O Lado Bom do Filme

Alabama Shakes e Alt-J (∆) são alguns dos nomes que brilham na trilha do tão falado “O Lado Bom da Vida”

4,256 total views, no views today

Quem levou o Oscar de Melhor Canção nessa última edição do prêmio foi Adele, mas é a trilha de outra produção que ganha hoje nosso destaque: O Lado Bom Da Vida (Silver Linings Playbook, 2012), com Alabama Shakes e Alt-J (∆) em músicas novas e diversas agradáveis surpresas ao longo das faixas. Porém, preciso alertar: Pela primeira vez em quase um ano da coluna de Trilhas, falarei de um filme que não consigo recomendar.

A trama trata de coisa séria: Pat (Bradley Cooper) é o protagonista e o filme começa no momento em que ele sai da internação em uma clínica psiquiátrica, após um surto em que quase matou o amante de sua esposa. De volta à casa dos pais (vividos por Robert De Niro e Jacki Weaver) ele decide se reencontrar com sua cônjuge com o auxílio de uma nova amiga, Tiffany (Jennifer Lawerence, a nova queridinha da América e da Web), a quem ele também promete ajuda com um concurso de dança.

Repito: A trama trata de coisa séria. Sua introdução deixa bem claro o quanto é grave o estado de Pat e, assim que conhecemos Tiffany, temos certeza que ela também não está nada bem. Depois disso, tudo se desenrola sem grandes preocupações ou mesmo consequências, chegando a tornar o filme inverossímel, de mau gosto, ou mesmo ingênuo. Ele simplesmente minimaliza os problemas para criar situações engraçadinhas rumo ao final feliz de comédia romântica que o público espera.

Certo, dito isso, vamos à parte boa: Alabama Shakes entrega uma de suas composições mais inspiradas, Always Alright, com um daqueles finais apoteóticos que já estão virando marca registrada de Brittany e companhia. Daí tem Alt-J (∆) e sua Buffalo, parceria com o trio Mountain Man, um lado-B perfeito para seu An Awesome Wave. Lembra Matilda e Something Good, duas das faixas do disco, dando um chill interessante ao Rock e à nostalgia que imperam na trilha.

Alabama Shakes – Always Alright

A Eagles of Death Metal de Josh Homme empresta Now I’m a Fool, de seu Heart On (2008), Bob Dylan e Johnny Cash aparecem no dueto Girl From the North Country e Stevie Wonder é lembrado com sua doce My Cherie Amour, que ele gravou aos 16 anos (e ela foi lançada três anos depois, em 1969).

A derrapada fica no Pop mais do que genérico de Jessie J cantando Silver Lining. E vale dizer que Danny Elfman, um dos nomes mais presentes em trilhas instrumentais, fez um trabalho interessante nos temas que caracterizam a produção, tanto que duas faixas do disco comercializado são dele.

Alt-J (∆) e Mountain Man- Buffalo

E não se engane, eu reconheço que sou um dos poucos no mundo que não recomendam O Lado Bom da Vida, então pode ser que você goste. Mas, se você está com pouco tempo para filmes, vale pular direto para as músicas. Essas sim são altamente recomendáveis.

Eagles of Death Metal – Now I’m a Fool

Bob Dylan e Johnny Cash – Girl from the North Country

Stevie Wonder – My Cherie Amour

4,257 total views, no views today

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.