Os melhores lançamentos do Record Store Day

Flaming Lips, Arctic Monkeys, Gorillaz, M83, Noel Gallagher, Garbage, Miles Kane, Mastodon & Feist, Florence And The Machine, Dirty Projectors e mais

2,523 total views, no views today

O Record Store Day acontece neste sábado, dia 21 de abril, e marca o dia em que as lojas de discos independentes no Reino Unido e nos EUA, em parceria com as gravadoras, colocam nas prateleiras lançamentos exclusivos. Os fãs fazem fila desde manhãzinha e correm para colocar as mãos nos discos de seus artistas preferidos, geralmente lançados em edições bastante limitadas.

No Brasil, teremos uma homenagem da Livraria Cultura e um evento especial em São Paulo, mas nada tão grandioso. Quem tiver a sorte de estar no hemisfério Norte para o lançamento, porém, pode seguir nosso guia, que compila os dez melhores lançamentos do evento (dentre mais de 300).

Se você não curtir as opções, fique ligado: há também lançamentos de White Stripes, Grouplove, PiL, Joey Ramone, Ra Ra Riot, Field Music, The Vaccines, Paul McCartney, Elbow, Laura Marling, Bloc Party, St. Vincent, LCD Soundsystem, Animal Collective, of Montreal, Sufjan Stevens, Arcade Fire e mais.

10) Gorillaz – DoYaThing (single)

A colaboração entre Gorillaz, James Murphy e Andre 3000 já rendeu o que talvez seja clipe mais legal do ano. O single em vinil traz uma versão de 13 minutos da música. Como o Gorillaz agora pode ter acabado, este pode ser o último lançamento do grupo…

9) Noel Gallagher’s High Flying Birds – Songs From The Great White North (EP)

Fale-se o que quiser de Noel Gallagher, o fato é que, para cada música ruim que ele fez na carreira, há pelo menos uma outra boa para compensar. O primeiro disco solo do ex-Oasis só tinha as boas e significou, para muitos, a resposta definitiva de Noel a todos que criticavam os últimos trabalhos de sua banda. Neste EP, ele reuniu todos os lados-b dos singles do álbum e incluiu Shoot A Hole Into The Sun, primeira prévia de seu álbum com o Amorphous Androgynous, que deve sair este ano. É uma bela forma de seguir adiante: abraçando o passado, mas olhando para o futuro. (saiba mais)

8) Mastodon & Feist – Commotion/Black Tongue (single)

Feist disse que este EP colaborativo, em que ela faz cover de Mastodon e a banda retribui, é como um “sonho molhado”. Quem somos nós para discordar, não é mesmo? As prévias divulgadas na sexta-feira mostram que a troca de favores valeu a pena. (saiba mais)

7) Florence And The Machine – Only For A Night (single)

Florence Welch e sua Machine fizeram um projeto muito legal para o Record Store Day: um single de Only For A Night com capas personalizadas feitas pela vocalista e por uma série de convidados. São apenas cem cópias e os lucros vão para o Teenage Cancer Trust (por isso, o preço é caro, cerca de R$ 110). Ah, e como é Florence, é claro que não podia faltar uma extravagância: a cantora também vai lançar um vinil de luxo de Never Let Me Go. (saiba mais)

6) Garbage – Blood For Poppies (single)

O Garbage voltou à música após sete anos levantando a bandeira dos independentes: fundou o próprio selo para lançar seu disco e tem esnobado constantemente em entrevistas as grandes gravadoras – que, segundo eles, tiveram importante participação no hiato do grupo declarado em 2005. Nada mais justo, portanto, que eles participem pela primeira vez do Record Store Day, um evento em prol das lojas de discos e das comunidades musicais que elas geram. (saiba mais)

5) M83 – Reunion (EP)

O pessoal do M83 foi umbiguista e genial: vai lançar um EP com sete versões da mesma música – uma original e seis remixes. Os nomes escolhidos para fazer os remixes foram bem legais e, mesmo se todos forem um fracasso, o lançamento tem o trunfo de que a versão original é ótima, e segura sozinha o EP. (saiba mais)

4) Miles Kane – First Of My Kind (single)

Arriscamos dizer que a música nova do Miles Kane é a melhor coisa que ele fez em sua carreira solo. A letra continua mediana apenas, mas os metais fizeram toda a diferença no groove “dadrock” de Kane. O cantor continua sendo o personagem mais divertido do indie rock inglês atual – em sua cabeça, Miles vive num mundo onde os anos 60 nunca acabaram, todo mundo é mod, terno é traje casual e as mulheres são todas loucas por homens mais velhos. (saiba mais)

3) Arctic Monkeys – R U Mine? (single)

A cor roxa do vinil que os Arctic Monkeys vão lançar nem é a melhor parte deste lançamento. O fato é que R U Mine? foi a primeira coisa realmente legal que os macacos lançaram em muito tempo, e sinalizou uma mudança de rumo muito forte para a banda: dos roquinhos brandos de Suck It And See para uma pegada mais pesada. Tudo bem que ainda temos que aturar o topete de Alex Turner, mas é um começo… (saiba mais)

2) Domino e Ribbon Music – Smugglers Way (EP)

A ideia, por si só, já é genial: um box colaborativo que trax flexi-discs de cinco bandas participantes (Dirty Projectors, Real Estate, Cass McCombs, John Maus e Villagers) e mais um fanzine com textos e artes dos grupos envolvidos. É tudo que um fã de música quer: material criativo e com cara de exclusivo. Mas a parceria entre as gravadoras Domino e Ribbon Music (responsáveis pelo projeto e contratantes das bandas inclusas) também simboliza tudo que o Record Store Day representa: a união da comunidade musical contra o enfraquecimento do setor como mercado. (saiba mais)

1) Flaming Lips – Flaming Lips And Heady Fwends (LP)

Musicalmente, as experimentações dos Flaming Lips não têm lá sido tão interessantes – é muita experimentação para pouca música. Mas, em termos de lançamento físico, é de longe a coisa mais interessante do Record Store Day: um vinil produzido em versões multicoloridas, no qual nenhum exemplar é igual ao outro, e que terá inclusive o sangue dos artistas envolvidos incluído na massa dos discos. Além disso, um álbum que reúne Bon Iver, Ke$ha, Chris Martin, Lightning Bolt, Neon Indian e Yoko Ono, entre outros, já mereceria láureas apenas pela bizarrice. (saiba mais)

2,524 total views, 1 views today

Autor:

Jornalista. Acredita nos duendes enroladores de fones, mas não no hype.