Slowdive, um dos Pilares do Shoegaze

Umas das bandas mais importantes do estilo etéreo e barulhento recém-anunciou seu retorno aos palcos

 7,302 total views

Um dos pilares do “Big Four” do Shoegaze junto a My Bloody Valentine, Lush e Ride, Slowdive é uma banda originada da província de Reading, na Inglaterra, em 1989 primeiramente por Neil Halstead e Rachel Goswell, e posteriormente com a ingressão de Nick Chaplin, Christian Savill e Adrian Sell (e futuramente com Simon Scott sendo o principal baterista da história da banda).

Apesar de muito se falar que o nome do grupo se originou de um single da banda The Siouxsie and the Banshees, também chamado presente no álbum A Kiss in the Dreamhouse, de 1982, o nome veio na verdade de um sonho que o baixista Nick Chaplin tivera.

O primeiro material da Slowdive foi um single homônimo lançado em 1990 contendo três músicas que serviriam de “teaser” para o primeiro álbum em longa duração, que viria menos de um ano depois.

Em Setembro de 1991, era lançado Just for a Day, disco tido como uma das “bíblias” do Shoegaze juntamente a Loveless da My Bloody Valentine – que seria lançado dois meses depois. Tal álbum foi responsável por lançar a banda para o mundo mostrando o som que viria a ser tomado como referência do Shoegaze/Dream Pop. Com músicas carregadas de camadas e fuzz e e vocais turbulentos e ecoantes, Just for A Day carrega em si algumas das pérolas mais marcantes do grupo, como as faixas Spanish air e Catch the Breeze.

Dois anos depois, em 1993, Slowdive lançaria seu segundo álbum de estúdio, Souvlaki. E, por ser uma banda metamorfa e inquietante em seu som, como veremos logo aqui e ainda mais adiante, tal novo disco já apresentava mudanças sonoras do que seu antecessor.

Apesar da participação de Brian Eno – um artista altamente ligado a sons mais etéreos e de música ambiente – nas faixas Sing e Here Shoe Comes, Souvlaki apresenta muito mais doses melódicas, com vocais mais “abertos” e uma musicalidade muito mais ensolarada, como pode ser notado logo na primeira faixa, Alison, uma dos hits deste álbum.

E as mudanças da Slowdive não parariam por aí. O ano de 1995 foi um ano cheio de turbulências para a banda.

Em tal ano, o grupo lançaria seu terceiro e último álbum, Pygmalion um trabalho cheio de experimentações e fortes doses de Ambient Music, o que dividiu opiniões da critica e dos fãs, mas que apesar de toda a discussão, trazia uma das faixas mais conhecidas e consagradas do grupo, Crazy for You.

As mudanças eram tantas que não agradaram Chaplin e Savill ainda durante as gravações, sobrando apenas três integrantes (visto a saída de Simon Scott ainda em 1994), Nile, Rachel e Ian (que entraria na vaga de Scott), os quais formariam a Mojave 3.

Após o lançamento de Pygmalion e a não concordância do novo som e desentendimentos por parte da gravadora Creation, com quem a banda era assinada desde a sua estreia com o EP homônimo, Slowdive é desligada de tal selo e assim anuncia seu término. Entretanto, durante a gravação desse disco, Halstead, a principal cabeça criativa e compositora do grupo, escreveu em seu ócio criativo alguns rabiscos que se transformam logo em canções.

Dessa vez, algo menos experimental e mais arredondado. Assim, em menos de uma semana, juntou-se a Rachel e Ian para gravarem tais composições como demos, a quais chegaram até a gravadora 4AD através do produtor da Slowdive. Nascia então a Mojave, que por questões legais teve de mudar seu nome, acrescentando-se o “3”, uma referência ao número de integrantes, até então, da mesma.

Logo no ano seguinte, em 1996, a nova banda lançava seu disco de estreia, Aks Me Tomorrow, e apresentava para o mundo sua sonoridade diferente do que se ouvia em épocas de Slowdive. Agora, mesmo mantendo uma característica etéra, a banda adicionava elementos acústicos com toques de Folk e Country “Alternativo”, fazendo um som que se assemelhava ao de Mazzy Star, que já executava essa mistura de violões em meio a camadas.

A banda conseguiu ter sucesso em sua nova forma saindo pra turnês inclusive com os companheiros de som Lush. Em 1998, lançaria seu segundo álbum, Out of Tune – disco no qual ganhariam mais dois integrante, Simon Rowe nas guitarras e Alan Forrester nos teclados – que os fez ganharem ainda mais elogios da crítica. Em paralelo, Neil Halstead e Rachel Goswell, Sleeping on Roads de 2002 e Waves Are Universal de 2004, respectivamente. O último disco da Mojave 3 foi Puzzles Like You, de 2006, e desde 2008 a banda se encontra em hiato, tendo feito apenas um show em 2011 juntamente de Band of Horses em Manchester.

No mesmo ano, Neil disse em entrevista que a Mojave 3 lançaria um novo material ainda naquele ano. Entretanto, até o presente momento isso não se concretizou. O que realmente se tornou realidade foi o retorno da Slowdive em Janeiro deste ano. Ao criar uma conta no Twitter, animou os fãs e tal empolgação foi ainda maior quando a banda foi anunciada como principal atração do Primavera Sound Festival, que acontecerá em Barcelona, em Maio próximo.

Se Slowdive ou Mojave 3 irão lançar novos discos, ainda não sabemos. Entretanto, já podemos comemorar que um dos grandes nomes do Shoegaze/Dream Pop estão de volta.

 7,303 total views

ARTISTA: Mojave 3, Slowdive
MARCADORES: Redescobertas

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).