Quando Will Smith Foi o Maior Astro do Mundo Também na Música

Fenômeno de vendas na época segue como experiência divertida ainda hoje

1,961 total views, no views today

Sabe aquele disco lançado há algum tempo que você carrega sempre com você em iPod, playlist e coração, mas ninguém mais parece falar sobre ele? A equipe Monkeybuzz coleciona álbuns assim e decidiu tirar cada um deles de seu baú pessoal e trazê-los à luz do dia. Toda semana, damos uma dica de obra que pode não ser nova, mas nunca ficará velha.

Big Willie Style

O ano era 1997 quando o maior nome de Hollywood na temporada deu continuidade à sua carreira de rapper e, dessa forma, nascia um dos melhores títulos da música Pop da época. Big Willie Style é tão blockbuster quanto Independence Day ou Homens de Preto (dois recordistas de bilheteria com Will Smith no elenco) e, assim como uma sessão de cinema em uma tarde de férias, entretém o público em alto nível de diversão por 58 minutos – ou por quantas vezes você quiser escutá-lo.

Seu contexto de lançamento vai um pouco além da carreira de Smith, tendo a ver também com um revival que acontecia ali por muito do que o fim da década de 1970 tinha oferecido, da cultura Disco ao Hip Hop (alô, fãs de The Get Down) – isso durante um momento dos anos 90 que trazia o R&B em alta. Suas músicas, então, chegavam embebidas em uma certa nostalgia nas referências aqui e ali, uma sensação amadurecida pela despretensão do Pop daquela década e da anterior.

Isso serve para explicar o que é Gettin’ Jiggy Wit It – (com Nile Rodgers entre seus compositores) não só o single principal do disco, mas também um dos grandes hits do período, e não foi à toa que ela impulsionou as mais de dez milhões de cópias vendidas.

O restante do disco é um sampler bacana atrás do outro em um clima que parece bastante o que outros músicos tem feito ultimamente, de Mark Ronson a The Weeknd, embora tenha sempre o Rap (e o bom humor de quem tinha saído há pouco de Um Maluco no Pedaço) em primeiro plano.

Ouvi-lo quase vinte anos depois deixam bem claras as escolhas dos singles (Miami é uma música que ficaria bem em muitas playlists de hoje em dia e Just the Two of Us, por mais bobinha que possa parecer, é mesmo bastante agradável) e oferece o mesmo nível de experiência divertida que tínhamos em 1997, mesmo que tenhamos crescido.

Longe de ser um marco para a música, fica a prova de um produto Pop muito bem feito – e com tudo para ganhar o status de cult pelas gerações que os descobrirem nas próximas décadas.

1,962 total views, 1 views today

ARTISTA: Will Smith
MARCADORES: Fora de Época

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.