Seis Novos Nomes da Música Eletrônica Que Você Deve Ouvir

Selecionamos alguns produtores que não podem passar batido e que merecem sua atenção

7,829 total views, 2 views today

Os ouvidos estão cada vez mais abertos a ouvir novidades e o mercado já aprendeu isso. Nem tudo é regido através da rádio ou da temerosa indústria fonográfica, produtores vem escrevendo suas histórias através de inspirações pessoais, linhas experimentais e muito toque identitário.

Foi exatamente assim que Flume saiu do anonimato, Kaytranada cresceu, Flosstradamus ensinou a fazer Trap fora dos padrões. Observando essa diferença de comportamento, não só desse público, mas principalmente dos grandes nomes que começaram a resgatar novos talentos para assinar, que produtores pelo mundo todo estão correndo contra o tempo para chamar atenção. E estão conseguindo. Os não-só-DJs e já empresários Diplo, Skrillex com a OWSLA, ou até o dono da Bromance, Brodinski, Boys Noize com a Boyz Noize Recordings, Deadmau5, Armin, e por aí vai.

O mundo parece nunca ter consumido tanta música quanto hoje. Menos pessoas querem limitar seu círculo musical com alguns poucos artistas. Muitos ouvintes estão abrindo ainda mais seu leque de opções e estão atentos às novidades que lançam na internet. Por isso, alguns empresários preferem gastar energia investindo em construir nomes de quem já está na ativa, mas não tem uma base concreta ainda, do que produzindo artistas do zero. E fazem certo. Na dinamicidade em que o mercado se encontra hoje, a diversidade é a chave do negócio e quem pensa em pouco pensa errado.

Abaixo, reunimos alguns novatos que estão fazendo bonito. Parte deles já foi descoberta pelos grandes e outros já estão neste caminho, mas todos artistas parecem estar prontos, já moldados para o mercado, cada um em seu gênero.

Kasbo

Depois de ter sido citado por Skrillex em uma de suas listas Skrillex Selects, o caminho ficou bem mais fácil para Kasbo. Suas produções, sempre partindo do muito doce para a agressividade do Future Bass, – o que Flume faz muito bem, por exemplo – são recheadas de percussão e sintetizadores arrastados. Partindo do pressuposto de que ele terá uma carreira no selo OWSLA (de Skrillex), em pouquíssimo tempo, estaremos vendo Kasbo nos maiores festivais Chill Eletrônico por aí.

cln

Claro que a Austrália estaria presente na lista. Com What You Said, álbum de estreia de cln, é possível observar uma maturidade de quem já tá na estrada há um bom tempo. Apesar de suas capas sempre muito lúdicas, Alexander apresenta um som cada vez mais profundo, bem na linha do que estamos habituados a ouvir do eletrônico da Oceania. Tão antenado que já aproveitou pra fazer remix do single de ODESZA, Say my Name.

Toyboy & Robin

Toyboy & Robin explora bem o House com o excesso (positivamente falando) de vocais. Os versos trazem o Pop para as produções, o que vira um toque único para cada faixa. Muitos diriam que Better Places mais parecia um remix de Michael Jackson. Pois a missão do duo é justamente resgatar o R&B e o Pop dentro da estrutura grooveada do House. E conseguem muito bem.

Just a Gent

Com 16 anos e já no radar de Sonny Moore (Skrillex). Juntamente com Kasbo, e na mesma faixa, o produtor australiano entra na mesma leva australiana de produtores Underground, combinando House progressivo com Trap. Seu single Best Day Of My Life já tem mais de 1,5 milhão de visualizações, o que chama atenção, dado o fato de estarmos falando de alguém fora do círculo-rádio. Os vários edits e remixes em sua conta do Soundcloud já renderam posições incríveis em sites como HypeMachine e This Song is Sick e isso mostra que Just a Gent tem chance de ser um dos que ditam sons do futuro.

Lucas Chambon

Chambon é francês e representa bem seu som no Nu Disco e Deep House. Lucas já é notícia em sites gringos do gênero e faz bonito, pois parece ter uma visão bem definida de sua música e de todos os elementos que venham a fazer parte dela e só quem produz que sabe o quão difícil é compor Nu Disco. Com poucas peças, vários remixes e um número considerável de seguidores na sua cola, o produtor parece estar no caminho certo.

Gordon City

Para encerrar, um dos projetos mais bonitos dos últimos anos. Inspirado pelos grooves do House e Garage, Gordon City chama cada vez mais a atenção da crítica. O duo do norte da Inglaterra consegue mesclar bem a sofisticação do House com o que temos de mais novo na bass music, isso é o que torna Gordon City contemporâneo, palpável e mais dançante ainda. Já carrega consigo dois EPs, um de 2012 e outro de 2013, e um álbum intitulado Sirens a ser lançado no dia 6 de outubro.

7,830 total views, 3 views today

Autor:

Publicitário que não sabe o que consome mais: música, jornalismo ou Burger King