Mogwai e o amor continuam

Com mais de 25 anos de carreira, a banda escocesa acaba de lançar “As The Love Continues”, seu 10º disco; o guitarrista Stuart Braithwaite fala sobre o projeto

 563 total views

Fotos: Antony Crook

Os escoceses do Mogwai lançaram hoje (19/02) o seu 10º disco, As The Love Continues (2021), e o que se pode dizer da banda é que, durantes esses quase 26 anos de atividade, eles não pararam de trabalhar um minuto. Além dos 10 discos, dos álbuns ao vivos e dos EPs, eles já contam com sete trabalhos de trilha sonora em seu portfólio. Em conversa via zoom com o guitarrista Stuart Braithwaite, sua resposta para tanto trabalho sem grandes atritos entre os integrantes é simples e direta: “nós estamos sempre nos divertindo”.

Em um ano que paralisou o mundo, a banda deixou os palcos de lado e cada músico voltou para sua respectiva casa por um tempo. Até que a reunião aconteceu num estúdio em Worcestershire, na Inglaterra, onde trabalharam, de forma remota, com o produtor Dave Fridmann, que conversava com eles via internet direto dos Estados Unidos. “Foi diferente, mas funcionou muito bem”, explica Stuart. “Nós conhecemos o Dave tão bem que não enfrentamos nenhum problema. Ele estava tão envolvido com o disco desde o início, já havíamos falado com ele sobre algumas demos, então ficamos felizes que ele conseguiu trabalhar com a gente desse modo”.

Essa é a terceira vez que a banda trabalha ao lado de Fridmann, que também marcou presença Come On Die Young (1999) e no mais recente Every Country’s Sun (2017). Dave é um produtor que propõe certas aventuras sonoras e explora experimentações ao lado da banda – e esse ímpeto também fica evidente nesse novo disco. ”Dave sempre nos impulsionou a testar novas coisas para o álbum, ele sempre trazia novos sons e isso, claro, teve um grande impacto em nosso disco”, conta o músico.

Trilhas sonoras para a pandemia

As The Love Continues, chega após o Mogwai ter produzido as trilhas para o filme Kin (2018), de Jonathan and Josh Baker, e da série italiana ZeroZeroZero (2020). “Trabalhar e explorar diferentes áreas, como trilhas sonoras, isto é, seguir diferentes direções dentro de outros universos, afeta todo o resto”, explica Stuart sobre a influências das empreitadas no som do Mogwai.

O álbum da trilha de ZeroZeroZero, aliás, foi lançado já em meio à pandemia de coronavírus, por isso, a banda adotou uma estratégia comercial diferente (e louvável): as vendas iniciais foram no modo “pague o quanto puder”, e a renda arrecadada foi, em grande parte, doada a projetos de saúde pública na Escócia e a um fundo de ajuda a músicos atingidos pelas consequências da quarentena.

Essa não foi a única mudança causada pela pandemia nos planejamentos da banda: o disco As The Love Continues estava programado para ser gravado nos Estados Unidos, porém o coronavírus veio, o disco demorou mais tempo para ser produzido e eles acabaram não podendo sair do Reino Unido. Stuart conta que passou seu tempo de quarentena vendo coisas aleatórias na TV – “eu via qualquer coisa que estava passando quando eu ligava”. Além disso, escutou muita Ambient Music, como Brian Eno e Stars of the Lid, e focou sua leitura em histórias de ficção sobre crimes e assassinatos – influência da mãe, que lhe inseriu no universo de vários autores escoceses do gênero.

Essa realidade pandêmica, claro, também afastou a banda dos palcos, algo que “tem sido bem difícil”, segundo Stuart. “É muito estranho não fazer shows e não ir a shows”. Mesmo com a campanha de vacinação em andamento, Stuart deixa claro o quanto entende como incerto um retorno aos palcos, mas segue com certa expectativa. “Quando pudermos fazer esses planos para uma turnê, faremos sem dúvida. Tocar ao vivo é uma parte fundamental do que somos enquanto músicos”. E ele não deixa de reforçar que o Brasil estará nesses planos: “é um dos meus países preferidos, as pessoas são tão passionais que nós queremos muito voltar assim que possível”.

O amor nos tempos de distanciamento social

Sobre o lançamento de As The Loves Continues nesse cenário, Stuart também tem achado tudo diferente: “e bem estranho lançar um disco agora, pois estaríamos em turnê nesse momento e tal, porém ainda estou animado de ver a reação das pessoas, de como elas reagirão ao nosso show na internet, essas coisas”. O novo disco está saindo pela Rock Action Records e conta com as participações dos músicos Atticus Ross e Colin Stetson.

Curiosamente, esses são dois nomes também ligados ao mundo das trilhas sonoras: Stetson é responsável por composições para inúmeros filmes, incluindo a excelente trilha do longa Hereditário (2018); Ross, por sua vez, já trabalhou em produções como Garota Exemplar (2014), Mank (2020), Soul (2020) e ganhou um Oscar, junto de Trent Reznor, pela trilha de A Rede Social (2010).

Antes do lançamento oficial, As The Loves Continues já tinha gerado dois singles: “Dry Fantasy” e “Ritchie Sacramento”. A segunda, curiosamente, ganhou esse título após um amigo da banda ter certa dificuldade em pronunciar o nome do músico Ryuichi Sakamoto. “Os nomes das nossas músicas são completamente aleatórios”, Stuart conta rindo. “Nosso amigo pronunciou um nome errado e achamos engraçado e virou o título, é o máximo de criação que fazemos para nossos títulos”.

“Ritchie Sacramento” também ganhou um clipe dirigido por Sam Wiehl e criado todo pela Unreal Engine, um motor gráfico para a criação de games. O diretor desenvolveu um jogo em primeira pessoa e a partir das experiências dentro do game ele editou e criou o clipe.

O novo disco do Mogwai já está disponível nas plataformas digitais, ele saiu exatamente na data que celebra os 25 anos do lançamento do primeiro single da banda, “Tuner/Lower”. Lá fora As The Loves Continues está sendo lançado ainda em CD, vinil duplo e também em uma caixa luxuosa que inclui CD, vinil duplo colorido, prensagem especial de vinil com cinco faixas demo do álbum e um álbum de fotos.

 564 total views

ARTISTA: Mogwai

Autor: