortiz, Alex Turner e mais

Separamos alguns dos melhores textos sobre música que lemos pela Web nos últimos dias

 3,284 total views

Semanalmente, filtramos os melhores textos nacionais e internacionais que encontramos na rede, a fim de enriquecer ainda mais seu conhecimento sobre música Você também pode acompanhar as leituras da semana através de nossa Readlist. Ela compila os artigos e permite que você os leia em formato de e-book no seu smartphone, tablet ou até mesmo no Kindle.

Nacionais

Pela Orla dos Novos Tempos por Márcio Bulk no Banda Desenhada

Entrevista com o músico Lucas Santtana sobre suas referências e o cenário musical brasileiro. Ele estará presente no festival Lollapalooza Brasil 2014.

“Eu acho que devemos utilizar nossas referências de forma saudável. Fui influenciado pelo tropicalismo, assim como o tropicalismo foi influenciado por outros sons que o antecederam. A questão é cíclica. Provavelmente, eu deverei influenciar alguém no futuro. Este sempre foi o ciclo da música popular.”

recomendado por Lucas Repullo

Internacionais

Computer Love: Beats Music Wants To Be Your Everything, por Ann Powers na NPR Music

A autora faz uma resenha do novo serviço de streaming Beats Music, que tem curadoria de nomes como Dr. Dre e Trent Reznor, lançado há menos de um mês. Apelidado no texto de Beatsy, o app é dissecado em uma comparação com o filme Ela (Her), já que o serviço tem como proposta uma relação íntima com o usuário.

“My other reservation about Beats is the same one some critics have expressed about Her’s Samantha. Let’s be real. Beatsy is a corporate tool. I paid for him. (Actually, I was provided a free trial by the company, but I’m going to pay for him. No way I’m giving this guy up.) And he — it — must ultimately serve a bottom line that’s not emotional, but oriented toward profit. Beatsy wants my money, and that influences the ways it romances me: what artists are highlighted in the playlists, what pops up on my “just for you” page, and other factors I may not even notice yet. The deep intimacy and individuality of musical expression and reception always makes us forget that within capitalism, it is always a commodity. Beatsy is particularly good at erasing this awareness.”

recomendado por André Felipe de Medeiros

Why major creative breakthroughs happen in your late thirties por Olga Khazan no Quartz

Utilizando James Murphy, líder da banda LCD Soundsystem, como exemplo, o artigo argumenta por que os grandes momentos criativos de nossa vida podem acontecer após os 30 anos de idade.

“James Murphy, the former frontman of the band LCD Soundsystem, made what he called the biggest mistake of his life at 21, when he turned down a writing job on a sitcom that was about to launch.

The sitcom’s name was Seinfeld.

Instead, he lurched around, working as a bouncer and later a DJ before finally releasing the first LCD Soundsystem album at the not-so-tender age of 35.”

recomendado por Lucas Repullo

Speedy Ortiz Declare War on Boring Old Guitar Solos (and Hairspray) por Alyssa Noel no site da revista Spin

Uma introdução à banda Speedy Ortiz feita através de uma entrevista com a banda. Entre os assuntos, o início da banda e histórias curiosas e engraçadas sobre os percalços de um sucesso logo no primeiro disco.

“’The lyrics came from a time in which I was so busy with teaching classes and working on a degree,’ she says. ‘My time was being fully occupied by other people’s major issues I was helping to handle. When I did have any down time, I wanted to think about how I felt for a second. Writing the songs was a little bit of therapeutic self-analysis.’”

recomendado por Lucas Repullo

Alex Turner’s Brits speech – what it all meant por Michael Hann do The Guardian

Você deve ter visto o polemico discurso de Alex Turner e seu Arctic Monkeys durante a premiação do Brit Awards. Digno de dar um nó na cabeça de quem tentasse entender o que músico estava realmente querendo dizer ali, suas palavras dividiram o público, parte o achando arrogante, parte o achando genial. O jornalista Michael Hann tentou destrinchar o discurso e observar o que Alex dizia em nome de sua banda.

“Hibernation isn’t just having a nap. It’s what the experts call a period of “heterothermy”, in which body temperature, breathing and heart rates all fall. Which is a pretty accurate summation of the state of rock’n’roll.”

recomendado por Nik Silva

 3,285 total views

Autor: