Retrospectiva Ouça 2012

Em 2012 muitos nomes passaram por nosso quadro semanal, que traz sempre novos nomes que se destacam por ter uma sonoridade inovadora. Veja os que mais se destacaram

4,099 total views, no views today

2012, sem dúvida alguma, foi um ótimo ano para a música. Vimos em nossas páginas nascer muitas bandas novas, antigos nomes que já eram fortes no meio alternativo, conquistando um público maior e nomes já consagrados produzindo novas obras que fazem jus ao lugar que alcançaram ao longo de carreira.

Com nossas antenas ligadas 24 horas por dia, pudemos captar muitos nomes que se tornaram nossas apostas ao longo do ano. Músicos ou projetos que se destacaram em meio a tantos outros por conseguirem aliar em sua música qualidade e novidade. Nosso quadro semanal Ouça tem como proposta apresentar a vocês nossas apostas, assim como incentivar a ouvir artistas que saem do comum para criar suas obras.

Ao longo do ano, foram mais de 30 artistas analisados. Conheça agora aqueles que a equipe Monkeybuzz considerou os de maior destaque.

Daughter

Daughter

No dia 4 de dezembro, um pequeno tweet nos deixou muito felizes. “Finishing off the making of our debut album. More news for you very, very soon”. Sim, finalmente veremos o primeiro (e tão aguardado) disco do trio inglês que nos conquistou com tamanha sinceridade e simplicidade em sua música. Mesmo que ainda sem datas ou mais detalhes, já temos pequenas prévias do que será exposto neste álbum com os singles Smother e Run, liberados ao longo de 2012.

Dan Croll

Dan Croll

Este jovem inglês teve um dos sons mais interessantes do ano. Mesmo que ainda tenha poucos singles, eles foram o suficiente para chamar a atenção de nosso radar, que ficará de olho em seus futuros lançamentos. Com um Pop inteligente e que foge das mesmices e comodismos do estilo, o músico cria uma mistura orgânica entre inovação e saudosismo, projetando para si um futuro promissor. A boa notícia é que Dan já prepara material inédito para 2013 e em breve teremos mais novidades dele.

Half Moon Run

Half Moon Run

Essa aposta nos rendeu um dos melhores discos do ano – e isso logo em sua estreia. Dark Eyes é um belíssimo disco que mostra em suas incríveis composições traços que podem remeter ao encontro do Folk de bandas como Fleet Foxes e Grizzly Bear com o Rock Alternativo do Radiohead. Esta banda mostra que idade e maturidade nem sempre andam juntas e prova que é possível fazer som de veteranos ainda sendo novata.

Astronauts, etc

Dream Pop

Para os mais sonhadores, esse foi um bom ano também. O Pop com aspirações hipnóticas ganhou bons representantes que vieram parar em nossa coluna semanal. O primeiro deles foi a estreante TOPS, que inaugurou o primeiro Ouça. O ótimo disco do quarteto canadense obteve uma boa repercussão e ao longo do ano rendeu alguns clipes que continuaram sua promoção.

Anthony Ferraro foi um artista que apareceu de mansinho e logo já tinha nos conquistado com sua sonoridade espacial. O músico por trás do projeto Astronauts, etc traz até em seu nome o clima cosmológico de suas canções, que misturam lindas melodias à vibe meio Chillwave com o vocal em falsete de Ferraro. O resultado dessa mistura pode ser vista em seu EP de estreia Supermelodic Pulp, lançado em setembro.

E se além do Espaço, o Dream Pop viajasse para territórios tupiniquins e levasse daqui um pouco da ginga e alegria brasileira? Foi isso que o quarteto californiano Trails and Ways fez com nossa Bossa Nova e Samba Rock para então criar um misto bem cativante. Com uma série de EPs lançados em 2011, a preparação para seu disco que está previsto para este ano, vieram alguns singles e remixes que mantém a qualidade de suas primeiras faixas e trazem mais algumas outras novidades. Esse, com certeza, já é um de nossos discos mais aguardados para o ano que vem.

Madeon

Madeon

Hugo Pierre Leclercq é um artista que chamou a atenção por mais de um fator. O primeiro deles, claro, é sua música, mas não podemos dizer que sua pouca idade não é uma espécie de atrativo. Com apenas 17 anos, o produtor francês é um dos maiores destaques da fervilhante French House. Com um EP na bagagem lançado no ano passado, Hugo já tem o passaporte carimbado para o Brasil e irá se apresentar no festival Lollapalooza, que acontece em março de 2013 na cidade de São Paulo. Se eu fosse você, não perderia a chance de ver o que esse garoto vai aprontar em solos brasileiros.

Night Moves

Psicodelia

Aspirações lisérgicas e psicodélicas estiveram em peso por aqui nesse ano. E esses novos nomes apareceram dos cantos mais variados do planeta: Estados Unidos, Austrália e Inglaterra revelaram ótimos nomes que traziam variações bem interessantes do gênero.

Os australianos do The Laurels embarcaram em uma viagem com destino aos anos 90 e trouxeram de lá as guitarras e a aura borrada do Shoegaze para uma mistura com melodias Pop muito marcantes que foram parar em seu disco de estreia, Plains.

Caminhando ainda mais para o terreno do Pop, o trio inglês Stealing Sheep, fez uma ótima estreia com o disco Into The Diamond Sun. Ele traz um ponto de vista lúdico da música psicodélica em faixas que exploram a psicodelia de forma amena e divertida.

Da terra do Tio Sam, saíram dois nomes que de igual só tem a qualidade em sua música. O primeiro deles é Matthew E. White que nos convida a uma viagem sinestésica e bucólica pelas planícies musicais do Soul e Folk em seu primeiro disco Big Inner. Já o outro tem uma sonoridade guiada pelo Rock e faz isso de maneira a resgatar do passado alguns timbres e sonoridades. O trio de Minneapolis Night Moves tem um toque retrô que fica exposto em sua estreia Colored Emotions.

Little Green Cars

Folk

O Folk não apareceu somente como influência de um ou outro artista por aqui, tanto que algumas de nossas dicas tem sua estrada pavimentada por esse estilo.

A moça que assumia os backing vocals do Bombay Bicycle Club se deu muito bem ao assumir a frente desse projeto que agora carrega seu nome. A inglesinha mais querida do ano, Lucy Rose, apareceu aqui um pouco antes de lançar seu ótimo disco de estreia, Like I Used To.

Outro nome que elegemos como nossa aposta durante o ano foi parar na lista BBC Sound of 2013. O quinteto irlandês Little Green Cars faz uma mistura bem interessante entre Country, Folk e Rock e está prestes a lançar seu primeiro álbum neste ano. Portanto, se você ainda não estava de olho nele, vale a pena ficar ligado em seus próximos lançamentos.

Metz

Rock

Você deve estar se perguntando: “e cadê o Rock nessa retrospectiva?”. Bom, agora chegou a hora de comentarmos nossas apostas nesse estilo que consegue assumir mais de uma roupagem. Deixando isto mais claro: o gênero possibilita que outros estilos, como Noise, Progressivo, Punk e algo mais clássico (ou vintage, se preferir) convivam juntos sem maiores problemas.

Uma de nossas primeiras apostas do ano foi a banda de um homem só, Reignwolf. Tocando com maestria sua guitarra, o bluesman Jordan Cook se divide ainda em cantar e fazer a percussão – tudo isso sozinho. Ainda nessa vibe de décadas passadas, comemoramos o dia do Rock de maneira classuda ao som de Nick Waterhouse, que tem um som que remete aos primórdios do Rock & Roll. Com uma pegada à la Chuck Berry, Buddy Holy ou Bill Haley, o músico lançou no ano passado seu primeiro disco, Time’s All Gone.

Mas quem roubou a cena foi METZ e toda sua barulheira. Esse trio canadense chutou algumas bocas e embalou muitos bate-cabeças mundo afora com sua estreia homônima.

4,100 total views, 1 views today

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts