Músicas Certas para o Banho Certo

Chuveiro, ducha, banheira, piscina, cachoeira, chuva. Saiba qual melhor canção para cada situação.

6,933 total views, 2 views today

Qual o seu cômodo favorito? Tem quem não sai da sala & televisão, tem quem sinta o porto-seguro dentro do quarto ou até quem exercita a paciência na cozinha. Bem, para aqueles bem cansados de uma rotina maçante, o melhor espaço da casa pode ser dentro do banheiro, esticado naquela banheira procurando um momento para simplesmente não pensar em nada. Hoje em dia, é raro quem tem muito tempo pra si. A rotina louca que nos cerca tira a paciência, esgota o ânimo e pesa, infelizmente. Poucas sensações são tão boas quando chegar em casa e tirar o sapato, ligar a TV e, principalmente, relaxar numa ducha quente.

Mas se engana quem pensa que o momento do banho é reservado apenas para relaxar. O banho, principalmente para nós brasileiros (que esbanjamos banho e sabonete em relação a muitos outros continentes), é um lugar primordial que liga o indivíduo ao momento de dormir, ou ao momento de ir ao trabalho, pra sair ou até para se divertir. E, é claro que se pudermos rechear cada momento desse com a música certa, conseguiremos ter uma experiência muito além do higiênico, que beira a sinestesia.

Banho para relaxar

Depois de oito horas de trabalho, qualquer pessoa que preze pela sanidade busca um momento para relaxar e simplesmente limpar a cabeça dos pensamentos. Seja lá quais forem esses – problemas, ansiedades e ambições -, aqueles minutos são preciosos pra manter a saúde não só física como mental. Então pra esses momentos, as estruturas mais densas e lineares são as mais indicadas. The King of Limbs, do grup Radiohead, não traz muita oscilação, é o necessário para que a música não roube a atenção da “meditação”, apenas a ajude a chegar no nada. Outras boas idéias são possíveis com The XX, com seu disco de 2009, ou até o Rock Lo-Fi constante de Grizzly Bear.

Banho Terapêutico

Com uma pequena diferença do anterior, esse aqui tem um valor quase que medicinal. Pode lhe proporcionar mais que calmaria, ele relaxa, alivia as dores musculares e tensões e, ainda, é capaz de renovar as energias. Indico que, por mais que pareça estranho, desligue as luzes todas do banheiro, ligue o som e feche os olhos. A intenção aqui é simplesmente ouvir o barulho da água e senti-la caindo em seu corpo. Pra isso, as bandas mais sinestésicas possíveis. XXYYXX, com seu auto-intitulado álbum, cumpre muito bem o papel com seu experimental Lo-Fi com pitadas indie. Como falar de sensações sem citar M83? Hurry Up, We’re Dreaming, de 2011, é Eletrônico sensorial com instrumentais altos e letras suavemente cantadas. Pra fechar, por que não apostar no tradicional? Pode botar Comfortably Numb de Pink Floyd que não vai se arrepender.

Banho a 2

Melhor que vivenciar isso é dividir essa experiência com alguém. Para tirar as coisas da rotina, saia das quatro paredes e tente se esquentar nos braços de alguém debaixo de uma ducha. Pra aproveitar bem aquele momento a dois, músicas mais suaves, mas com uma dose afrodisíaca bem caprichada que só o Trip Hop dá. Pra isso, pode dar o play em qualquer obra do incrível The Weeknd, Portishead ou Tricky. Indicaria, respectivamente, The Zone, Roads e Hell is around the corner, e o resto eu deixo por sua conta!

Banho para sair

Quem disse que banho é só pra se desligar? Pelo contrário! Com aquela festa boa, é no banho que a gente faz o esquenta. Cabe à trilha sonora te animar pra noite que tá ali só começando. Pra esses momentos, é até melhor permanecer nos hits mias rasgados. Arctic Monkeys, The Strokes, Franz Ferdinand, The Killers, Phoenix, e por aí vai. Mas pra quem não quiser “queimar cartucho”, pode apostar no barulho do MSTRKRFT, Disco, do Young Professionals, ou até no Deep Baile do Rio Shock. Aposto que não vai ter ninguém mais animado que você na pista.

Banho de Piscina/Mar

Cômodos são aqueles que se privam somente no banheiro. Um banho é um banho até fora de casa. Afinal, quem nunca levou os fones de ouvidos quando foi para praia ou ouviu aquele som na beira da piscina? Para o mar, ninguém mais propício que Jack Johnson com seu Surf Music. Com o violão de In Between Dreams (2005), é possível até sentir o cheiro da maresia. Adriana Calcanhoto e Fernanda Abreu te ajudam a se situar perto do oceano. Praqueles que preferem brincar na piscina mesmo, por que não Jump In The Pool ou Air Hawaiian de Friendly Fires?

Banho de Cachoeira

Quem tá na correria só precisa de um feriado para fugir da loucura da cidade e ir à busca do que se recarregue as energias. Alguns artistas te ajudam a conectar à natureza, a sentir o verde. Pra isso, nada mais coerente que pisar o pé no chão e sentir a terra: os brasileiros são mestres. Marcelo Jeneci, com todo Feito pra Acabar (2010), Criolo, Novos Baianos, o rei Gilberto Gil e, principalmente, Planta e Raiz com o hino Com Certeza Você Já Se Banhou Na Queda de uma Cachoeira fazem as vezes. Pra quem quiser pisar em terras estrangeiras, pode tentar El Guincho com sua veia regional e, é claro, o inconfundível violão Folk de Ben Harper que engrandece o peito e qualquer viagem ao mato.

Banho de chuva

E pra encerrar, aquele banho que pode não lavar o corpo, mas lava a alma. Os pingos às vezes complementam uma cena melancólica, quase que cinematográfica, de tristeza, ou fazem companhia a sorrisos e pulos como Gene Kelly, em Singing in the Rain. Na primeira situação, nada mais poético que The Swell Season e sua nuvem particular que doi. Indico todo o trabalho de 2011, Strict Joy. É aquele registro pra te lembrar todas aquelas que insistem em permanecer na nossa mente e que tanto queremos evitar. Mas quando o assunto é felicidade, inclusive na chuva, quem comanda é Life In Cartoon Motion, dos australianos MIKA. O trabalho de 2006 cura as feridas mais incicatrizáveis e te inunda de prazer e vontade de cantar e pular.

Seja no chuveiro, na ducha, na banheira, acompanhado, sozinho, na cachoeira, na piscina, no mar, pra relaxar, pra se lavar, pra animar, independentemente, o que vale é a experiência. Seja fechando os olhos, se deitando, abraçando, pulando ou cantando, ligue o som bem alto e sinta com todos os poros todas as sensações que conseguir. Valendo!

6,934 total views, 3 views today

Autor:

Publicitário que não sabe o que consome mais: música, jornalismo ou Burger King