Yearbook of Techno: Davis

O produtor paulistano é mais um aluno da “Escola do Techno”

941 total views, no views today

Fotos: Eduardo Urzedo/Monkeybuzz

Davis Genuino da Silva, 44 anos, da Zona Leste e tem mais amigos do que discos.

Daqui dez anos, eu…

Quero viajar para tocar em lugares ainda mais distantes… Quem sabe, pegar um XSpace (foguete) para ir tocar, rsrsrs.

Se eu pudesse escolher um poder seria…

Teletransporte.

Se eu fosse dominar o mundo…

Acabaria com a desigualdade. Gostaria que todo mundo tivesse acesso a tudo e que o equilíbrio dos direitos humanos fosse, de fato, algo real. 

No meu baile de formatura eu quero entrar com…

Com a “Lyndha”, uma expressão que a gente usa para descrever todas as pessoas amadas. 

E na entrada do baile eu quero ouvir…

Casual Gabberz – “Bim Bim”.

O meu look perfeito do baile seria…

Como o Prince, um terno brilhante e um hoodie. 

E vou servir o ponche batizado para o…

Chico Cornejo, e ver ele trocando ideia com a galera lumpen liberal no baile. 

Na Escola do Techno o meu grupo é…

O da galera dos “bicão”, nunca são convidados para nada e mesmo assim cola. 

O maior mico que eu já passei em uma festa foi…

Putz, não tenho um grande mico para contar. Lembro de passar vergonha quando me levaram para tocar em uma pista errada em um clube em Berlim. O manager do club falou: “você entra em 10 minutos, corre!”. Eu estava estranhando pois nas minhas contas faltava 1 hora ainda. Foi bizarro, pois o manager insistiu… Eu estava com um monte de discos, comecei o sacar os vinis, olhei para o cara que estava tocando, ele olhou para mim, e ninguém entendeu nada. Ele estava no meio do live, não tinha toca discos, o set up estava todo desmontado… o cara olhava feio, ficamos sem entender nada por uns minutos, até que o manager voltou e me disse, ops, “estamos na pista errada”.

O clube que eu fundaria na Escola do Techno…

É o de cuidar mais um dos outros. Acho importante cultivar o senso de comunidade, que todos somos iguais e podemos contar uns com outros. Estar disponível, sempre que possível, para as adversidades.

Eu sou o orgulho da minha família e dos meus amigos, porque…

Já superei muitas dificuldades e hoje consigo transmitir para eles a gratidão e o amor pelas pequenas coisas da vida. Dizem que tenho senso de justiça, de equilíbrio, de fazer o bem e deixar algo melhor para as pessoas. E sinto que consigo engajar todos nesse propósito.

942 total views, no views today

ARTISTA: ODD