Para Crescer, É Preciso Mudar. Isso a Inky já Aprendeu

Banda paulistana em constante amadurecimento lança novo EP, “Parallels”, que antecede um álbum com lançamento planejado para o próximo semestre

 3,382 total views

Fotos: Daniela Ometto

Mudanças fazem parte de toda a vida, principalmente da juventude. Nada é mais natural do que estar de um jeito hoje e amanhã descobrir uma outra pegada mais a ver com você. É assim nas primeiras décadas da vida, é assim no início de um projeto.

Não foi diferente com a banda paulistana Inky. Ela surgiu em 2010 e logo gravou EP, abriu para LCD Soundsystem em São Paulo e viu as portas se abrirem para as mais diversas oportunidades.

A maior delas, certamente, foi viajar a Holanda para gravar com o renomado produtor Steve Lillywhite e a Metropole Orkestra, resultado de uma promoção da marca Phillips. Lá, a banda teve a chance de se reinventar para combinar com os arranjos da orquestra, sem seus elementos eletrônicos.

“Muito pelo contrário”, diz o guitarrista Stephan Feitsma, “é uma música bem limpa, diferente de tudo que havíamos feito até então, o que enriqueceu o nosso repertório e nos abriu novos horizontes musicais, sendo uma das maiores conquistas da banda”.

Os ensinamentos vindos da experiência no novo mundo resultaram em novas ambições para a Inky. Para o próximo projeto, o quarteto decidiu percorrer outros caminhos e convocou a dupla Clickbox, de música Eletrônica, para a produção.

O resultado foi o EP Parallels, lançado agora em janeiro. Ele traz três faixas novamente dentro de sua influência Eletrônica, como não poderia deixar de ser com os novos colaboradores, mas carregando a maturidade adquirida até então.

É um trabalho dançante sem deixar de se preocupar com uma sonoridade boa para os fones de ouvido, por exemplo. As novas músicas gostam de brincar com alguns silêncios e detalhes em meio à instrumentação caprichada.

As mudanças não ficam só na sonoridade como um todo, mas a própria progressão das faixas carrega uma certa transformação. A abertura com Nightbirds é mais fria e imponente que as outras, dando a sensação de que a banda vai se soltando em Baião e fica mais à vontade conforme ganha intimidade com o ouvinte, culminando em uma Howling to the Moon mais dançante e convidativa que as anteriores.

Ainda em 2013, já temos promessa de um videoclipe para Baião e um álbum completo deve sair em julho. Resta vermos para onde a banda vai a partir desses lançamentos. Não que ela precise mudar, mas por já ter entendido que a evolução é constante e necessária, seja na carreira ou na vida.

 3,383 total views

ARTISTA: Inky

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.