“The Big Come Up”, do The Black Keys, comemora seu 10º aniversário

Dia 20 de Maio marca a primeira década de um disco que revelou ao mundo uma das bandas mais importantes da atualidade

 2,709 total views

Há pouco mais de dez anos, Dan Auerbach e Patrick Carney se juntaram para criar o que seria uma das maiores bandas da atualidade. Ninguém sabia em 2002, mas The Big Come Up seria o disco que mostrou ao mundo dois artistas que passaram de músicos promissores a headliners de grandes festivais.

A dupla já se conhecia desde a infância e ainda na escola, encorajada pelo irmão de Auerbach, tocou algumas vezes em jams. O tempo passou e os dois resolveram largar a faculdade e, meio que por acidente, a banda se formou. Dan precisava gravar alguns demos para mostrar em casas de show que queria se apresentar e Patrick tinha um gravador de quatro canais e uma garagem bem grande. Todos os amigos que Dan recrutou para a gravação não foram e, por fim, só sobrou a dupla para gravar. Composta somente com cinco covers e versões de músicas de Hill-Country, uma vertente mais ácida do Blues Rock, esse “EP” tem as músicas de Muddy Waters, Junior Kimbrough e até uma versão de She Said, She Said do The Beatles.

Já com a demo em mãos, eles acabaram assinando com um mini selo indie local e começaram a compor suas próprias músicas. Com oito faixas prontas, a dupla correu mais uma vez para a garagem de Patrick e, bem despretensiosamente, nasceu o primeiro álbum do The Black Keys, já assinado pela Fat Possum Records. Aquelas cinco covers do tal primeiro “EP” também foram para o disco.

A voz de Auerbach já ganha destaque em Busted, faixa de abertura, assim como sua guitarra que, apesar de simples, preenche os buracos criados pela falta de um baixo. Já no começo do álbum, a dupla mostra um Blues Rock com pitadas de outros estilos, em Do The Ramp existe um adicional de Soul e Yearnin’* traz um pouco de Funk, isso tudo acompanhado pela bateria simplória e crua de Patrick.

Ocasionalmente, algumas faixas são introduzidas com samples de Hip Hop, como The Breaks, mas isso é o mais perto que a dupla chega do estilo, que após isso abre com uma guitarra gritante, flertando com o Blues Punk. O cover dos Beatles chega pra quebrar um pouco o gelo e mostra o lado mais Pop adotado com mais intensidade em seus mais recentes discos.

Um grande problema de duplas de Blues Rock é que elas soam simples demais, coisa que não acontece com o Black Keys. A guitarra poderosa de Auerbach e bateria minimalista de Carney acabaram por criar um estilo próprio que consegue misturar Funk, Soul e Hard Rock com, é claro, uma pegada blueseira. Pelas condições da gravação, é possível também adicionar a tag Lo-Fi à estética garageira e sujinha da dupla.

Depois disso, a dupla gravou mais quatro discos e conseguia produzir alguns hits em cada um deles, até chegar em 2010 com Brothers, sucesso arrebatador que os levou de vez aos principais palcos. Em 2011 lançou o que foi até agora o álbum de maior sucesso comercial da dupla El Camino, que foge um pouco do Blues e tem o Rockabilly como sua espinha dorsal.

É claro que o Blues Rock não nasceu ali, mas muita gente que veio depois se espelha na pegada blueseira e garageira da The Black Keys. The Big Come Up foi um disco que sobretudo trouxe um novo fôlego ao estilo e por isso nós estamos comemorando os dez anos neste dia 20 de Maio.

 2,710 total views

MARCADORES: Disco

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts