“Oblivion” e a abertura de Hollywood a Novos Trilheiros

Anthony Gonzalez, do M83, é um dos músicos prontos para carreira também no cinema, algo cada vez mais comum dentro da nova mentalidade das novas produções

 3,168 total views

Um novo cenário da indústria musical gera também uma nova dinâmica para os músicos que trabalham para Hollywood. Por isso, nomes consagrados do meio, como John Williams, Hans Zimmer, Danny Elfman e Randy Newman precisam dar cada vez mais espaço para o trabalho erudito de músicos já consagrados junto ao público.

O caso da vez é o de Anthony Gonzalez, a mente por trás do projeto M83, que foi contratado para musicar o “arrasa-quarteirões” Oblivion, estrelado por Tom Cruise e dirigido por Joseph Kosinski – que já recrutou Daft Punk para seu primeiro filme: Tron: Legacy, de 2010.

Essa nova mentalidade não só provê um maior “frescor” às produções, assim como as deixa mais alinhadas ao que é contemporâneo, mas também ajuda a promover os filmes para o público desses artistas. Trent Reznor é, talvez, o melhor exemplo disso hoje em dia, com seu Oscar pela trolha de A Rede Social e os outros prêmios para Os Homens que não Amavam as Mulheres.

Para Oblivion, Gonzalez não levou necessariamente aquilo que conhecemos de seu trabalho no M83, o que pode gerar um certo desencanto da parte dos fãs. Porém, precisamos ter em mente que não foi a banda quem foi convidada para a trilha, mas Gonzalez – um músico contratado para fazer um trabalho sob encomenda.

E isso ele fez muito bem. A música é grandiosa e orquestrada como toda grande produção hollywoodiana de ficção-científica pede que ela seja, e ouvi-la remete facilmente às cenas de perseguições, tiroteios e suspense que o filme certamente traz.

É um passo certeiro na carreira de Anthony Gonzalez, que se mostra apto também a explorar outras áreas de trabalho, como as trilhas sonoras.

Oblivion estreia no Brasil em 19 de abril.

 3,169 total views

MARCADORES: Trilha-Sonora

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.