O Melhor do que Ficou de Fora em 2013

Veja as melhores faixas de Daughter, Disclosure, The Strokes, Mayer Hawthorne e mais que não foram parar nos seus respectivos discos

 3,928 total views

Nem sempre as melhores músicas de álbum estão em álbum. Muitos lançamentos chamados de B-Sides, extras, bônus ou que quer que seja às vezes são tão boas, se não mais, que as faixas que foram parar no recorte final de determinada obra. Se você perdeu algum deles, não se preocupe, separamos as melhores músicas que foram parar nessas versão deluxe, estendidas ou até mesmo em singles (discos de 7”) que foram lançados nesta primeira metade do ano.

1. Daughter – Drift

O primeiro lado B de nossa lista veio como brinde no 7” lançado pouco tempo após o ótimo If You Leave chegar às lojas. Ele veio junto ao single Human, esse sim presente no primeiro disco de Elena Tonra e companhia, como uma mostra do que o trio consegue fazer mesmo sem explorar a lírica da moça. Uma belíssima faixa instrumental.

2. Disclosure – What’s In Your Head

Por mais que este seja um extra de Settle, a faixa já havia aparecido anteriormente em The Face, EP lançado em 2012 e responsável por iniciar toda a hype dos irmãos. Ótimos sintetizadores, loops na percussão e recortes vocais fazem desta umas das melhores faixas da versão bônus de Settle.

3. Mayer Hawthorne – Designer Drug

Esse é mais um caso de single que infelizmente não foi parar no disco, mas que integrou a versão bônus do mesmo. Mesmo não aparecendo na tracklist oficial de Where Does This Door Go, Designer Drug, apresentado como single em abril, fechou a edição especial deste álbum.

4. Editors – The Sting

Mesmo não ganhando espaço na nova obra do Editors, foi um dos principais motivos de tanta euforia pré-lançamento de The Weight of Your Love. Se a obra no geral não foi tão boa assim, essa faixa continua sendo uma das mais interessantes que o grupo lançou neste ano.

Editors – The Sting

5. Smith Westerns – Case & Point

Por mais que a qualidade da gravação e produção não impressionem (nesta faixa), a inventividade psicodélica do quarteto de Chicago. A tal “baixa qualidade” se deve ao fato de ela não integrar o recorte final de Soft Will e de não receber a devida atenção na pós-produção. Porém, ainda assim essa é uma potente faixa que exala influências de The Beatles e até mesmo The Shins, nesta amistosa produção lisérgica.

Smith Westerns – “Case & Point”

6. The Strokes – Fast Animals

O que aconteceria se acelerássemos Slow Animals? A resposta é fácil: Fast Animals. Não que este extra de Comedown Machine se resuma na em ser a mesma faixa com RPM acelerado, mas é basicamente o que acontece. Lançado pouco tempo antes do quinto álbum de Julian Casablancas e companhia, este single foi às prateleiras no Record Store Day deste ano.

7. Tom Odell – I Think it’s Going To Rain Today

Umas das faixas mais bonitos do primeiro disco de Tom Odell (ou pelo menos da versão deluxe dele) na verdade não foi escrita por ele. I Think It’s Going to Rain Today é na verdade um clássico de Randy Newman, escrito originalmente em 1968. Mas tudo bem, a interpretação que Tom dá a faixa é realmente incrível – isso usando somente um piano e sua voz.

8. Classixx – Valley Vacation

Não sei qual foi o motivo, mas Michael David e Tyler Blake deixaram uma ótima música de fora do seu ótimo debut Hanging Gardens, lançado há poucos meses. Felizmente, o duo resolveu mostrar esse recorte extra ao público e trazer um pouco mais do seu revival oitentista ao público.

Classixx – Valley Vacation

9. Daft Punk – Horizon

Se sonoridades orgânicas comandavam boa parte de Random Access Memories, a faixa bônus deste álbum não poderia seguir um caminho direcionando neste viés. Horizon, música presente somente na versão japonesa do novo disco do duo, ganha muitos instrumentos reais (baixo, violão, bateria) que são somente amparados pelo fundo eletrônico, os permitindo ganhar ainda mais força na produção.

10. These New Puritans – And It’s Risen

Não coube no disco, mas a belíssima And It’s Risen teve uma apresentação digna de sua beleza (assim como a do disco ao qual ela deveria pertencer, o Field of Reeds). Para uma faixa “descartada” do álbum, aparecer no BBC Radio One no programa de Zane Lowe não é nada mal, não é?

11. White Fence – Fragility

Tim Presley e companhia antes do lançamento de seu novo disco, Cyclops Reap, lançado em abril, preparou o terreno com um 7” contendo o principal single desta obra: Pink Gorilla. Do outro lado deste disquinho estava a lisérgica Fragility, que mantém a mesma vibe Lo-Fi/Psicodélica dos trabalhos do músico, mas com certo ar de fragilidade, como o nome da mesma pode sugerir.

White Fence – “Fragility”

 3,929 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts