Leituras da Semana: Ty Segall, Tom Petty, Discos de Vinil e mais

Separamos alguns dos melhores textos sobre música que lemos pela Web nos últimos dias

 1,582 total views

Semanalmente, filtramos os melhores textos nacionais e internacionais que encontramos na rede, a fim de enriquecer ainda mais seu conhecimento sobre música

Wax and Wane: The Tough Realities Behind Vinyl’s Comeback por Mara Robinson no Pitchfork

“O vinil voltou”. Esta é a frase que já ouvimos há alguns bons anos e agora o vinil é mais do que uma promessa e já se tornou realidade para muitos artistas. Entenda o que está por trás desta volta do formato, quem compra e quais as vantagens e desvantagens pros artistas, lojistas e fãs de música.

“In the old days, when vinyl was the dominant format, Amoeba’s Weinstein recalls that everyone had an altar to their music in their homes—a stereo, speakers, and LP rack readily visible—and that altar has now come full circle for younger vinyl buyers. ‘It’s a topic of conversation,’ Weinstein says. ‘You’re showing off what your tastes are as a way of defining what’s important to you.’”

recomendado por Lucas Repullo

Update: Ty Segall por Jayson Greene no Pitchfork

Poucos no mundo da música são tão produtivos quanto Ty Segall, por isso, após tantos lançamentos diferentes em tão pouco tempo, nada mais legal como uma entrevista com o músico para entender a fase que está passando e como vê seus trabalhos anteriores.

“Segall talks thoughtfully about the careening path that led him here—to a spot in the music business with a small sense of security and a just-dawning belief that maybe, just maybe, he’ll be around next year to make records, too.”

recomendado por Lucas Repullo

Tom Petty On Cheap Speakers And George Harrison, por Mellissa Block para o site de música da rádio NPR

Com uma carreira que já soma 40 anos, Tom Petty & The Heartbreakers divulga o recém-lançado álbum Hypnotic Eye. Nesta entrevista, Petty discorre não só sobre George Harrisson e microfones (como o título sugere), mas também sobre a nova obra e a longevidade de seu trabalho.

“(…) In Hypnotic Eye, one of the things that I was most pleased with, and that I really wanted to make happen, was what we didn’t play — the amount of space in the arrangements. The more air in the arrangement, the bigger the track sounds to me. We didn’t try to create walls of sound on this one; it was more like sonic textures. I like to create lots of different guitar sounds, and I’m fascinated with how sounds go together. When you get something that works in a particular way, it’s kind of like mixing two colors together and getting a new one. Am I getting a little too esoteric?”

recomendado por André Felipe de Medeiros

Festivais: Øya Festival, em Oslo por Marcelo Costa no blog Scream & Yell

Aqui no Monkeybuzz sempre tentamos trazer aos leitores um pouco do que é a experiência de se ir aos mais diversos festivais de música ao redor do mundo. O jornalista Marcelo Costa faz isso em seu blog também e conta aos leitores como foi passar quatro dias no festival norueguês Øya, que acontece todo ano em Oslo.

“Quem vê a grandiosidade atual do Øya Festival, em Oslo, não imagina que o maior festival da Noruega começou em 1999 com 1200 espectadores. No ano seguinte, o público pulou para 4 mil pessoas, em 2003 já somava 24 mil espectadores , em 2010, alcançava a marca de 85 mil pessoas no fim de semana (com os quatro dias alternando entre 20 e 25 mil pessoas, dependendo da atração), que vem se mantendo desde então. Esse público se divide em uma grande área que recebe (este ano) 96 atrações divididas em cinco palcos (um deles, uma tenda para apresentações intimistas, debates e discussões sobre os rumos da música norueguesa).”

recomendado por Nik Silva

 1,583 total views

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.