Seis Drinks para Seis Discos

Álbuns que curtimos recentemente merecem ser desfrutados com acompanhamento etílico; Eis nossas sugestões

 2,868 total views

Está sentindo falta de um “estímulo” para ouvir as novidades que destacamos diariamente para você aqui no Monkeybuzz? Pois bem, aproveitando o longo final de semana que se aproxima, preparamos uma receita (aliás, várias) para você aproveitar o melhor de sua sensibilidade sinestésica, sugerindo combinações entre alguns destaques das resenhas deste ano e algumas bebidas. Prontos? Apreciem a música sem moderação!

Gim Tônica para Salad Days

As notas florais do gim misturadas à amargura da água tônica, completadas por limão e gelo, aqui equivalem ao clima praiano de Mac Demarco temperado à leve melancolia de Salad Days, seu trabalho mais maduro até agora. Dica: se achar muito forte, pode profanar o drink com uma colher de mel. Decore com rodelas de limão.

Mint Julep para Benji

Benji é um dos nossos grandes favoritos do ano até agora. Seu Folk de clima denso e carregado de sentimentos fortes é inacreditavelmente agradável. Por isso, seu acompanhamento fica por conta do gosto encorpado da versão americana do uísque, o bourbon. O drink escolhido tem o mesmo clima deste álbum de Sun Kil Moon e vem do sul dos Estados Unidos: basta adicionar água com gás, gelo esmagado, ramos de hortelã e um pouco de açúcar.

Margarita para St. Vincent

A sonoridade ardida de St. Vincent em seu álbum homônimo, carregada de um humor ácido quase sarcástico, pede uma bebida tão abrasiva e envolvente quanto sua música. Por isso, o destilado de agave, a tequila, acompanhada da acidez cítrica do limão podem te deixar tão animadinhos quanto sua música. Não esqueça de ornar a borda de sua taça com sal!

Caipirinha para Encarnado

A força arrebatadora de Encarnado, primeiro álbum solo de Juçara Marçal, pede um bebida que transpire a mesma brasilidade de sua raiz. Um boa cachaça envelhecida é a pedida ideal. Mas, já que o assunto são drinks, vamos atacar com nossa fórmula-símbolo: a caipirinha. Basta espremer um pouco de limão com açúcar, completar com gelo e desfrutar de toda sua poética.

Negroni para Here And Nowhere Else

O estranhamento que Here And Nowhere Else pode causar é o mesmo que o primeiro gole de Negroni. O ímpeto juvenil que se encontra entre o Punk e Emo do último lançamento de Cloud Nothings pede algo aromático e amargo como a mistura entre partes iguais de vermute, campari e Gim. Não esqueça de uma fatia de laranja (com casca). Ah, a cor também combina.

White Russian para Sun Structures

Para encerrar, a psicodelia envolvente de Temples em seu Sun Structures pede algo que tenha o gosto nostálgico, quase kitsch, de suas referências, amenizada pela maciez de sua pouca idade. Por isso, o White Russian mistura o licor de café com o creme de leite, batizados por duas doses de vodka. Aconchegante como o refrão de Mesmerise. Aproveite!

 2,869 total views

Autor:

é músico e escreve sobre arte