“God Save The Queen” completa 35 anos e volta às lojas

Single dos Sex Pistols que causou revolta em 1977 retorna com nova polêmica no Jubileu de Diamante da rainha Elizabeth II

 2,455 total views

“God save the queen / She ain’t no human being / There is no future / In England’s dreaming”, cantava Johnny Rotten em um dos maiores hits dos Sex Pistols, God Save The Queen. O single, que foi lançado em 27 de maio de 1977, ganhará um relançamento em homenagem ao seu aniversário de 35 anos. Ele sai no dia 28 de maio.

Na época, a música causou polêmica por trazer o que muitos ingleses consideravam um ataque à rainha Elizabeth II e à monarquia – até porque o ano de 1977 marcava o Jubileu de Prata, ou seja, a comemoração de 25 anos de reinado da monarca. A música chegou ao segundo lugar das paradas britânicas, embora tenha vendido mais que o primeiro (I Don’t Want To Talk About It/The First Cut Is The Deepest de Rod Stewart). Rumores alimentados desde aquela época sugerem que teria sido a própria rainha a ordenar que o single dos Pistols não chegasse ao primeiro lugar – uma teoria que John Lydon refuta.

De qualquer forma, o single voltará às lojas envolto novamente em polêmica: o lançamento é feito pela Universal Records, uma grande gravadora, para comemorar o Jubileu de Diamante de Elizabeth II (60 anos como monarca). Muitos fãs não gostaram desse uso corporativo e político da música dos ícones punks.

Vale lembrar que, ao serem indicados ao Rock And Roll Hall of Fame em 2006, os Pistols, via Lydon, mantiveram sua ideologia, recusando a homenagem com o seguinte recado: “Perto dos Sex Pistols, o rock and roll e aquele hall da fama são uma mancha de mijo. Seu museu. Urina no vinho. Nós não vamos. Não somos seus macacos, e daí?”.

 2,456 total views

ARTISTA: Sex Pistols
MARCADORES: Homenagem, Polêmica, Single

Autor:

Jornalista. Acredita nos duendes enroladores de fones, mas não no hype.